O que é complementação pedagógica e por que investir nela?

complementação pedagógica por que investir

Na hora de escolher entre Bacharelado ou Licenciatura, você optou pelo primeiro pois queria uma formação mais ampla, mas ainda sente vontade de dar aulas? Ou, ainda, descobriu no meio do seu Tecnólogo que você tem uma vocação para a área de Educação? Seja qual for o caso, a complementação pedagógica é a solução ideal.

Com esse programa acadêmico, profissionais que já têm um diploma de graduação conseguem obter, também, um grau equivalente ao de Licenciatura plena. Para tanto, basta que o curso concluído seja de uma área correlacionada àquela em que você pretende dar aulas. Continue a leitura para entender melhor sobre o assunto!

O que é complementação pedagógica?

A complementação pedagógica é uma formação rápida que dá o grau de Licenciatura a quem já tem Bacharelado ou Tecnólogo. Em cerca de um ano de curso, o profissional se torna apto a dar aulas para o ensino médio e anos finais do ensino fundamental, ampliando as possibilidades de carreira.

Também chamada de “Licenciatura de curta duração” ou “Formação pedagógica para não-licenciados”, a complementação pedagógica foi criada a partir da Resolução CNE/CEB nº 02/1997 e garante ao concluinte do programa o certificado e registro profissional equivalente ao de uma Licenciatura plena.

Quem pode fazer uma complementação pedagógica?

Para fazer uma complementação pedagógica, você precisa portar um diploma de Bacharelado ou Tecnólogo na área em que pretende dar aulas. Por exemplo, se você já faz um Bacharelado em Química, pode realizar a complementação pedagógica para Licenciatura em Química.

Quando a área não é a mesma, mas é correlacionada, esse grau acadêmico também é possível, desde que o profissional tenha cursado pelo menos 160 horas em disciplinas correlatas à área de Licenciatura. Em um Bacharelado em Farmácia, por exemplo, o aluno tem muitas matérias de Química, portanto, poderia fazer a complementação pedagógica nessa área.

A complementação pedagógica é muito interessante para quem fez cursos ofertados tanto em Licenciatura como em Bacharelado, mas acabou escolhendo essa segunda alternativa. É o caso da maioria das ciências que fazem parte do currículo obrigatório da Educação Básica, como:

  • Química;
  • História;
  • Física;
  • Letras;
  • Geografia etc.

Na hora de ingressar na faculdade, as versões de Bacharelado dessas áreas são as preferidas. Basta olhar os números: segundo o Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep, esse é o grau acadêmico escolhido por 59,9% dos estudantes de ensino superior do Brasil.

O motivo pelo qual muitos deixam a Licenciatura de lado pode ser o receio de trabalhar no mercado educacional. De acordo com o Anuário da Educação Básica de 2019, nos anos finais do ensino fundamental, 37,8% dos docentes não têm formação para dar aulas. Já no ensino médio, esse número é de 29,2%.

Esses dados mostram que há um deficit de licenciados no Brasil. Portanto, podemos dizer que as várias áreas de Licenciatura estão entre as profissões do futuro no país no que se refere à empregabilidade.

Como funciona a complementação pedagógica?

Normalmente, o programa de complementação pedagógica dura cerca de 1 ano, com duração máxima de 3 anos. Nele, o estudante faz disciplinas voltadas à prática de ensino e ao planejamento e à organização do trabalho em escolas. São parte de currículo comum a todas as Licenciaturas, como:

  • Políticas Educacionais;
  • Fundamentos da Educação Infantil;
  • Didática;
  • Educação de Jovens e Adultos;
  • Orientação Pedagógica etc.

Além disso, o aluno também precisa passar pelo estágio supervisionado. De acordo com a Resolução CNE/CEB, os programas devem ter pelo menos 540 horas de duração, incluindo um mínimo de 300 horas na prática do estágio.

Qual é a diferença entre a complementação pedagógica e outras formações educacionais?

Abaixo, veja um pequeno comparativo entre a complementação pedagógica e outras formações da área de Educação para entender a diferença entre elas.

Complementação pedagógica e Licenciatura

A Licenciatura é um tipo de grau acadêmico que habilita o profissional a dar aulas na Educação Básica. Nesse caso, porém, além das disciplinas próprias para a prática de ensino, também há toda a formação teórica e técnica sobre a área de conhecimento estudada.

Por isso, o curso dura de 4 a 5 anos e é bastante amplo. Na complementação pedagógica, como o estudante já tem o grau de Bacharelado ou Tecnólogo, é como se “dispensasse” essa parte da formação e estudasse somente as matérias de pedagogia e ensino.

Ainda, é importante notar que a complementação pedagógica não é possível para profissionais sem curso superior anterior, mas também não funciona como uma pós-graduação. Ela é realmente um complemento para o diploma.

Complementação pedagógica e Pedagogia

No mesmo sentido, a complementação pedagógica não pode ser feita em substituição ao curso de Pedagogia. Esse, por sua vez, é um tipo de Licenciatura específico para a formação de professores da educação infantil, com um currículo diferenciado para os primeiros anos de alfabetização e letramento.

Quais são as vantagens da complementação pedagógica?

Se você já tem o grau de Bacharelado ou de Tecnólogo, mas sente vontade de trabalhar em salas de aula da Educação Básica, ou imagina que vai encontrar as melhores vagas de emprego com um grau de Licenciatura, a complementação pedagógica é bastante vantajosa. Veja alguns dos motivos!

É mais rápida do que a Licenciatura

As faculdades oferecem a opção de eliminar disciplinas da grade curricular quando matérias equivalentes já foram cursadas pelo estudante em outro curso de graduação. Isso quer dizer que, se você é bacharel em Matemática, por exemplo, e decidiu ser professor, poderia fazer a Licenciatura em menos tempo, eliminando boa parte do currículo.

No entanto, mesmo com o processo de eliminação de matérias, nem sempre é possível adiantar as disciplinas restantes dos semestres seguintes — seja porque não há o oferecimento sempre, seja por limitações do sistema da faculdade. Então, a duração total do curso pode continuar um pouco mais longa do que a complementação pedagógica.

Aumenta as possibilidades de trabalho

Assim como quem faz uma Licenciatura após o Bacharelado, ou mesmo quem investe em uma Segunda Licenciatura, a complementação pedagógica abre bastante o leque de possibilidades profissionais. Como você viu, o Brasil sofre com uma falta significativa de professores no ensino fundamental e médio. Então, a empregabilidade para licenciados é alta.

É aceita em concursos públicos

A complementação pedagógica é aceita em concursos públicos normalmente. Afinal, ela é reconhecida pelo MEC e concede o grau equivalente ao de uma Licenciatura Plena. Portanto, não há nenhum impedimento legal para ocupar vagas em escolas públicas com esse complemento no diploma, tudo bem?

Depois dessa leitura, você viu que a complementação pedagógica é uma alternativa rápida, prática e objetiva para ampliar o exercício de bacharéis e tecnólogos. Com ela, o profissional consegue complementar sua formação com o grau de Licenciatura, tornando-se apto a dar aulas no ensino médio e nos anos finais do ensino fundamental.

Agora, se você ainda não escolheu sua graduação, veja também nosso post com 3 áreas de atuação e conheça algumas opções de cursos que podem ser ideais para você!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 108

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

17 Comentários

    nossa! artigo perfeito!

      Que bom que gostou, Lucas! Continue acompanhando as novidades do blog, traremos mais conteúdos voltados a este tema *-*

    Tem Complementação Pedagógica para a Graduação em Teologia (Bacharelado ? Para dar aulas de Ensino Religioso?

      Olá, Chercules! Tem sim! Veja mais informações aqui nesta página: https://www.vestibulares.com.br/segunda-graduacao

    Bom dia,
    Gostei muito do artigo, abordou algumas dúvidas que eu tinha.
    Você recomenda alguma faculdade EAD?
    Obrigado

      Olá, Celso! Tudo bem? Em nosso site temos algumas opções de instituições que fazem parte do Vestibulares, a depender da região que você reside, você pode escolher a ideal. Nesta página de segunda graduação você pode conferir as opções de cursos e instituições EAD para complementação pedagógica 😉

    Oi Marcela, parabéns pelo artigo! Me esclareceu muito!
    Tenho formação de tecnólogo em TI e estou terminando um MBA agora em Ago/20. Com essa complementação pedagógica, eu consigo fazer estar apto a dar aula em universidades? Existe algum exame para fazer?

      Oi, Claudio! Agradecemos, que bom que foi útil! Com a Formação Pedagógica, você estará apto para atuar nas diferentes modalidades do sistema de ensino formal:

      Ensino Fundamental II
      Ensino Médio
      Educação de Jovens e Adultos
      Educação Profissionalizante
      Educação Inclusiva
      Educação à Distância

      Com relação à universidades, geralmente se solicita Mestrado e Doutorado, a depender da instituição de Ensino Superior. Abraços! 🙂

    No meu caso que tenho formação em direito, eu posso fazer complementação pedagógica?

      Olá, Ítalo! Tudo bem? Pode sim, claro! Nas nossas instituições parceiras, você pode fazer formação pedagógica em História, Letras ou Sociologia 🙂

    Olá!
    Ótimo e esclarecedor artigo.
    Uma unica duvida, sou bacharel em Biologia e estou fazendo o R2, caso venha a desejar cursar pedagogia em seguida a duração do curso será menor como ocorre para licenciados que fazem pedagogia depois (em alguns casos, 6 meses)?

    Agradeço o auxílio desde já!

      Olá, Jeff! Que bom que gostou do artigo! Sim, exatamente 🙂 Você até pode fazer uma simulação com o seu curso de Formação e ver as opções disponíveis em nossa página de Formação Pedagógica 🙂

    Olá. Sou formado em Engenharia de produção e iniciei a complementação pedagógica em matemática, como fiz o ENEM em 2019 ingressei para fazer a complementação pedagógica com a nota do ENEM, isso é possível ou eu deveria fazer como segunda graduação?

    Olá. Sou formado em Engenharia de produção e iniciei a complementação pedagógica em matemática, serei habilitado para dar aula de matemática para o ensino médio?

      Olá, Wellington! Sim, poderá 🙂

    Boa tarde!

    Me chamou Giovani e sou do Rio de Janeiro.

    Artigo maravilhoso, muito bem explicado! Parabéns! Sanou uma dúvida minha, pois sou Farmacêutico e comecei a fazer a Complementação em Química, justamente o exemplo dado no artigo!!

    Parabéns e obrigado!

    Muito bom o artigo!
    Parabéns!
    Queria tirar uma dúvida, se possível.
    Sou tecnólogo em Logística. Qual seria o curso que teria a possibilidade de cursar.
    Grato!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.