Enem: o guia completo para conquistar a aprovação

Se você vai fazer a prova do Enem em 2020, precisa conhecer algumas informações importantes para conquistar a tão desejada vaga na graduação.

A maior parte dos dados necessários para que você faça uma boa prova pode ser encontrada no edital do Enem, mas, neste guia, vamos separar as informações que um candidato não pode deixar de lado. Aqui está tudo o que é preciso saber para entrar na faculdade! Preparado?

O que é Enem?

Antes de entender o que é, é importante compreender quem criou o Enem. O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998 pelo governo federal para medir o desempenho dos jovens concluintes do ensino médio. Com o tempo, porém, foi se transformando em uma espécie de vestibular para as faculdades públicas, que passaram a adotar (integral ou parcialmente) o resultado da prova como processo seletivo.

Dessa forma, sabendo as notas dos estudantes, a instituição escolhe aqueles com resultados mais altos para ingressar na graduação — e assim evita todos os gastos com recursos para elaborar e corrigir as provas do vestibular.

Enem ou vestibular

Além dessa praticidade para as instituições, a entrada no curso superior ficou muito mais democrática depois do Enem, pois o vestibulando não precisa mais viajar a outras cidades para concorrer às vagas de outras instituições. Pelo Sistema de Seleção Unificado (Sisu), qualquer pessoa que fizer o Enem — e obtiver uma nota mínima nas provas — poderá concorrer a uma vaga em faculdades, centros universitários e institutos federais conveniados.

Leia, a seguir, mais informações sobre o Sisu e outros programas vinculados ao Enem.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificado é o meio pelo qual faculdades gratuitas (públicas) oferecem as suas vagas a quem participou do Enem, avaliando o seu resultado. Ele foi implantado em 2012 pelo Ministério da Educação.

Anteriormente, cada instituição produzia o seu próprio vestibular, e os candidatos até deixavam de fazer provas em algumas por que havia coincidência de datas. Com a criação do Sisu, basta se preparar para as provas do Enem e aguardar o período de abertura do Sisu, que é todo online.

Na última edição do Enem, em 2018, foram ofertadas 129 mil vagas, para as quais houve mais de 1,5 milhão de candidatos.

O que não faltam são opções em todas as regiões do País. No entanto, se a sua vontade é cursar uma faculdade particular, por ser mais próxima à sua residência, por exemplo, pode escolher entre o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil do Ensino Superior) e o Prouni (Programa Universidade para Todos), ambos programas de inclusão ao ensino superior.

FIES

Em 1999, o MEC criou o FIES para atender a estudantes de baixa renda, cuja renda bruta familiar por pessoa seja menor que 2,5 salários mínimos. É preciso se matricular em uma instituição de ensino privada (usando ou não a nota do Enem) para requerer o benefício.

Prouni

Esse Programa oferece, desde 2005, a alunos de escola pública a possibilidade de estudar em uma instituição privada, com bolsa parcial ou integral. Para isso, é preciso que a renda bruta familiar não ultrapasse 1,5 salário mínimo por pessoa.

O Prouni também atende a estudantes que cursaram o ensino médio como bolsistas, com renda média de no máximo 2,5 salários por pessoa, além de reservar cotas para negros, índios e pessoas com deficiência.

Ao todo, foram distribuídas 244.186 bolsas parciais e integrais no 1º semestre de 2019 em todos os estados brasileiros. São Paulo, Paraná e Bahia detêm o maior número de vagas, totalizando quase 50% da oferta nacional.

Uma observação importante: nem todo mundo que fez as provas do Enem pode se candidatar a esses programas. É preciso tirar uma nota maior que 450 em cada uma das provas e não ter zerado a redação.

Por que fazer o Enem?

Como você pôde perceber até agora, o Enem é praticamente a porta de entrada para faculdades, centros universitários e institutos federais no Brasil. Por isso, é muito importante se preparar, não só estudando muito e se dedicando ao processo, mas também conhecendo as características das provas e sabendo as datas do Enem (inscrição, recursos, isenção do Enem, resultado etc.).

Para você ter uma ideia de como ocorre o processo, é preciso prestar atenção desde o início do ano. Em março, sai a publicação do edital do Enem, mas você pode começar a estudar desde agora, para não deixar nenhum conteúdo para trás.

Como as áreas são divididas?

O Inep (Instituto Nacional Anísio Teixeira), órgão responsável pelo Enem, não divide as provas em disciplinas, como estamos acostumados a ver no colégio: prova de Física, prova de História e assim por diante.

A ideia do Exame é buscar uma integração entre as disciplinas. Por isso, ele apresenta a divisão por áreas do conhecimento, que integram as matérias correlacionadas.

Além das provas referentes a cada área, o candidato precisa fazer uma redação. Veja, a seguir, quais são as quatro provas do Enem e como é o formato da produção de texto.

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

O Português no Enem é cobrado junto às disciplinas de Literatura e Língua Estrangeira — o candidato pode optar por Inglês ou Espanhol. Além dessas, constam questões de Artes e de Educação Física.

A prova tem um viés importante que trata das tecnologias da educação e da informação. Dessa forma, o candidato precisa estar preparado para identificar, relacionar e interpretar linguagens e recursos expressivos para solucionar problemas de cunho social.

Matemática e suas Tecnologias

Para a prova de Matemática no Enem, o estudante precisa dar conta de demonstrar conhecimentos numéricos, geométricos, algébricos e estatísticos. Mais do que decorar fórmulas, o Exame pede raciocínio lógico e capacidade de resolução de problemas.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Aqui estão as disciplinas de Física, Química e Biologia. Os conteúdos básicos dessas matérias são cobrados em questões contextualizadas, geralmente com muitos textos, gráficos e tabelas a serem analisados.

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Filosofia, Geografia, História e Sociologia são as disciplinas da prova de Ciências Humanas do Enem. São questões que exigem muita leitura e conhecimento do cenário atual, além dos conteúdos essenciais.

Cada prova tem 45 questões de múltipla escolha.

Redação

Cotada como a mais temida, a redação do Enem exige um preparo especial para que o candidato se familiarize com o tipo de proposta. A exigência é por um texto dissertativo-argumentativo, entre 7 e 30 linhas, sobre um tema atual e relevante para a sociedade brasileira.

O texto vale 1000 pontos, assim como as outras provas, e é avaliado sob 5 aspectos (cada um vale 200 pontos):

  • escrita: legibilidade da letra, correção ortográfica e gramatical, paragrafação e adequação vocabular são alguns dos pontos levados em consideração para atribuir a nota;
  • adequação ao tema: o candidato precisa atender ao que foi solicitado na proposta, construir um texto com introdução, desenvolvimento e conclusão, além de mostrar que tem conhecimento para construir a argumentação;
  • argumentação: a qualidade dos argumentos selecionados, a relação entre eles e a pertinência para defender um ponto de vista são analisados nessa competência;
  • coesão: uso de elementos e recursos coesivos e operadores argumentativos, dentro dos parágrafos e entre eles, para realçar e fortalecer a argumentação é o que se avalia aqui;
  • proposta de intervenção: muitos alunos acham que a originalidade é fator fundamental para se avaliar a proposta, mas isso não é verdade. O candidato precisa demonstrar uma forma de solucionar o problema discutido, e isso deve ser feito de forma completa, detalhada — ainda que a ideia não seja novidade. Por exemplo, falar que o governo precisa resolver o problema da educação é muito vago. Porém, dizer que a Secretaria de Educação pode implantar medidas para que os alunos tenham reforço escolar para melhorar o rendimento, contratando estagiários, por exemplo, já é algo mais palpável, concorda?

Todo o conteúdo da prova pode (e deve) ser consultado pelo candidato nas Matrizes de Referência no site do Inep.

Como é a prova na prática?

Suponhamos que você tenha feito a inscrição com sucesso, recebido o comprovante de inscrição e, acima de tudo, tenha estudado todo o conteúdo e esteja afiado para a redação. Tudo pronto? Saiba, então, como é a prova do Enem na prática!

Onde é a prova?

No cartão de confirmação, você verá o local de realização do Exame: nome da instituição (colégio ou faculdade), prédio, número do andar e da sala etc. Também deve constar o endereço completo, a cidade e o estado. Confira tudo direitinho e, alguns dias antes da prova, vá ao local para conhecer e avaliar quanto tempo você demorará para chegar lá.

Qual é a data?

A edição do Enem 2019 terá prova em dois domingos consecutivos, 3 e 10 de novembro. Se nada mudar na estrutura do Exame, essa configuração pode ser mantida.

Quanto tempo dura a prova?

No primeiro domingo de prova, os candidatos têm 5 horas para fazer as provas de Linguagens e Ciências Humanas (45 questões cada), além da redação. O tempo inclui transcrever as respostas para o gabarito e a redação para a folha própria.

Já no segundo domingo, são 45 questões de Matemática e 45 de Ciências da Natureza. Para isso, os estudantes terão 4h30 de prova. O fechamento dos portões ocorre às 13h em ponto! Para evitar problemas, programe-se para chegar com antecedência.

O que levar para o Enem?

Para fazer a prova, apenas caneta esferográfica de tinta preta, feita em plástico transparente. Não são permitidos lápis, borracha, apontador e nenhum outro material além da caneta (inclusive para fazer contas e o rascunho da redação). Leve mais de uma para não correr o risco de falhar bem no momento da prova.

Pensando em toda a energia que você vai gastar e no tempo de prova, leve um lanche leve. Tudo deve estar embalado em plástico ou vasilhame transparente, e todos os lanches serão revistados. Leve uma garrafinha de água também.

Além disso, não se esqueça do documento de identificação e do comprovante de inscrição. Quando você chegar à sala, o fiscal fornecerá um saco plástico para colocar as suas coisas (celular, carteira, chaves, entre outros). Ele será lacrado e colocado embaixo da sua mesa. Não se esqueça de desligar o celular, pois qualquer barulho de aparelhos eletrônicos desclassifica o candidato.

Além de o que levar para o Enem, é importante lembrar, também, o que os candidatos não podem levar: 

  • equipamentos eletrônicos de modo geral: mp3, relógio, calculadora, fone de ouvido etc.;
  • livros, papéis;
  • óculos escuros, boné, chapéu e semelhantes.

Depois de tudo ajeitado sob a carteira, caneta, lanche e garrafinha de água a postos, é só começar a prova tranquilamente para garantir o resultado!

O que mais cai na prova?

Após 20 anos de Enem, é possível ver quais são os conteúdos mais cobrados, que não faltam a nenhuma edição do Exame. Confira agora quais são eles e não deixe de estudá-los.

Língua Portuguesa

Leitura e interpretação de textos certamente constituem a primeira opção. Figuras de linguagem, morfologia, grandes nomes da literatura brasileira e portuguesa, teoria da comunicação e variações linguísticas são temas sempre presentes.

Matemática

Gráficos, cálculos, equações, funções, trigonometria, geometria plana e espacial, além de logaritmos são as matérias mais cobradas na prova de Matemática do Enem.

Geografia

Aparecem questões de Geografia Humana, como população, urbanização e movimentos migratórios, Geografia Física, mais geral, e Econômica, com as fases do capitalismo, indústria, comércio etc. Questões ambientais são garantidas.

História

Era Vargas e Regime Militar estiveram presentes em todas as edições do Enem. História do Brasil, da colonização à Nova República, passando pelo Brasil Império, também é um tema bastante comum, sem contar a História Geral: das civilizações antigas a grandes conflitos atuais.

Biologia

O foco da prova de Biologia do Enem é o ser humano e a sustentabilidade: genética, estudo das células, ecologia, evolução, além de doenças comuns e os seus impactos na sociedade. A recente epidemia de sarampo, por exemplo, deve aparecer neste ano.

Física

São conteúdos que aparecem sempre na prova de Física: mecânica, óptica, ondas, eletricidade, leis de Newton, entre outros.

Química

Química orgânica, reações inorgânicas, cálculos estequiométricos, termoquímica e eletroquímica são assuntos recorrentes nesta prova, cujo foco se volta para questões ambientais, como chuva ácida.

Filosofia, Sociologia, Artes e Educação Física integram as provas, com questões específicas ou interligadas a outras matérias. Enfim, o conteúdo é extenso, pois contempla todo o ensino médio. Porém, se você se organizar, fazendo um planejamento do tempo e das matérias em que tem mais dificuldade, é possível alcançar o sucesso!

Como estudar para o Enem?

Sabe qual é a melhor forma de estudar para o Exame? Faça um simulado do Enem! No colégio, no cursinho ou até na internet, a chance de ir bem na prova que você já conhece é muito maior.

Imagine que, no dia da prova, você vai ficar sentado durante cinco horas, respondendo a questões com enunciados longos, que demandam análise atenta. Se você não treinar antes, pode até se sentir mal no meio da prova.

Por isso, faça simulados com o mesmo número de questões, com a redação, e veja como você se sai em relação ao tempo gasto e à eficácia das respostas. Quanto mais preparado você estiver nas provas, melhor será o seu desempenho.

É preciso fazer cursinho?

Não é imprescindível fazer um curso preparatório para o Enem. A ideia do exame, a princípio, é medir o desempenho do estudante após concluir o ensino médio. Portanto, espera-se que os conteúdos cobrados tenham sido estudados durante esse período.

Entretanto, existem dificuldades na vida do estudante que nem sempre dependem dele para serem resolvidas. Nesse caso, é recomendado, se não for aprovado na primeira tentativa, estudar mais um ano e tentar novamente! O importante é chegar ao objetivo, mesmo que demore um pouco a mais que o esperado.

Outra situação que geralmente exige uma preparação mais cuidadosa é quando o aluno deseja ingressar em um curso com alto nível de concorrência, como Medicina ou Direito. Como a procura é muito grande, a pontuação mínima é bastante elevada também.

Quais são as principais dicas para a aprovação?

Conhecimento e informação. Para ser aprovado, é preciso estudar, ler bastante, assistir a noticiários e documentários e, acima de tudo, estabelecer relações entre as informações, sempre procurando se posicionar criticamente a respeito do tema.

Na hora da prova, mesmo o candidato que sabe muito pode ter problemas com ansiedade e nervosismo, o que é normal, dado o peso da prova no futuro profissional. Porém, é preciso chegar preparado e manter a tranquilidade. Faça exercícios físicos regularmente, mantenha o sono em dia e alimente-se adequadamente durante o período de estudos. Na véspera da prova, é só manter a rotina!

Fiz o Enem, e agora?

E depois da prova, o que fazer? O resultado Enem demora cerca de dois meses. A previsão é de que seja divulgado na terceira semana de janeiro. O gabarito, entretanto, sai logo após a prova.

É possível conferir o número de acertos, mas a nota só é dada no resultado final. Isso acontece porque, no Enem, é usada a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Esse método de correção avalia o nível de dificuldade das questões.

As mais fáceis valem menos, e as mais difíceis valem mais. Se o candidato acertar uma questão difícil e errar uma fácil, o sistema interpreta que esse acerto foi um “chute” e penaliza o candidato, pontuando menos essa questão.

Dessa forma, a nota do Enem pode variar mesmo que dois candidatos tenham acertado o mesmo número de questões.

Como usar a nota do Enem no Sisu?

Como mencionamos no início do texto, a nota do Enem é usada para a inscrição no Sisu, que acontece após a divulgação do resultado do Enem, na última semana de janeiro. No site do programa, o candidato seleciona dois cursos de sua preferência.

Se não for escolhido para nenhuma das opções, pode ficar na lista de espera ou buscar vagas remanescentes, isto é, que não foram preenchidas. Se a aprovação for confirmada, é só correr para a matrícula!

Durante este post, entendemos que estudar para o Enem pode parecer complicado a princípio: com muitos detalhes, datas, cuidados e preparações diferentes. Mas, seguindo as dicas apresentadas aqui, é possível tornar esse processo bem mais tranquilo e conquistar a tão sonhada vaga em um curso superior.

Você viu como se preparar para o Enem e quais são as principais características do Exame? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e mantenha os seus amigos informados sobre a importância do Enem!

nervosismo durante o enem
como ir bem na prova do enem

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.