Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias: o guia para a prova do Enem

guia para aprovação no enem

Falar em ensino médio é falar também em Enem! E se você é como a maioria dos estudantes que se encontram nessa fase, deve sentir aquela pequena (ou grande) ansiedade cada vez que alguém menciona a tal prova. Acertamos? Mas calma! Nada que uma boa preparação para ajudar você a se dar bem nas questões!

Por falar nisso, você sabe o que é a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias? Ela faz parte de uma das 4 áreas de conhecimento do Enem e é realizada no primeiro dia do exame. Abrange matérias relacionadas às formas de se comunicar, como Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Tecnologias da Informação e Comunicação, Artes e Educação Física.

Quer ficar por dentro de tudo o que cai nessa parte e saber como estudar para ela, de modo a garantir uma boa pontuação? Então, continue com a gente!

O que é a área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias?

A área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias é uma das 4 provas objetivas do Enem. É feita no primeiro dia e abrange conteúdos como:

  • Língua Portuguesa;
  • Literatura;
  • Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol);
  • Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Artes;
  • Educação Física.

Todos esses conteúdos são reunidos em 45 questões objetivas. Ou seja, aquelas nas quais você precisa escolher dentre várias alternativas qual a mais correta. Além disso, nessa parte também há uma redação, que precisa seguir algumas regras, como o modelo dissertativo-argumentativo.

Quais são as competências avaliadas?

A tendência é que as exigências das provas aumentem com o passar do tempo. Ou seja, não estranhe ao se deparar com questões bem antigas e achá-las mais fáceis que as atuais! Além disso, muitas vezes elas são multidisciplinares. Isso quer dizer que abordam mais de uma matéria ao mesmo tempo, misturando, por exemplo, História da arte com Gramática.

Uma das habilidades genéricas avaliadas é saber interpretar o texto e as questões, de modo a evitar cair nas famosas pegadinhas. É bem comum que, por exemplo, existam 2 ou 3 respostas adequadas, mas apenas uma delas caiba no enunciado.

O gerenciamento do tempo também é levado em conta. São muitas questões e as horas passam rápido, demandando estratégias na resolução. Assim, nada de perder muitos minutos, tentando encontrar uma resposta e deixar as outras perguntas de lado, combinado?

Dominar o conteúdo também é essencial. Por isso, ao estudar, não se contente apenas em bater o olho ou ver a matéria de forma rasa, ok? Lembre-se de que o Enem tem ficado cada vez mais complexo.

Além disso, em Linguagens no Enem, o candidato é avaliado nas seguintes competências específicas:

  • saber aplicar as tecnologias da comunicação e da informação em diversos contextos da vida: por exemplo, identificar diferentes recursos expressivos e recorrer aos conhecimentos sobre linguagens para resolver problemas sociais;
  • saber usar línguas estrangeiras modernas: por exemplo, associar vocábulos e expressões de um texto;
  • compreender a linguagem corporal como formadora de identidade e integradora social: por exemplo, reconhecer manifestações corporais como partes das necessidades de um grupo;
  • entender a arte como saber cultural e estético: por exemplo, saber reconhecer diferentes funções da arte;
  • analisar e interpretar recursos expressivos da linguagem: por exemplo, conseguir relacionar um texto literário com o momento de sua produção;
  • compreender os sistemas simbólicos das diferentes linguagens como meios de organização cognitiva: por exemplo, reconhecer a função da linguagem predominante nos textos;
  • identificar opiniões de autores em manifestações específicas: por exemplo, inferir seus objetivos e qual o público-alvo;
  • compreender a língua portuguesa como geradora de significação e integradora da organização do mundo: por exemplo, identificar em diferentes gêneros textuais marcas e variedades linguísticas sociais e regionais;
  • entender a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na vida pessoal e social: por exemplo, relacionar o desenvolvimento dos recursos tecnológicos ao progresso da sociedade.

Quais os principais temas abordados?

Ufa! Parece coisa demais, não é? Mas não se assuste! Isso tudo pode ser resumido nos principais temas abordados em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias no Enem, que são:

  • Leitura e Interpretação de Textos;
  • Estrutura Textual;
  • Análise de Discurso;
  • Literatura;
  • Gênero Textual;
  • Variação Linguística.
  • Gramática;
  • Leitura e Artes;
  • Relação Intertextual;
  • Funções da Linguagem;
  • Figuras de Linguagem;
  • Semântica;
  • Norma Culta X Norma Popular.

O que mais cai nessa área?

Saber o que mais cai é uma atitude estratégica, pois, com isso, podemos investir mais foco e energia justamente nessa parte. Sendo assim, muita atenção ao que falaremos a seguir!

Interpretação de Texto

Em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, existem diversos estilos textuais para que o candidato interprete. São textos jornalísticos, científicos, publicitários, poesias, prosas, crônicas, charges, quadrinhos, músicas e imagens.

Alguns dos veículos jornalísticos que costumam aparecer são:

  • Revista Superinteressante;
  • Folha de São Paulo;
  • Veja;
  • Revista Época;
  • Revista IstoÉ.

Os autores da literatura de mais destaque são:

  • Guimarães Rosa;
  • Machado de Assis;
  • Carlos Drummond de Andrade;
  • Graciliano Ramos;
  • Mário de Andrade.

Já nos versos, encontramos:

  • Luís Vaz de Camões;
  • Manuel Bandeira.
  • Cecília Meireles;
  • Ferreira Gullar.

Nas crônicas, predominam:

  • Rubem Alves;
  • Fernando Sabino;
  • Rubem Braga;
  • Luís Fernando Veríssimo.

Em relação a charges e quadrinhos, aparecem:

  • Garfield;
  • Calvin e Hobbes;
  • Mafalda e Hagar;
  • Frank & Ernest.

Gramática

Aqui, é importante saber as classes das palavras, como substantivo, artigo, pronome, advérbio. Morfologia também entra nessa parte, ao abranger questões sobre o processo de formação dos termos.

Sintaxe é outro assunto que deve ser muito bem compreendido. Orações coordenadas, orações subordinadas, pontuação, crase, regência e concordância caem aos montes. Perguntas comuns envolvem retirar frases do texto e fazer as devidas análises.

Vocabulário e ortografia também são recorrentes. Assim, prepare-se antes. Uma dica é ler livros, prestar atenção em suas construções frasais e anotar todos os significados de termos desconhecidos.

Literatura

Em Literatura, será necessário identificar as características dos principais autores e dos movimentos literários, como romantismo, realismo e modernismo. Saber a consciência da época, suas preferências e como se deu a transição de um estilo a outro também é importante.

Figuras de Linguagem

Nessas questões, você deve se lembrar de que figuras de linguagem são recursos estilísticos, para facilitar a comunicação e torná-la mais atraente. Uma das mais comuns é a metáfora, que representa a comparação de palavras com significados diferentes. Mas também existem outras, como:

  • metonímia;
  • catacrese;
  • sinestesia;
  • perífrase;
  • hipérbole;
  • eufemismo;
  • ironia;
  • personificação;
  • paradoxo;
  • elipse;
  • polissíndeto;
  • pleonasmo;
  • onomatopeia.

Nos seus estudos, procure entender o significado dessas e de outras figuras, combinado?

Língua Estrangeira

Nessa prova, o candidato escolhe entre Inglês ou Espanhol e responde a 5 questões de interpretação — que, na maioria das vezes, não são muito complexas. Os textos costumam ser publicações comuns, retiradas da internet. Charges e letras de músicas também podem fazer parte.

Teorias da Comunicação

Envolve a compreensão do objetivo de cada texto, significado de expressões, função da linguagem, padrões de composição e estruturas de textos.

Artes

A matéria de Artes está inclusa nessa parte da prova. São cerca de 5 questões e, assim como em Literatura, será necessário identificar características de cada época (a exemplo da Arte Contemporânea), além de dominar temas, como:

  • Modernismo Europeu;
  • Modernismo no Brasil;
  • Modernismo pós Semana de 22;
  • Arte Brasileira após 1970;
  • Barroco em Minas Gerais;
  • Renascimento Italiano;
  • Arte na Pré-História.

Educação Física

Por fim, o corpo também tem importância no modo como nos comunicamos. Assim, assuntos relacionados a cuidados com ele e com nossa saúde, esportes e estilos de dança são cobrados. É importante estar por dentro dos benefícios das atividades físicas.

Quais os principais exemplos de questões dessa área?

A melhor forma de verificar como o assunto cai é ter acesso a provas anteriores. Por isso, trouxemos 2 questões antigas. Veja!

Exemplo sobre Interpretação de Texto com quadrinhos

Nessa tirinha, o candidato precisa entender a perspectiva divertida por trás do pensamento do personagem. Além disso, é necessário extrair o recurso morfossintático que dá sentido ao humor.

Exemplo sobre Compreensão Textual e Recursos Linguísticos

exemplo 2

Aqui, é preciso ter conhecimento do que são recursos linguísticos, de modo a conseguir encontrá-los no texto apresentado.

Como estudar para essa prova?

A preparação para o Enem precisa ser feita com antecedência, a fim de garantir o melhor resultado possível. Com a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, o pensamento não é diferente. Assim, veja algumas táticas para chegar bem afiado no dia!

Leia sempre que puder

Ler é importante em vários sentidos. Ajuda-nos a criar um senso crítico mais apurado, expande nosso vocabulário, amplia nossa capacidade de persuasão, desenvolve nosso conhecimento sobre a vida e outras culturas.

Também podemos conhecer mais profundamente, estilos literários, escritas e pensamentos de determinado autor e adquirir maiores habilidade na interpretação de texto. Isso é importante não apenas para a parte objetiva, mas, sobretudo, para a redação.

Saia do comum

Muitas vezes, apenas leitura de um livro torna o estudo maçante, não acha? Sendo assim, procure por formas alternativas de obter conhecimento. Se tiver dúvidas sobre um conteúdo específico procure por vídeos no YouTube, por exemplo. Quer entender como identificar orações subordinadas e coordenadas? É só digitar o termo e você encontrará materiais!

Não fique só na teoria

Estudar a teoria, entender todos os recursos linguísticos, saber a diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal e compreender as regras da crase é fundamental. Porém, é apenas na prática que temos a oportunidade de testar todo o conhecimento adquirido. E você não vai querer deixar para verificar isso apenas no dia, certo?

Sendo assim, faça simulados, realize exercícios, pegue provas antigas da parte de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Tente identificar aquelas questões que mais geram dúvidas para focar nelas durante seus estudos.

Relacione todos os conhecimentos

Ao ler um texto qualquer na internet, um gibi ou ao estudar outra matéria, analise os recursos e o estilos usados nele. Observe o que o autor usou para chamar a atenção e passar a informação. Em leituras de autores renomados, tenha atenção às estruturas das frases. Se possível, estabeleça comparações entre as escritas de autores mais antigos com os atuais.

Tente fazer pequenos exercícios mentais, como encontrar: sujeito, verbo, advérbio, orações coordenadas e subordinadas. Preste atenção nas vírgulas e crases. Isso tudo ajudará você a fixar ainda mais o conteúdo.

Como se preparar para o Enem?

Bem, nem só de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias é feita a prova. Sendo assim, pegue mais essas dicas, para se dar bem!

Consulte editais anteriores

No edital do Enem, constam as regras, proibições e exigências para as provas. Saber delas com antecedência ajudará você a alinhar seus estudos e a entender o que esperar no dia da prova. Além de verificar as orientações gerais, nesse documento também constam as matérias cobradas.

Faça um cronograma de estudos

Em sua rotina de estudos, todas as matérias devem ser estudadas. Para facilitar a organização, monte um cronograma de estudos. O plano ajudará a dimensionar o esforço com equilíbrio em cada disciplina, fazendo com que você tenha mais calma na preparação.

Para isso, determine a quantidade de horas diárias destinadas ao estudo e crie uma planilha com todos os assuntos possíveis de serem cobrados. Uma forma de facilitar isso é acompanhar o site Trilha do Enem. Ele avalia o seu nível de conhecimento, calcula o melhor cronograma para você e monta um plano individualizado, com focos nos seus pontos fracos.

O site, ainda, disponibiliza videoaulas e simulados do Enem, com o intuito de facilitar o aprendizado. O cadastro é gratuito, então, sem desculpas e não deixe para a última hora, viu!

Diversifique o modo de aprendizagem

Como dissemos antes, saia do comum! Não fique apenas com as leituras de livros e apostilas. Diversificar o modo de aprendizagem aumenta a motivação para os estudos e contribui para a melhor fixação do conteúdo. Aproveite as videoaulas disponíveis no Trilha do Enem e no YouTube, pois elas serão um diferencial na aprendizagem. Realize exercícios e simulados. Faça resumos e fichamentos.

Grupos de estudos também são ótimas formas de auxílio nesse momento. Uma ideia de fazer isso dar certo é combinar para que cada pessoa dê aulas à outra sobre determinado assunto. Essa atividade é rica tanto para quem ensina —por ser uma forma efetiva de reter a matéria — quanto para quem assiste, por ter a oportunidade de compreender o conteúdo a partir de uma linguagem mais próxima da sua.

Acompanhe blogs sobre o tema

Pegar dicas com especialistas e acompanhar todas as novidades sobre o universo do Enem e do vestibular são uns dos melhores conselhos a serem seguidos. Nesse sentido, existem alguns blogs que postam conteúdos relevantes sobre os temas.

No Vestibulares, você encontra vários artigos relevantes! Orientações de como escolher um curso de graduação, ou dicas para se dar bem em Matemática, além de sugestões para evitar os erros mais comuns na redação são alguns dos diversos exemplos.

Sabemos que a rotina de um estudante é bastante puxada! Contudo, arrumar um tempinho para acompanhar as postagens fará grande diferença nos seus resultados, viu!

Encontre suas dificuldades

Estudar aquela matéria pela qual nutrimos grande interesse e em que temos certa facilidade de compreender não é algo tão chato assim, concorda? Às vezes, isso faz até o tempo passar mais rápido!

Contudo, cuidado para não cair na cilada de dedicar sua atenção apenas ao que gosta. Os conteúdos mais difíceis também devem ser estudados, já que são passíveis de caírem na prova do Enem.

Assim, durante a resolução de exercícios, tente encontrar os pontos que geram mais dúvidas e se dedique a eles até a total compreensão. Uma dica é reunir, em um bloco, todas essas questões e temas mais difíceis, dedicando-se a resolvê-las em determinado dia da semana. A partir do momento que você sentir maior domínio sobre o tópico, retire-o da lista.

Treine como se estivesse na guerra

Na hora H, você precisará lidar com a pressão do tempo, o que costuma aumentar a ansiedade, prejudicando a concentração e o bom desempenho na prova. Para evitar esse desgosto, treine como se estivesse vivenciando esse dia.

É só pensar nos grandes competidores esportivos! Para participar de maratona, por exemplo, eles ficam treinando e tentando melhorar o resultado durante meses ou anos, não é? Aqui, a ideia é a mesma.

Assim, ao resolver simulados, cronometre seu tempo, coloque o celular no modo avião e retire todas as distrações do local. Fique apenas com os materiais permitidos para a prova. Caso o tempo chegue ao fim, antes que você termine tudo, pare mesmo assim. Reflita sobre o que levou você a demorar e invista em soluções e melhorias na próxima vez. Repita o processo sempre, até que sua performance esteja boa.

Tenha momentos de descanso também

Até maratonistas precisam de repouso! Então, por que você também não precisaria? Planeje momentos para descansar a mente. Durma o suficiente, assista a um filme. Isso trará mais energia para que seu organismo aceite a dedicação de horas diárias, ajudando-o a chegar no Enem mais preparado e com disposição suficiente para a competição.

Alguns estudantes gostam de se empenhar bastante de segunda a sábado e deixar o domingo para sair com os amigos e ir ao clube, por exemplo. Não é uma regra, mas é uma ideia interessante para pensar sobre.

Esse descanso também é importante na véspera do Enem, pois evita que bata aquele sono grande durante a prova. Já pensou que chato?

Cuide da saúde

E claro: não deixe sua saúde de lado! Além do repouso, procure ter boa alimentação e não ficar sedentário, pois isso também influencia no seu rendimento durante os estudos. Evite refeições com excesso de frituras e doces, por exemplo. Dê preferência a algo mais leve, como: legumes, verduras, proteínas magras e grãos. Conseguir uma vaga é importante, mas não adianta chegar lá fisicamente e psicologicamente debilitado, concorda?

Como a prova é corrigida?

Sabe aquele método simples de contabilizar apenas as questões certas? Esqueça-o! Ele não vale para o Enem. Aqui, a lógica é mais complexa, pois são atribuídos pesos diferentes a cada questão, de forma individual. Isso significa que se você e um colega acertarem a mesma quantidade de itens, poderão ter notas diferentes.

A correção é feita por um sistema informatizado que lê o cartão-resposta de cada candidato. Com base nos resultados, uma equipe com diferentes especialistas (matemáticos, estatísticos e psicometristas) analisa tudo até chegarem a um modelo chamado Teoria da Resposta ao Item (TRI). Ele influencia na atribuição dos pesos das questões, levando em conta:

  • grau de dificuldade do item;
  • possibilidade de acerto casual;
  • discrepância de conhecimento entre os estudantes.

Para chegar a uma resposta, o sistema é programado para saber que:

  • se o candidato tem grande conhecimento sobre o assunto, a ponto de acertar as questões consideradas difíceis, ele precisa ir bem nas fáceis e nas médias;
  • as respostas aos itens devem ser coerentes, sem contradições.

Ah! Uma dica importante: ainda que o computador consiga identificar chutes, caso você não saiba de uma resposta, é melhor chutar do que deixá-la em branco, combinado? Pois os itens não respondidos são contabilizados como errados.

E a redação?

Já a parte da redação do Enem é avaliada de forma diferente. Ao menos dois avaliadores a leem e atribuem a pontuação, sendo que um não tem acesso à correção do outro. As competências avaliadas são:

  • domínio de ortografia e da linguagem escrita formal;
  • compressão e aplicação do tema proposto;
  • organização do pensamento;
  • mecanismos de argumentação e coesão;
  • respeito aos direitos humanos.

Cada especialista concede uma nota de 0 a 200 a cada um desses itens, podendo totalizar 1000 pontos. A nota final é resultado da média aritmética dada por eles. O aluno zera a redação se:

  • a deixar em branco;
  • fugir do tema;
  • desrespeitar direitos humanos;
  • desenvolver menos que 7 linhas;
  • não seguir a estrutura dissertativa-argumentativa solicitada.

Bem, falamos, então, de umas das 4 grandes áreas de conhecimento do Enem: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Ao longo do texto, você entendeu as matérias que ela abrange, os temas abordados e viu alguns exemplos de como o conhecimento é cobrado. Também demos dicas de como estudar para essa parte da prova, além de outras para ir bem no desempenho geral.

O que achou do artigo? Se gostou, então, com certeza, você adorará saber como usar o gabarito do Enem dos anos anteriores ao seu favor!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 6

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: