É possível usar o FIES para o curso de Medicina?

profissional de medicina

O curso de Medicina não tem fama de difícil por acaso. Ele costuma ocupar o topo da lista dos mais concorridos no ensino público, levando candidatos e candidatas a buscarem opções viáveis no ensino particular. O problema é que, devido a custos de equipamentos e recursos, entre outras coisas, a mensalidade pode sair cara.

Para se ter uma ideia, os valores para cursos de Medicina no Brasil estão na faixa de R$ 6.200. Ao mesmo tempo, a profissão tem um dos salários mais altos, com média de R$ 7.518,45* e teto de R$ 18.911,06*. Infelizmente, o preço da faculdade representa uma barreira para muita gente.

A boa notícia é que existem alternativas para equilibrar as contas, sendo uma das mais conhecidas o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil). Neste post, você encontra informações fundamentais sobre esse programa e sua aplicação à Medicina. Continue a leitura e descubra como ingressar em uma boa faculdade da área!

É possível utilizar o FIES para Medicina?

O FIES é um programa criado pelo MEC (Ministério da Educação) que oferece financiamento a juros muito baixos para estudantes de faculdades não gratuitas. Podem recorrer ao empréstimo pessoas devidamente matriculadas e que atendam aos critérios oficiais estabelecidos.

O valor só começa a ser pago um tempo depois da formatura e em parcelas acessíveis. Assim, o estudante pode pavimentar seu caminho profissional até chegar no ponto de obter retorno financeiro. Nesse momento, a ideia é que ele já tenha estabilidade o suficiente para seguir sua trajetória com autonomia.

Devido às vantagens óbvias do FIES, ele tende a ser concorrido. Para obter aprovação, é importante que você siga um excelente plano de estudos para o Enem e obtenha uma nota alta. Lembrando que existem outras opções relevantes como bolsas, financiamentos e descontos.

Então, posso usar o FIES para o curso de Medicina? A resposta é sim! O programa ajuda muita gente a começar uma formação de qualidade e desenvolver uma carreira. Para melhorar, por ser parte da grande área da saúde, o campo costuma adquirir prioridade na distribuição dos recursos.

Como funciona o FIES e quais são os pré-requisitos?

Na prática, o FIES funciona de maneira simples. Se o estudante cumpre todos os requisitos, está apto a solicitar o benefício. Caso seja selecionado, deve arcar apenas com uma taxa mensal de juros, muito menor do que as mensalidades elevadas do curso.

Um ponto importante é que apenas quem é brasileiro pode se candidatar ao auxílio. Isso porque se trata de um investimento público que tem como objetivo fortalecer o mercado nacional. Outros critérios existentes são:

  • ter pontuação acima de 450 pontos no Enem;
  • ter renda per capita familiar de até três salários mínimos;
  • estar realizando a primeira graduação;
  • não zerar a redação do Enem;
  • fazer inscrição no processo seletivo;
  • estudar em uma faculdade aprovada na avaliação do MEC.

Pode ser útil conhecer um pouco alguns desses aspectos. Em relação ao Enem, por exemplo, a ideia é aplicar uma forma objetiva de avaliar os candidatos que se inscreveram para o FIES. Eles vão ser atendidos ou não de acordo com a nota obtida, em ordem de classificação.

Por isso, nada de ficar com preguiça de estudar. O vestibular de Medicina é muito disputado, exigindo uma excelente preparação. Também vale a pena ficar ligado nos vestibulares menos concorridos de Medicina.

Plano de Estudos para Medicina

A renda familiar é um jeito de medir quem realmente precisa do benefício. Para saber o valor per capita, é só pegar a renda total da família e dividir pelo número de pessoas — per capita, em latim, significa “por cabeça”. Se o resultado for menor ou igual a três salários, mínimos, você atende as condições.

Outra coisa que merece atenção é a avaliação da faculdade pelo MEC. Só são consideradas para o FIES aquelas que possuem nota maior ou igual a 3, sendo que notas 4 e 5 recebem prioridade. A nota de um curso pode ser consultada no sistema do MEC.

Quais são as alternativas de bolsas e financiamentos para Medicina?

Não passei no FIES, e agora? Antes de mais nada, fique tranquilo, é importante ter em mente que hoje em dia muita gente deseja fazer faculdade de Medicina e, por isso, conseguir o auxílio do programa pode ser difícil. Para evitar frustrações, vale a pena contar com um plano B.

Opções valiosas de bolsas, descontos e financiamentos podem ser obtidas com a própria instituição. O aluno tem abertura para apresentar sua situação com clareza e buscar uma solução satisfatória. Com comprometimento mútuo, é normal que o aluno e a faculdade cheguem a valores acessíveis.

Entre as possibilidades existentes está a modalidade de incentivo. Ela é destinada a pessoas que desejam iniciar um curso superior mas encontram dificuldades financeiras. Quem atende aos requisitos tem boa chance de obter o benefício.

Outra modalidade é a bolsa de primeiro semestre, que afeta o valor da primeira mensalidade. Também há bolsas similares relacionadas à pontualidade dos pagamentos e ao desempenho do aluno. Em todos os casos, é concedido um abatimento no preço.

Muitas instituições oferecem descontos para funcionários públicos (federais, estaduais e municipais), que valem ainda para seus filhos de até 24 anos. É um caso parecido com os convênios entre empresas e faculdades, que beneficiam funcionários de empresas parceiras. A porcentagem da bolsa varia de caso a caso.

O aluno que tem outra pessoa da família na instituição ou que está cursando sua segunda graduação também pode conseguir valores diferenciados. Basta informar à instituição no momento da matrícula. Estudantes que chegam de outra faculdade, realizando transferência externa, recebem um estímulo que pode alcançar 35%.

Outro mecanismo viável é o Prouni, que concede bolsas de estudos integrais para alunos de faculdades particulares. Existem, por fim, opções privadas para financiar o curso de Medicina, sem falar do Amigo Vale-Prêmio, válido para Unime, Uniderp, Unic e Faculdade Pitágoras.

Como você pôde ver, existem muitas formas para viabilizar uma educação de ponta. O decisivo é avaliar com atenção o seu caso específico e buscar uma maneira adequada de apostar na formação. Pensando desse jeito, o financiamento da faculdade de Medicina é um investimento seguro, que oferece retorno garantido graças ao status duradouro da profissão.

Bom, agora que você já conhece o FIES e algumas possibilidades de ingressar no ensino superior, que tal aprofundar no assunto? Afinal, mais conhecimento sempre ajuda a tomar uma decisão correta. Baixe o nosso e-Book de Plano de estudos para Medicina e comece a preparar seu futuro profissional!

*Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: