Era Vargas: o que foi e como estudar esse tópico?

estudante em biblioteca

Estudar História é um processo muito diferente para as pessoas. Para alguns, essa é uma matéria que flui com naturalidade, enquanto outras relatam uma certa dificuldade em assimilar os conteúdos propostos. Por isso, em linhas a seguir, explicaremos de maneira clara e objetiva um dos temas que mais caem no vestibular: a Era Vargas.

Esse é um dos períodos mais longos do Brasil e, também, um dos mais conturbados. Getúlio Vargas é uma figura marcante em nossa história. Ele foi polêmico em sua época e, até hoje, deixa as pessoas divididas. Certamente, essa é uma das grandes marcas do Chefe de Estado brasileiro, que era um verdadeiro camaleão e se adaptava às situações com maestria.

Não sabe nada sobre esse assunto? Já sabe, mas gostaria de relembrá-lo? Tem dificuldades em entender História? Independentemente de qual seja o seu caso, este é o texto certo para você! Vamos lá?

Quem era Getúlio Vargas?

Para que possamos realmente ir bem na matéria de História no Enem e em outros vestibulares, precisamos compreender os períodos como processos. Por isso, nada de irmos direto ao ponto. Antes, vamos discutir brevemente a vida e a pessoa de Getúlio Vargas, um governante com múltiplas facetas e que soube jogar o jogo político como ninguém.

Vargas era um advogado nascido e criado no Rio Grande do Sul, mais especificamente na cidade de São Borja. Obteve ascensão política em sua região e participou ativamente da oposição contra a Política do Café com Leite, parte da República Velha.

A sua participação aconteceu em um episódio chamado de Revolução de 1930. Nela, o presidente que deveria tomar posse — Júlio Prestes — foi impedido em uma jogada que nomeou Vargas como presidente do Brasil.

O que foi a Era Vargas?

A Era Vargas foi um período longo na história do Brasil: durou 15 anos. Esse momento está dividido em três etapas:

  • Governo Provisório, que aconteceu logo após a Revolução de 1930;
  • Governo Constitucional, que aconteceu após efeitos da Revolução Constitucionalista;
  • Estado Novo, período ditatorial que se deu entre 1937 até 1945.

Ao tomar posse, Vargas foi bem recebido e representava, de certa forma, a mudança que a população brasileira gostaria de ver em seus governantes. Nesse momento, criou uma série de melhorias democráticas, como o Ministério do Trabalho e as Leis Trabalhistas.

No entanto, Vargas não tinha o apoio da elite paulista, insatisfeita com a posse de um gaúcho para a presidência. Afinal, a Política do Café com Leite fazia com que alternassem no Governo um mineiro e um paulista.

Os paulistas se aproveitaram do fato de Vargas não convocar a Assembleia Constituinte e as novas eleições para, então, gerar uma revolta que ficou conhecida como Revolução Constitucionalista de 1932. Infelizmente, quatro estudantes morreram no combate, o que fez com que a população se engajasse em todo o episódio.

Vargas, então, convocou a Assembleia e criou a nova Constituição. Começou, aí, o período do Governo Constitucional. O fim desse momento histórico se deu com a aplicação de um novo golpe, que fez com que começasse o período do Estado Novo. Aqui, Vargas adotou um perfil ditatorial e muito semelhante com o que se observava, por exemplo, na Itália de Mussolini.

Para ir bem nos temas da Era Vargas no vestibular, você precisa aprofundar os seus estudos em cada um desses períodos. Por isso, sugerimos que dê uma olhada nas aulas do Trilha do Enem, dadas pelos melhores professores de História e de várias outras matérias essenciais para as provas!

Quais foram os episódios e as características marcantes desse período?

A seguir, veremos alguns pontos sobre a Era Vargas que não podem ser esquecidos pelo vestibulando:

banner calculadora bolsa enem
  • foi nesse Governo que ocorreram mudanças no voto (passou a ser secreto, mulheres puderam votar, etc.);
  • leis trabalhistas foram criadas no Governo Vargas;
  • a política foi extremamente populista;
  • a criação da Petrobras também ocorreu nesse período;
  • a propaganda política era muito forte, com programas com a Voz do Brasil, que existe até hoje;
  • o poder era muito centralizado e forte nas mãos do Presidente.

Como foi o fim da Era Vargas?

O fim da Era Vargas se deu a partir de uma série de eventos, mas o mais marcante foi justamente a “hipocrisia” observada no presidente do Brasil. Como mencionamos, Vargas era um homem de muitas facetas e que facilmente se adaptava às situações que o mundo vivia no momento. Porém, essa foi a principal razão para a sua queda.

O seu governo ia aos moldes ditatoriais do fascismo e, por vezes, do nazismo observados na Europa. O que gerou estranhamento em vários setores da população foi que, na Segunda Guerra Mundial, o país acabou se aliando aos Estados Unidos contra os regimes de Adolf Hitler e Benito Mussolini.

Isso gerou uma grande tensão política e fez com que a oposição ao Governo Vargas tomasse forma e força. Vargas, então, não teve alternativa a não ser flexibilizar gradualmente as suas atitudes. Foi deposto pouco depois, abrindo espaço para um presidente eleito, Eurico Dutra.

Vale a pena lembrar que, alguns anos à frente, Vargas voltou à Presidência do Brasil, dessa vez como presidente democraticamente eleito. Esse foi um outro período, conhecido como Governo Democrático, muito polêmico e que terminou com o suicídio do governante, em 24 de agosto de 1954.

Aproveitando o tema, que tal saber um pouquinho mais sobre a Ditadura Militar? Ainda que sejam períodos cronologicamente afastados um do outro, certamente o Governo Vargas deixou rastros que tiveram impactos nos Governos Militares do Brasil, especialmente no que diz respeito ao comportamento inicial da população.

Lembrando que estabelecer essas relações e buscar indícios da interferência de um período em outro (como consequências, semelhanças etc.) é um dos melhores exercícios para o estudo da matéria de História!

Como esse assunto pode ser cobrado no Enem e nos vestibulares?

A Era Vargas no Enem e nos vestibulares é cobrada de muitas maneiras. Normalmente, aparece em forma de questões da disciplina de História, de forma direta, cobrando os conhecimentos do estudante.

No entanto, também pode dar as caras em questões interdisciplinares, estabelecendo relações entre esse período e outros — como a Ditadura Militar — ou até mesmo comparando o governo com o de outros países.

Além de aparece em questões da prova de Sociologia no Enem, o contexto histórico também pode ser mesclado com assuntos como a Literatura. E, claro, esses conceitos podem facilmente ser utilizados em sua redação do Enem, deixando-a muito mais interessante e com muita bagagem cultural!

Quer dar uma boa recapitulada no assunto agora? Então, confira a aula Cidadania Brasileira: do Império à Era Vargas, do Prof. Moisés, do Trilha do Enem!

Aprofunde seus estudos

Gostou de conhecer mais sobre a Era Vargas? Entender esse período é essencial para qualquer vestibular, já que é um tema recorrente nas provas das mais variadas instituições e, claro, no Enem. Agora, não deixe de aprofundar os seus estudos no assunto e caprichar em seus resumos e mapas mentais, que serão fundamentais para o seu preparo!

Como vimos, Vargas foi um governante que ficou bons anos no poder por meio de Golpes de Estado. Essa prática é, obviamente, antidemocrática. Por isso, que tal fazer uma leitura sobre Democracia e chegar no Enem entendendo tudo sobre esse assunto?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.