Segunda Guerra Mundial: como esse assunto pode cair no Enem?

como a segunda guerra mundial cai no enem

Como se preparar para o Enem sem estudar a Segunda Guerra Mundial? Isso não existe, é fato! Esse evento da história mudou o mundo como o conhecemos, trazendo questões que até hoje são atuais, como o ultranacionalismo, o desprezo às minorias e a própria sede de poder.

O conflito pode ser pedido no Enem de diversas formas. Por isso, aqui no blog, nós trouxemos um panorama que vai do começo ao fim da guerra, com destaque aos pontos mais cobrados em vestibulares. Vamos com a gente para mandar bem nas provas?

O que foi a Segunda Guerra Mundial?

A Segunda Guerra Mundial foi, simplesmente, o maior conflito que a humanidade já presenciou. Com o início em 1939 e término em 1945, foram mais de 70 milhões de mortos, sendo que 50 milhões eram civis, ou seja, foi o conflito mais letal da história e que até hoje deixa medo e trauma.

Outro fator importante é que a maior parte das nações e as principais potências da época estiveram envolvidas, como Japão, Estados Unidos, Alemanha, França e União Soviética. Assim, o evento trouxe perdas e transtornos ao mundo inteiro.

Segunda Guerra Mundial no Enem? Veja como o assunto pode cair!

A Segunda Guerra Mundial trouxe diversos contextos que podem virar tema do Enem. Nós reunimos os principais deles e falamos um pouco melhor a seguir.

Como ela começou?

O pretexto para o início da Segunda Guerra Mundial foi a invasão da Polônia pela Alemanha em setembro de 1939. Na sequência, vieram algumas declarações de guerra contra a Alemanha dadas pela França e por países do Império Britânico.

A verdade é que a Primeira Guerra Mundial mudou o mapa da Europa. Quando os Impérios Centrais perderam, Alemanha, Áustria e Império Otomano tiveram seus territórios reduzidos, enquanto França, Itália, Grécia e Romênia saíram vitoriosas. Na prática, foi o início de movimentos nacionalistas que focavam revanches. Adolf Hitler, mesmo, serviu o exército alemão durante a Primeira Guerra e não aceitou perder.

A necessidade de recuperar os territórios, o gosto amargo de derrota e o forte sentimento nacionalista cresciam pouco a pouco. Isso tudo também foi acentuado por conta do Tratado de Versalhes, que impunha perdas consideráveis de território à Alemanha.

Como os países se dividiram?

A Segunda Guerra foi dividida pela disputa entre Eixo, composto por Alemanha, Itália e Japão, e Aliados, que eram formados por França, Inglaterra, EUA e, mais tarde, União Soviética. O Brasil entrou na guerra apenas em 1942 contra o Eixo.

O que foi o nazismo?

Estudar a Segunda Guerra Mundial e não mencionar o Nazismo é praticamente impossível. O termo se refere à ideologia do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães. Quando Hitler assumiu o controle dele, o objetivo era criar uma Alemanha unida e que negasse cidadania a judeus e a seus descendentes.

Hitler fazia pouco caso da democracia parlamentar e acumulava mais e mais poder, até que se tornou chanceler em 1933 — e detalhe — com o apoio de boa parte da população, principalmente da elite alemã.

Foi assim que o nazismo se transformou em um regime unipartidário e totalitário, ou seja, qualquer opositor político, judeus e minorias, como gays, negros e ciganos, eram marginalizados, escravizados e assassinados.

Campos de concentração nos quais essas minorias eram submetidas a trabalhos forçados tornaram-se comuns em todos os territórios controlados pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial.

Um dos mais emblemáticos é Auschwitz, no qual estava escrito no letreiro de entrada “o trabalho liberta”, uma ironia triste, já que muitos presos nunca saíram com vida. Inclusive, o Holocausto é o termo usado para o genocídio em massa dos judeus (mais de seis milhões de homens, mulheres e crianças).

Como o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial?

O Brasil, como já dissemos, só passou a participar do conflito em 1942, quando o presidente da República era Getúlio Vargas. Até então, o Brasil se colocava como neutro diante do conflito. A questão foi que, após alguns ataques a navios brasileiros, Getúlio chegou a um acordo com o presidente americano Franklin D. Roosevelt para a participação no confronto.

Nosso país, entretanto, contava com um contingente pequeno e foi preciso convocar recrutas e reservistas, como médicos, enfermeiras e advogados. Ao todo, o Brasil enviou aproximadamente 25 mil homens.

Como as bombas atômicas surgiram?

O Japão havia atacado a base americana de Pearl Harbor em 1941, sem antes fazer qualquer anúncio. Com isso, os dois países passaram a lutar no pacífico. Para os EUA, invadir o Japão seria algo custoso e impossível e, dessa forma, os militares lançaram a bomba atômica, forçando a rendição japonesa.

A primeira delas foi em Hiroshima e chamava-se Little Boy. A segunda levou o nome de Fat Man e foi em Nagasaki. Juntas, as duas bombas mataram mais de 200 mil pessoas.

Quem ganhou a Segunda Guerra Mundial?

É difícil usar o verbo “ganhar” quando milhares são dizimados, campos de concentração provocam traumas na humanidade e tantos inocentes perdem a vida. Porém, em 1945, os Aliados derrotaram o Eixo em diversas disputas ao redor do mundo. O Japão rendeu-se, e Hitler morreu em abril de 1945.

Quais são os saldos da Segunda Guerra Mundial?

Além de ter sido a guerra mais sangrenta até hoje, ela trouxe uma nova ordem mundial e temas que, ainda, são muito atuais. Relembre os principais deles!

  • desenvolvimento tecnológico e militar: novos caças, porta-aviões e armamentos surgiram graças aos enormes investimentos realizados durante a guerra. Estima-se que os EUA tenham gasto quase US $ 300 bilhões;
  • violação dos direitos humanos: os crimes de guerra são violações do Direito Internacional quando uma das partes ataca civis, não apenas militares, o que foi muito comum na Segunda Guerra Mundial;
  • transformações no cenário político e econômico: uma nova ordem mundial passou a surgir, com o mundo dividido entre os Estados Unidos (capitalismo) e a União Soviética (socialismo). A corrida armamentista, o medo de uma nova guerra e a Alemanha dividida pelo muro de Berlim são fatores importantes;
  • temas como racismo e xenofobia no mundo: o racismo dos europeus e a xenofobia (aversão e ódio a estrangeiros) continuam comuns com refugiados na Europa e até mesmo imigrantes nos EUA.

Como se preparar para as questões?

Além de ler livros de História e muitos resumos, hoje você pode ouvir podcasts que tratem do assunto e assistir a filmes que mostrem um pouco desse cenário da Segunda Guerra. Boas opções de obras cinematográficas sobre o assunto são:

  • Dunkirk;
  • O menino do pijama listrado;
  • A lista de Schindler;
  • O resgate do soldado Ryan;
  • Pearl Harbor;
  • A vida é bela.

A História é uma das áreas do conhecimento que merece ser estudada e entendida para que erros do passado não se repitam no futuro. Por isso, a Segunda Guerra Mundial é um tema tão recorrente nos vestibulares e Enem. Uma dica é fazer mais simulados no Trilha do Enem sobre o assunto e diminuir a tensão antes das provas. Assim, você estuda muito mais que esse período tão emblemático.

Agora que você viu como foi a Segunda Guerra Mundial e aproveite para ver dicas de como fazer uma conclusão perfeita na redação!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 12

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: