Qualificação profissional: o que o mercado espera hoje?

qualificacaoprofissionaloqueomercadoesperahoje

As notícias e os dados que você provavelmente já conhece sobre o mercado de trabalho não mentem: trata-se de um meio competitivo, no qual se destacam aqueles que mais investem em qualificação profissional.

Isso porque as empresas estão em busca de colaboradores que não só consigam desempenhar determinada função, mas que também somem à estratégia da organização com habilidades, visões e estratégias. Ter um diploma de graduação, seguindo a lógica, é um passo fundamental.

O ingresso no ensino superior transforma o aluno em um profissional preparado para suprir às demandas dos negócios atuais — munindo-o, também, de conhecimentos que o ajudarão até mesmo a empreender. Tudo isso sem falar nas experiências vivenciadas durante esse período, como estágios e projetos de extensão.

Se você busca êxito na carreira, mas ainda não compreende as verdadeiras vantagens de se destacar por meio de uma graduação, continue por aqui. Falaremos sobre esse tema no post. Vamos conferir?

Qual é a qualificação profissional esperada no mercado?

Os programas de financiamento e a maior disponibilidade de modalidades flexíveis para cursar uma graduação, como EAD e semipresencial, tornaram o acesso ao ensino superior mais acessível para todos.

Como consequência, é crescente o número de profissionais que se formam na faculdade todos os anos, buscando por uma boa oportunidade com seus diplomas em mãos. Isso certamente representa um desafio para quem ainda não tem qualificação profissional, uma vez que as exigências dos empregadores são altas.

Mas o que é qualificação profissional? Trata-se de um conjunto de conhecimentos, habilidades e práticas obtidas por meio de uma formação. Assim como o ensino médio prepara o aluno para o vestibular, a graduação prepara o estudante para atuar no mercado de trabalho com excelência.

A graduação, então, é o melhor exemplo de qualificação profissional. Se o diploma de nível superior era um diferencial no currículo até certo tempo, hoje, trata-se do mínimo para se candidatar a determinadas posições.

Em outras palavras, por mais que você se sinta preparado para executar uma função, a ausência de uma experiência acadêmica na área pode se tornar um empecilho para ser contratado. Imagine só perder a oportunidade dos sonhos por não ter os conhecimentos técnicos e práticos que só uma graduação oferece?

É importante estar a par dessa exigência para não acabar fazendo parte das porcentagens de desemprego no país. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 65% das pessoas sem trabalho no Brasil não têm ensino superior. Sendo assim, o primeiro passo para aumentar a empregabilidade, ampliar conhecimentos e obter experiência é cursar uma faculdade.

Qual é o peso de um diploma?

As informações que trouxemos até aqui mostram a importância da qualificação profissional. Contudo, qual é o real peso de um diploma para a vida e para o currículo? É válido destacar que ele corresponde a muito mais do que um certificado impresso bem-visto pelos recrutadores. Obter um significa que o candidato passou pela experiência da graduação, adquirindo conhecimento, desenvolvendo habilidades, entre outras vantagens.

Não poderíamos deixar de lado a remuneração: quem tem diploma de nível superior pode ganhar até duas vezes mais do que um trabalhador com menos escolaridade. Esses são dados levantados pelo IBGE e comparados com os das nações participantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Embora um salário condizente não seja garantia de satisfação profissional, trata-se, é claro, de um atrativo muito importante.

O que pode ser feito para se diferenciar?

Quando falamos em empregabilidade, ir em busca de qualificação profissional já é algo que o coloca no mesmo nível dos outros candidatos que também cursaram ou estão cursando uma graduação.

No entanto, é claro que as empresas sempre darão preferência àqueles que de alguma forma se sobressaem. Isso faz sentido, uma vez que o diploma é o mesmo para todos, mas as experiências vividas por cada profissional durante a faculdade, por exemplo, são diferentes — ou seja, existem maneiras de se destacar perante a alta concorrência.

Como? Veja a seguir!

Capriche no currículo

Tão importante quanto o diploma é contar com um currículo bem-feito. Preencha o documento com seu nome completo e dados de contato. Em seguida, escreva o seu objetivo profissional, campo que deve ocupar até duas linhas. Um exemplo, aqui, seria: “Atuar no setor de (x), utilizando meus conhecimentos para potencializar os resultados da empresa e crescer dentro dela”.

Depois, especifique o seu grau acadêmico em ordem de relevância (ou seja, pós-graduação, graduação, ensino médio e assim por diante). As suas experiências profissionais devem ser listadas da mais recente à mais antiga, especificando cargo e atribuições. Por fim, complemente o currículo com certificados relevantes e competências (segunda língua, domínio de ferramentas tecnológicas etc.).

Veja no vídeo abaixo algumas das dicas do Canal Conecta – portal de empregabilidade:

Faça networking na faculdade

Praticar networking significa criar uma rede de contatos profissionais. Isso é algo muito importante, sobretudo quando falamos de carreira e de âmbito corporativo. Ao criar conexões e nutrir um relacionamento com elas, você aumenta suas chances de ser lembrado quando surgir alguma oportunidade de emprego ou estágio alinhada aos seus objetivos. Além disso, vale lembrar que muitas parcerias e negócios de sucesso começaram justamente por essa iniciativa.

O melhor de tudo é que você já pode começar a montar a sua rede ainda na faculdade. Por isso, mantenha um bom relacionamento com os colegas e os professores e escolha uma instituição que facilite a prática, como veremos logo a seguir.

Opte por instituições de ensino diferenciadas

Ainda não tem experiências para colocar no currículo? A melhor solução para reverter esse quadro é justamente ingressar no ensino superior. Entrando na faculdade, você aumenta as chances de participar de eventos, palestras, workshops; de fazer iniciação científica, de ser parte de um projeto de extensão, de se envolver com programas de voluntariado… tudo isso pode ser mencionado no currículo de quem está dando seus primeiros passos no mercado.

Sem falar, é claro, nas oportunidades de estágio e de primeiro emprego. É aqui que a escolha da instituição pesa bastante. Dê preferência a uma faculdade que coloca o aluno em contato direto com oportunidades promissoras, seja por parceria com grandes empresas, seja por meio de portais de vagas exclusivos para os alunos da rede de ensino.

Ficou clara qual é a qualificação profissional mínima esperada pelo mercado, certo? Além de um diploma enriquecedor para o currículo, a graduação potencializa a empregabilidade, abre portas para oportunidades alinhadas ao seu perfil e aumenta até mesmo a média salarial.

No entanto, lembre-se de que entrar para a faculdade é um investimento. Portanto, todo o planejamento é necessário antes de escolher uma instituição de ensino e prestar vestibular. Pesquise bastante e avalie critérios que validem o custo-benefício da formação.

Por falar em vestibular, você sabia que existem diferentes modalidades referentes a esse processo seletivo? Acesse o nosso post completo sobre vestibular e confira informações relevantes sobre o assunto. Te esperamos por lá!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: