O que são leucócitos? Como estudar a matéria?

leucócitos

O nosso corpo funciona como uma orquestra perfeita. Nele, diversas estruturas funcionam simultaneamente para gerar uma única reação. Isso não é diferente quando falamos sobre a invasão do organismo por corpos estranhos, como vírus e bactérias. Quando isso acontece, uma verdadeira força-tarefa é ativada em nossas células.

Os principais soldados nesse contexto são os leucócitos, células presentes no sangue (produzidas na medula óssea) e que são popularmente conhecidas como glóbulos brancos. Eles atuam na linha de frente contra invasões ao organismo, nos protegendo e garantindo que a ameaça seja neutralizada.

Quer saber mais sobre esses carinhas? Então, continue a leitura!

Qual a importância dos leucócitos?

Os leucócitos são pequenas células nucleadas, de formato redondo, que compõem o nosso sangue. Além deles, temos também as hemácias (glóbulos vermelhos ou eritrócitos), que transportam oxigênio por todo o corpo, e as plaquetas, que são fundamentais para a coagulação sanguínea.

A principal função dos leucócitos é a defesa do organismo. Quando um vírus ou uma bactéria estranha entra no corpo humano, eles se unem para destruir o invasor e eliminar os seus resíduos.

Quais são os seus tipos?

Os tipos de leucócitos existentes em nosso sangue são:

  • neutrófilos — primeiros leucócitos a entrarem em ação em caso de problemas no organismo. Realizam fagocitose;
  • eosinófilos — atuam comumente em casos de alergias e problemas com parasitas;
  • basófilos — também são grandes atuantes nos processos alérgicos e liberam substâncias que suavizam os sintomas da alergia;
  • mastócitos — são leucócitos também atuantes em alergias e em inflamações gerais;
  • linfócitos — existem os do tipo B e T e são fundamentais para a produção de anticorpos, ou seja, da resposta imune do organismo e da memória imunológica.

Qual é o valor de referência?

O valor de referência para leucócitos em um hemograma dependerá de muitos fatores. Entre eles, podemos citar:

  • espécie;
  • idade do organismo;
  • etnia;
  • medicamentos utilizados por aquele paciente.

Em gatos, por exemplo, o número de leucócitos pode ser afetado com simples situações de estresse. Em crianças humanas, a contagem ideal mínima pode chegar a 7.000/mm³, enquanto em adultos a faixa mínima chega a 4.500/mm³.

O que significa estar com leucócitos altos e baixos?

Estar com os leucócitos altos pode significar uma série de coisas. No entanto, sua interpretação mais comum é a presença de uma inflamação ou uma infecção ativa no organismo, seja a partir da entrada de um patógeno, seja a reposta de um processo alérgico.

Já a contagem baixa de glóbulos brancos está normalmente relacionada a algum problema em sua produção.

Quais são suas formas de atuação?

Os leucócitos atuam de diferentes maneiras. Eles podem trabalhar direto na fagocitose (uma espécie de digestão) dos corpos estranhos ou na criação de uma resposta imunológica para aqueles ataques.

A resposta imunológica também é obtida com as vacinas. Ao perceberem uma invasão no organismo, os linfócitos entram em ação e mapeiam o inimigo, identificando suas características genéticas e as informações de como combatê-los.

banner calculadora bolsa enem

Assim, quando entramos em contato com a doença novamente, os sintomas são atenuados, e o combate ao problema é muito mais rápido, pois os leucócitos já sabem como fazê-lo (memória imunológica).

Como estudar esse tema para o Enem?

Agora, veja algumas dicas para tornar o aprendizado sobre os leucócitos muito mais eficiente. Vamos lá?

Faça bons resumos e mapas mentais

Um dos primeiros passos para mandar bem no Enem e nos vestibulares é caprichar na realização de bons resumos e mapas mentais. Eles ajudarão bastante na fixação do conteúdo e serão fundamentais para as revisões.

Escolha materiais de qualidade para estudar

A prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias tem uma alta complexidade e, por isso, você deve escolher bons materiais e professores para o guiarem nesse processo. O portal Trilha do Enem é uma ótima alternativa gratuita!

Lembre-se de fazer boas revisões

Para ir realmente bem na prova de Biologia no Enem, é interessante revisar de vez em quando os conteúdos vistos. Afinal, precisamos estudar muita coisa e, pouco a pouco, as matérias vão sendo esquecidas. Sendo assim, inclua o tema de leucócitos nas revisões!

Entenda conceitos paralelos

Ao estudarmos Biologia, precisamos intercalar o que estamos vendo com outros assuntos. É possível mesclar o tema de leucócitos com matérias como mitose e meiose, citologia, doenças infecciosas… Afinal, muita coisa está interligada.

Entenda os exames mais comuns

Ainda que você não queira fazer cursos como Medicina, Veterinária ou Farmácia, é fundamental que você entenda bem os conceitos dos principais exames para resolver questões sobre o assunto. Estude o hemograma e entenda o que as principais alterações podem indicar.

Como o tema é cobrado no Enem?

Para fechar o nosso bate-papo, vamos conferir uma questão que já caiu no Enem e que pode exemplificar o modo como esse assunto é cobrado por lá.

(Enem 2011) Um paciente deu entrada em um pronto-socorro apresentando os seguintes sintomas: cansaço, dificuldade em respirar e sangramento nasal. O médico solicitou um hemograma ao paciente para definir um diagnóstico. Os resultados estão dispostos na tabela:

Constituinte – Número normal – Paciente

Glóbulos vermelhos – 4,8 milhões/mm³ – 4 milhões/mm³

Glóbulos brancos – (5 000 – 10 000)/mm³ – 9 000/mm³

Plaquetas – (250 000 – 400 000)/mm³ – 200 000/mm³ Relacionando os sintomas apresentados pelo paciente com os resultados de seu hemograma, constata-se que

a) o sangramento nasal é devido à baixa quantidade de plaquetas, que são responsáveis pela coagulação sanguínea;

b) o cansaço ocorreu em função da quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pela coagulação sanguínea;

c) a dificuldade respiratória decorreu da baixa quantidade de glóbulos vermelhos, que são responsáveis pela defesa imunológica;

d) o sangramento nasal é decorrente da baixa quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pelo transporte de gases no sangue;

e) a dificuldade respiratória ocorreu pela quantidade de plaquetas, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue.

Resposta: letra a.

Não conseguiu fazer a questão? Não se preocupe! Esse é um tema que envolve uma série de assuntos que talvez ainda não tenham sido estudados. E, mesmo se já foram, errar faz parte do processo de aprendizagem. É por isso que temos que resolver muuuitas questões para ficarmos craques no assunto!

Não pare por aqui!

Agora que você já sabe o que são os leucócitos e como eles funcionam, está na hora de botar a mão na massa: faça um bom cronograma de estudos e se esforce bastante. Em breve, isso renderá frutos e você conquistará a sua tão sonhada vaga na faculdade!

Aproveite e dê uma olhadinha em nosso post sobre citologia. Lá, você poderá aprender novos conceitos e abrir seus livros já com uma boa ideia do que esperar quando for estudar esse assunto. Até a próxima!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 1 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.