Globalização: o que é e como cai no Enem?

mapa mundi representando globalização

A globalização é figurinha carimbada nas listas de temas relevantes para o Enem. Você pode encontrar questões sobre o assunto tanto na redação como na prova de múltipla escolha, logo, estar preparado permite garantir alguns pontos.

Geralmente, o desafio é entender como a globalização afeta nossas vidas — uma vez que é o contexto do mundo de hoje — e qual foi o caminho até chegarmos aqui. Ao compreender esses dois pilares, você terá boas informações para refletir e lidar com o assunto nos exames.

Neste conteúdo, trouxemos o quadro geral para você tirar dúvidas e saber como estudar o tema globalização no Enem. Continue a leitura para entender os pontos-chave e melhorar a sua nota!

O que é a globalização?

Globalização é um processo histórico somado ao resultado desse processo, em que os povos se tornaram altamente integrados em relação às questões culturais, econômicas, sociais e políticas. Houve um encurtamento de distâncias entre as nações, relacionado aos avanços tecnológicos e à expansão dos mercados.

Perceba que, embora o planeta tenha fisicamente o mesmo tamanho, os meios de comunicação e transporte mudaram bastante nos últimos séculos. Assim, em vez de países e continentes altamente diferenciados entre si, os hábitos, os valores, os costumes e os negócios são cada vez mais compartilhados. Dai a noção de “encurtamento de distâncias”.

Um exemplo pode ajudar você a entender a mudança. Na época em que os portugueses chegaram ao Brasil, a diferenciação era tão grande que facas, espelhos, pentes etc. tinham grande valor para os índios. Já hoje, se ocorre o lançamento de um novo iPhone, rapidamente todo o globo tem conhecimento, pois é tudo mais integrado.

1ª Fase da globalização (Séc. XV a XVIII)

Nesse sentido, a globalização é fruto de um processo histórico. A primeira etapa é a expansão marítima dos povos europeus, especialmente em direção à América, à África e à Ásia. O período se encerra com a Primeira Revolução Industrial, e a descoberta da máquina a vapor.

2ª Fase da globalização (Séc. XVIII a XX)

A fase seguinte abrange principalmente os períodos das Revoluções Industriais, especialmente da Segunda, em que energia elétricapetróleo e telecomunicações são fatores decisivos para mudar os meios de comunicação e transporte. O encerramento é a Segunda Guerra Mundial.

3ª Fase da globalização (Séc. XX)

Já a terceira etapa está ligada ao período da Segunda Guerra e do Pós-Segunda Guerra, encerrando-se com o final da Guerra Fria. Fique atento especialmente à expansão do capitalismo na década de 1980.

4ª Fase da globalização (Séc. XXI em diante)

A última fase vai do fim da Guerra Fria até os dias atuais. Aqui, os principais assuntos estão relacionados aos avanços tecnológicos, que possibilitaram o nível integração dos mercados que temos hoje.

Qual é a sua importância para os dias atuais?

Nos dias atuais, o foco do tema globalização no vestibular e no Enem normalmente são as consequências nas leis, na economia, na sociedade, na cultura etc. Em uma prova, é importante estar atento a tudo aquilo que pode ser considerado característica ou resultado desse processo.

O noticiário também é uma boa fonte de informação sobre o que pode cair na sua prova. Como o assunto é amplo, é natural que os temas de conhecimentos gerais tenham mais chances de serem abordados.

As questões de provas anteriores do Enem também contribuem bastante. Como as perguntas costumam ser mais reflexivas, treine o raciocínio, especialmente a capacidade de relacionar os assuntos trazidos pelas perguntas com os efeitos da globalização.

No caso da redação, a dica é aproveitar os cursos online para redação no Enem. A prova tem características específicas e vale a pena investir algum tempo para pegar as dicas e melhorar o desempenho.

Quais são os seus aspetos positivos?

Entre as consequências apontadas como benefícios para a sociedade, algumas são mais recorrentes e merecerem uma atenção especial durante o estudo.

Integração social e econômica

A integração dos povos é a mais comum, pois hoje temos muito mais facilidade para compartilhar conhecimentos, hábitos e costumes. Além disso, com a redução de distâncias, existe uma abertura maior para as negociações de bens e serviços, melhorando o atendimento de desejos e necessidades.

Avanço tecnológico e científicos

Estudos, pesquisas e desenvolvimento agora fazem parte de mobilizações globais. Não à toa, o ritmo dos avanços científicos e tecnológicos é acelerado, gerando soluções para saúde, educação, infraestrutura, leis, comércio etc.

Aumento da produção e do consumo

Uma terceira característica é a criação de linhas de produção com etapas espalhadas por todo o globo. Hoje, por exemplo, as peças e componentes vindos da China ocupam grande parte das linhas de montagem das fábricas em todo o mundo.

Além disso, o consumidor agora tem acesso mais facilitado aos produtos e serviços, com preços mais baixos e maior diversidade. Basta imaginar a variedade de opções nas prateleiras de supermercados e lojas físicas e virtuais.

Quais são os seus aspectos negativos?

Os efeitos negativos, por sua vez, costumam estar relacionados aos impactos sociais, especialmente em relação às desigualdades entre pessoas e entre países. Veja dois exemplos importantes.

Crescimento da economia informal

Como é possível buscar mão de obra em qualquer parte do globo, o trabalho perde valor, especialmente nas funções repetitivas e manuais. Consequentemente, os empregos formais, que são mais custosos por exigirem valores mínimos e gerarem encargos, sofrem o impacto das mudanças, aumentando a economia informal.

Ampliação da concorrência em nível mundial

Outro ponto é que empresas de todo lugar do mundo podem disputar o mesmo segmento de mercado. A economia local fica mais exposta diante de concorrentes frequentemente mais eficientes. Por exemplo, mesmo uma confecção local concorre por vagas nas prateleiras das lojas com grandes marcas internacionais.

Como esse tema já foi cobrado no Enem?

A prova deste ano será realizada no modelo tradicional ou no Enem Digital. Em ambos os casos, a globalização é cobrada nas questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias, como História, Geografia, Português e Sociologia.

Normalmente, elas vêm associadas a textos para reflexão, e a resposta depende da capacidade de identificar características, benefícios ou críticas. Veja uma questão da prova de 2019:

Saudado por centenas de militantes de movimentos sociais de quarenta países, o Papa Francisco encerrou no dia 09/07/2015 o 2º Encontro Mundial dos Movimentos Populares, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Segundo ele, a “globalização da esperança, que nasce dos povos e cresce entre os pobres, deve substituir esta globalização da exclusão e da indiferença”. Disponível em: http://cartamaior.com.br. Acesso em: 15 jul. 2015 (adaptado).

No texto há uma crítica ao seguinte aspecto do mundo globalizado:

a) Liberdade política.

b) Mobilidade humana.

c) Conectividade cultural.

d) Disparidade econômica.

e) Complementaridade comercial.

O gabarito é a letra d. Perceba como o aspecto da desigualdade social — que foi mencionado no tópico anterior — é cobrado como parte da reflexão a respeito do texto.

Já em relação à redação, existe uma tendência aos temas e textos de apoio estarem relacionados à cobrança de atualidades no Enem. Discussões sobre blocos econômicos (Mercosul, União Europeia etc.), o papel das entidades internacionais (ONU, OMS, Unesco etc.), guerra comercial entre EUA e China, à medida que os assuntos passam a compor os conhecimentos gerais, eles se tornam candidatos a aparecer nas provas.

Além disso, uma das técnicas para escrever a redação é iniciar com a contextualização do tema. Logo, os conhecimentos sobre globalização servem de material para abordagens mais ricas dos assuntos, geralmente problemas sociais, pedidos na redação. É possível posicionar bem os assuntos no mundo de hoje com esse domínio.

Caso você tenha dificuldades, recomendamos a criação um plano de estudos personalizado e o acesso aos materiais do Trilha do Enem. Nessa plataforma, é possível fazer simulados para identificar quais são os pontos fracos e criar uma estratégia de estudos eficiente.

Com isso, você terá melhores condições de enfrentar as questões sobre globalização do Enem e dos vestibulares. Afinal, saberá quais são as prioridades dentro de um assunto tão amplo e o que precisa ser melhorado até o dia da prova.

Para entender como se planejar, confira nosso conteúdo especial e saiba como organizar os estudos para o Enem. Aproveite as nossas dicas!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: