Desigualdade social no Brasil: como esse tema é cobrado no Enem?

desigualdade social no enem

A desigualdade social é tema contemporâneo ao próprio homem, ou seja, que se faz presente em diferentes sociedades e civilizações através da história. Ela diz respeito às diferenças existentes entre classes sociais, que colocam algumas pessoas em desvantagem no que se refere ao acesso a recursos, sejam eles básicos ou supérfluos.

Apesar de ser um debate antigo, a desigualdade social no Brasil ainda é alarmante. Cabe ao cidadão, desse modo, refletir sobre suas causas e sobre os fatores que permitem sua perpetuação. Por essa razão, inclusive, esse é um tema cobrado na redação do Enem com frequência para despertar senso crítico sobre problemas sociais.

Para que você saiba como o assunto pode ser cobrado nos exames e se prepare de maneira eficaz, elencamos alguns esclarecimentos sobre a desigualdade social na prova do Enem. Não deixe de conferir!

Qual o cenário da desigualdade social no Brasil?

O Brasil é, há tempos, um dos países que apresenta elevados índices de desigualdade social. Para se ter ideia, em 2018, os 10% mais ricos detinham uma massa de rendimentos maior que 80% da população mais pobre. O 1% mais rico recebia cerca de 12,2% do montante equivalente a todos os rendimentos no país.

Os dados refletem, nesse sentido, a presença de alguns fatores internos e fortemente relacionados às ações estatais que agravam o cenário. Entre eles, é possível mencionar:

  • má administração e destinação dos recursos públicos;
  • má distribuição de renda;
  • baixo investimento em educação e cultura;
  • falta de oportunidades no mercado de trabalho.

Como o tema pode aparecer na prova?

Tendo em vista a amplitude do tema e a sua relação com a própria história da civilização ocidental, a questão da desigualdade social pode aparecer de inúmeras formas na prova do Enem.

O assunto pode ser exigido do aluno para, inclusive, testar a sua capacidade de associar o tema às matérias de forma contextualizada e interdisciplinar. Confira!

Na redação

A redação do Enem tem fama de abordar tópicos socialmente relevantes para o contexto brasileiro. Em 2019, por exemplo, o tema proposto foi “A democratização do acesso ao cinema do Brasil”, tema que passa pelas questões que cercam a redução da desigualdade social e também a falta de investimento público em cultura.

As diferenças sociais, a exemplo da prova 2019, podem ser cobradas de inúmeras formas. Independentemente do assunto proposto, espera-se que o aluno demonstre visão crítica na redação a respeito da desigualdade social e sobre a realidade que o cerca, propondo formas de intervenção para amenizar possíveis impactos negativos.

Em análises da economia brasileira e mundial

Cobrar uma leitura crítica sobre o sistema econômico global é sempre uma oportunidade para avaliar o nível de conhecimento do aluno sobre questões atuais. Os impactos do sistema capitalista na lógica de produção, na distribuição de riquezas e no mercado de trabalho, portanto, é questão que pode ser cobrada.

Em especial nas avaliações objetivas, através das matérias de Geografia e História, o aluno poderá se deparar com exercícios que exigem compreensão acerca dos impactos da economia global na promoção das diversas formas de desigualdade e vice-versa.

Em questões de desigualdade de renda, riqueza ou consumo

Fatores como taxa de empregabilidade, salário mínimo e acesso à moradia digna devem ser levados em consideração para responder a questões como o que é desigualdade social no Brasil e quais são os seus impactos no dia a dia do cidadão.

Por essa razão, tal análise também podem ser cobrada em questões objetivas do Enem. O próprio debate sobre cotas, já bastante presente no cenário político pode ser exigido do aluno, que refletirá sobre políticas adequadas para a garantia de acesso aos altos postos de empregos por grupos marginalizados.

Em análises sobre a falta de acesso à cultura

O acesso à cultura, como visto, já foi cobrado na própria redação do Enem, que tem peso importante para a aprovação do aluno nas instituições de ensino superior.

O tema é importante porque faz refletir que, apesar das manifestações culturais serem diversificadas, o poder de consumo interfere nas condições de participação ativa nas atividades, como compra de livros e acesso a museus e exposições de arte.

Em questões sobre condições de saúde e educação pública

É fato que no Brasil alguns grupos sociais têm amplo acesso à saúde de qualidade, enquanto outros padecem em hospitais à espera de atendimento. Esse contexto, que também pode ser observado no cenário educacional, expõe graves abismos — que não deveriam existir, uma vez que são serviços públicos — entre classes.

A desigualdade social no Enem, portanto, também pode estar presente para avaliar conhecimentos sobre desafios das universidades federais, problemas a serem enfrentados no sistema público de saúde e destinação de recursos ao serviço comum, por exemplo.

Como ficaram as questões ideológicas na última edição do Enem?

Um tema muito debatido nos últimos anos, especialmente no contexto das eleições presidenciais, foi a abordagem ideológica de questões nos exames elaborados por instituições do poder público. Entre eles, destacou-se o Ministério da Educação, responsável pela elaboração do Enem.

Assim, tendo em vista o surgimento de um novo cenário político em 2019, o Exame Nacional passou a deixar de lado algumas abordagens, buscando avaliar de forma neutra o conhecimento do aluno.

É importante atentar a esse novo modelo de prova buscado pelo Governo Federal, tendo em vista que ele pode afetar a abordagem sobre o tema da desigualdade social. É fundamental também que, ao estudar, o aluno se adapte a essa nova perspectiva política para elaborar redações condizentes com as expectativas técnicas.

O tema da desigualdade social no Brasil, como visto, é abrangente e toca questões atuais sobre economia, política e sociedade — por essa razão, ele pode aparecer de inúmeras formas na prova do Enem. Então, para que o aluno esteja por dentro do assunto e possa se sair bem no exame, é fundamental que se mantenha antenado e informado sobre notícias atuais que revelam contextos desiguais no país.

Além disso, é importante refletir sobre formas de intervenção que solucionem o problema e modifiquem essa realidade, caso o assunto apareça na redação. Outra maneira de se preparar é acessando o site Trilha do Enem online. Nele, é possível avaliar o nível de conhecimento e receber planos de estudos personalizados para ser aprovado. Interessante, não é mesmo?

Se você gostou deste conteúdo, não vai querer deixar de entender mais sobre as 4 áreas do conhecimento cobradas pelo Enem!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.4 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: