Ciências Humanas e Suas Tecnologias: saiba como arrasar nessa prova

estude para o enem ciências humanas e suas tecnologias

Nos últimos anos, o Enem tem sido uma grande oportunidade para pessoas de todas as idades e regiões do país que desejam ingressar no ensino superior. A prova, que acontece em dois domingos no mês de novembro, conta com exames de Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Linguagens e Códigos, além da redação.

A prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias é considerada bastante complexa por muitos candidatos. Afinal, além de serem disciplinas densas para estudar, ainda trazem textos longos de interpretação.

Mas saiba que, com as dicas certas, é possível dominar as Ciências Humanas e suas Tecnologias no Enem. A boa notícia é que você está no lugar certo. Continue a leitura e confira o guia completo sobre essa área do conhecimento!

O que é a área de Ciências Humanas e suas Tecnologias?

As Ciências Humanas e suas Tecnologias englobam as disciplinas de Geografia, História, Sociologia e Filosofia. Para essa área do saber, são destinadas 45 questões de modalidade múltipla escolha — que atestam o conhecimento dos candidatos a respeito de eventos do passado e do presente.

Quais são as competências avaliadas?

Uma das vantagens do Enem é que a organização é bem transparente sobre quais são as competências cobradas dos estudantes. Ter acesso a essas informações antes pode colocar você em vantagem competitiva diante de tantos outros candidatos.

Chegou o momento de conhecer quais são elas! Essas informações foram tiradas da matriz referencial divulgada pelo Inep. Então, pode confiar!

“Elementos culturais que constituem as identidades”

  • Interpretar as fontes documentais;
  • Fazer análises de como a sociedade produz uma memória (logo, sua História);
  • Ligar movimentos sociais às origens do passado;
  • Debater diferentes pontos de vista sobre a cultura;
  • Compreender a diversidade da cultura e das artes.

“Transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder”

  • Entender as representações cartográficas e visuais dos espaços geográficos;
  • Compreender as relações de poder entre as nações do ponto de vista histórico-geográfico;
  • Analisar os problemas econômicos e sociais que envolvem as sociedades;
  • Fazer comparações das organizações políticas em nível local, regional ou mesmo mundial;
  • Relacionar os movimentos sociais às mudanças na sociedade.

“Produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais”

  • Entender as ações dos grupos sociais;
  • Saber como a justiça atua na organização das sociedades;
  • Analisar os movimentos sociais e suas relações com a disputa pelo poder;
  • Comparar pontos de vistas diferentes sobre instituições sociais, políticas e econômicas;
  • Fazer uma crítica sobre os conflitos de diversas áreas que aconteceram ao longo da história.

“Transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social”

  • Entender como as tecnologias influenciam aspectos como trabalho e vida em sociedade;
  • Analisar o impacto das novas tecnologias na territorialização da produção;
  • Entender processos de produção, circulação financeira entre os indivíduos e como isso altera a configuração da sociedade;
  • Saber quais são as transformações técnicas e tecnológicas que ocorrem nos espaços rural e urbano;
  • Comparar as modificações provocadas pelas tecnologias no social e no mundo do trabalho.

“Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade”

  • Entender como os meios de comunicação atuam na vida social;
  • Relacionar as lutas sociais e as consequentes conquistas relativas às políticas públicas;
  • Saber como os valores éticos interagem com a política das sociedades;
  • Analisar a cidadania e a democracia na convivência em sociedade;
  • Conhecer estratégias de inclusão social.

“A sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos”

  • Identificar o processo de ocupação dos espaços físicos e as relações das pessoas com a natureza;
  • Analisar como a sociedade interage com o meio físico;
  • Entender como as tecnologias impactam a sociedade e o ambiente em contextos distintos;
  • Compreender o uso de recursos naturais para criar o espaço geográfico, principalmente diante das mudanças causadas pela sociedade;
  • Entender as relações entre preservação e degradação da vida.

Quais são os principais temas abordados?

Até o momento, você entendeu o panorama de uma prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias. Para além disso, é importante conhecer também quais são aqueles assuntos que costumam dar as caras no exame na maioria dos anos. Assim, você consegue se sair ainda melhor. Quer saber quais são eles? Venha conosco!

História

Na parte de História, o Brasil costuma ser bastante cobrado em seus diversos períodos. Veja alguns temas:

  • Brasil Colônia: desde a chegada dos portugueses ao país até as consequências de seu encontro com os índios nativos;
  • Primeira República: desde quando foi consolidada até a sua decadência;
  • Era Vargas: das diferenças entre esse período e a Ditadura Militar, as características marcantes desse governo e a Constituição de 1934;
  • Ditadura Militar: das motivações que levaram o país ao período ditatorial até o seu fim;
  • Escravidão: da vinda dos escravos ao país até a abolição da escravatura e suas consequências para os recém-libertados.

Alguns desses temas não giram apenas em torno da história brasileira. Os movimentos sociais e a história política, por exemplo, são cobrados desde suas origens e as principais nações que lhes serviram como berço. Cidadania, tecnologias e identidade cultural são outros assuntos que rendem boas questões.

Geografia

A geografia agrária e o meio ambiente são recorrentes nas provas do Enem. Afinal, são questões que provocam debates na sociedade, uma vez que afetam a vida de milhares de pessoas. São outros temas:

  • geologia: tipos de rochas ou rios, regiões e geografia do Brasil, estruturas geológicas etc.;
  • demografia: densidade demográfica, expectativa de vida, envelhecimento da população, População Economicamente Ativa (PEA), taxa de natalidade e de mortalidade etc.;
  • geopolítica: conflitos entre nações, globalização, nova ordem mundial, União Europeia e seus desdobramentos, problemas sociais, entre outros;
  • economia: blocos econômicos, sociedade industrial, tipos de agricultura e pecuária, industrialização, comércio exterior e assim por diante;
  • clima: quais são as diferenças climáticas entre as regiões do Brasil e do mundo, os fatores que influenciam o clima e seus tipos;
  • geografia urbana: regiões metropolitanas, urbanismo, zona rural, conurbação etc.

Filosofia

Nessa área do conhecimento, a Filosofia Antiga é a que esteve mais presente nas últimas edições. A moral e a ética aparecem logo em seguida, relacionadas tanto com suas origens e seus pensadores quanto com a sociedade. Confira demais temas:

  • Aristóteles e escola helenística;
  • Racionalismo moderno;
  • Escola sofística, Sócrates e Platão;
  • Filosofia Contemporânea;
  • Escola de Frankfurt;
  • Filosofia Medieval;
  • Renascimento;
  • Surgimento da Filosofia.

Sociologia

A ética e a justiça são temas que mais costumam ser cobrados na prova do Enem. Isso porque eles rendem boas discussões no que diz respeito a seus limites e como, muitas vezes, são falhas em nossa sociedade. Além disso, ainda pode cair:

  • trabalho: as formas de trabalho, de sua origem às mudanças provocadas pelas Revoluções e a transformação digital;
  • indústria cultural: o conceito, a Escola de Frankfurt e suas relações com a comunicação;
  • cultura de massa: da homogeneização da população ao conceito de alienação, também relacionados com a comunicação massiva;
  • cidadania: direitos e deveres dos cidadãos, origens, o debate se ela funciona para todas as pessoas, a Declaração Universal dos Direitos Humanos etc.;
  • desigualdade social: por que essa questão é tão profunda na sociedade e quais são as consequências para a população mundial.

Como mandar bem nessa prova?

Dos grandes textos do exame, a prova de Humanas, de fato, tem os maiores e mais complexos. Mas antes de desanimar, saiba que você pode usar isso a seu favor — além de ler minuciosamente o edital do Enem, é claro. Entenda a seguir!

Esteja preparado para questões interdisciplinares

As questões de Humanas são bastante contextualizadas e utilizam a interdisciplinaridade para testar o conhecimento dos candidatos — não apenas em relação ao que se encontra em livros, mas também o que acontece no Brasil e no mundo.

Para Geografia, por exemplo, elas podem trazer uma notícia sobre deslizamentos que aconteceram no país e pedir uma explicação para isso. Por outro lado, em Sociologia, o texto de apoio pode ser o trecho de uma matéria sobre política e fazer uma reflexão sobre como ela impactou a sociedade nos últimos anos.

Leia os textos de apoio com atenção

Sabe por que os textos de apoio são tão grandes? Porque eles escondem ali várias pistas da resposta correta. Então, abuse do seu poder de interpretação! Mas, antes disso, não deixe de ler atentamente (e, se possível, mais de uma vez) cada questão do início ao fim. Essa segunda leitura pode até ser dinâmica!

O importante é não deixar que qualquer detalhe passe batido. Mesmo que você a considere difícil e resolva retomá-la somente depois (uma excelente estratégia, por sinal), pelo menos você já tem uma noção do caminho a seguir. Além disso, vai que a ajuda de que você precisava para essa resposta está em outro texto de apoio mais adiante?

Preste atenção nos recursos visuais

Também podemos notar essa mesma contextualização nas imagens que acompanham os textos de apoio. Elas podem conter informações que colaboram para uma resposta mais certeira. São alguns exemplos: pinturas, panfletos de propagandas, charges e quadrinhos, recortes de jornal ou revistas, entre outros.

Como se preparar para o Enem?

Tendo esses conhecimentos em mente, a preparação para o Enem não deve parar por aí. Há algumas dicas que servem tanto para as Ciências Humanas e suas Tecnologias quanto para as demais áreas de conhecimento cobradas pelo exame. Quer saber quais são elas? Então, não deixe de acompanhar atentamente os próximos tópicos!

Organize um cronograma de estudos

É muita matéria para estudar antes do Enem, não é mesmo? Uma verdadeira maratona! Por isso, um cronograma é o que vai potencializar o seu aprendizado e colocar você em uma boa posição para realizar o exame.

Considere as seguintes etapas:

  • pense em todo o tempo livre que você terá para estudar;
  • separe as disciplinas a serem estudadas;
  • em um planner ou planilha digital, faça o exercício de preencher cada espaço vago com as matérias;
  • reserve espaço para revisões, simulados e exercícios;
  • não se esqueça de separar tempo também para descanso e lazer.

Faça resumos e fichamentos

Principalmente para as disciplinas das Ciências Humanas, essa técnica ajuda bastante. Ela consiste em fazer anotações em tópicos (fichamentos) ou resumos à medida que vai estudando o conteúdo. Com isso, você resume em suas palavras o que entendeu de cada uma delas e, em consequência, consegue absorver melhor os temas.

Sem falar que esse material poderá ser útil posteriormente, nos dias de revisão. Em vez de ter que voltar ao começo dos livros ou apostilas e tentar entender os conteúdos novamente, seu entendimento estará resumido ali. Você só vai refrescar a memória!

Para deixar essas páginas ainda mais eficientes, aproveite para grifar as palavras-chave, fórmulas ou datas importantes com canetas marca-texto. Isso contribui para aprimorar a sua memória visual e facilita ainda mais as suas revisões nas semanas que antecedem o Enem.

Priorize o aprender em vez de decorar

Na escola, muitas vezes era comum ficar decorando as matérias antes de uma prova, com o único objetivo de tirar boas notas. Não vamos dizer que ele não funciona para diversas pessoas. Mas já reparou que todo esse conhecimento em que você investiu seu tempo foi esquecido facilmente?

É isso que acontece quando você decora: quando a sua mente já não considera aqueles assuntos importantes, ela os apaga aos poucos. No entanto, o cenário é diferente quando se aprende um conteúdo. Ele fica guardado e é alimentado pelos seus pensamentos, pois você passa a percebê-los em sua própria realidade.

Quando você estuda sobre as formas de governo, por exemplo, começa a prestar atenção em como as leis são criadas na democracia do país. Passa a entender também algumas decisões que são tomadas e o que motivou tudo isso. O mesmo acontece quando você sabe explicar para seus familiares por que as enchentes são tão recorrentes em algumas cidades brasileiras.

Fique por dentro das atualidades

Já vimos que as atualidades fazem parte não apenas da redação, mas de diversas questões do Enem. Então, nada melhor do que se inteirar todos os dias sobre os que está acontecendo em nível de política, economia, sociedade, meio ambiente e assim por diante — tanto no Brasil quanto no restante do mundo.

Para se preparar, acompanhe pelo menos um telejornal, passe a abrir as notícias em vez de somente ler as manchetes. Além disso, converse com amigos e familiares sobre o que descobriu e troque opiniões a respeito dos temas. É muito importante que você tenha uma visão ampla sobre as atualidades, sabendo dissertar sobre elas e conectá-las às disciplinas.

Adquira o hábito de leitura

Você ainda sente que demora muito para ler e compreender as informações? Não se preocupe! Essa é uma habilidade que pode ser adquirida com o tempo e com o hábito. Por isso, em seus momentos livres, que tal pegar um livro do seu interesse? Não precisa ser nada relacionado às matérias de estudo!

Quanto mais você ler, melhor! Nesse sentido, vale intercalar algumas obras de ficção com algumas biografias, além de não deixar as notícias e as grandes reportagens de lado — assim, você aproveita para garantir essa dica e a anterior logo de uma vez! Procure também aqueles textos com uma densidade e um grau de dificuldade maiores. Logo dominará essa arte!

Faça simulados cronometrados

O tempo é um grande desafio para os candidatos dos vestibulares. O que falar então do Enem, que traz um caderno recheado de textos? Sendo assim, é outra competência que você precisa dominar. Há muitas dicas por aí sobre como otimizar sua estratégia durante o exame. Mas vale lembrar que é preciso testar a que se adapta melhor ao seu ritmo.

Nada melhor do que fazer isso nos simulados, não é mesmo? Tente fazer as questões que acha mais fácil primeiro e ir deixando as mais difíceis para depois. Pode ser que esse método funcione para você! Só não se esqueça de assinalar visivelmente no caderno quais não estão concluídas, para que não fiquem para trás.

Na teoria, os candidatos têm cerca de 3,3 minutos para cada questão. Mas, no dia dedicado às Humanas, ainda tem a prova da redação do Enem, que ocupa boa parte do tempo. Mesmo assim, terão perguntas às quais você responderá praticamente de primeira. Então, não deixe que esse desafio seja paralisante — vá com coragem!

Falando em simulado, temos uma excelente dica para os seus estudos: conte com o site Trilha do Enem, que contém diversos simulados do exame. Assim, você faz esse treinamento com mais facilidade.

Não se esqueça da redação

Olha a redação aqui de novo! Não podemos deixar de falar sobre ela, pois é uma importante parte da sua nota final. No dia da prova, uma boa dica é ler o enunciado antes de partir para as outras questões, para sua mente já ir trabalhando na melhor resolução.

Mas você sabe como se preparar para essa escrita? A resposta é simples: com muito treino e leitura. Tente fazer pelo menos duas redações por semana sobre diferentes temas que causam debate na sociedade. A vantagem de adotar essa prática é que, além de dominar a técnica do texto dissertativo-argumentativo, você ainda está estudando a interdisciplinaridade para as Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Tenha atenção à ordem da prova

Durante os simulados, uma dica que você pode tentar é em relação à ordem dos campos do saber. Não entendeu? Nós explicamos! Se as Humanas são as suas matérias preferidas, tente não começar por elas — e essa dica vale para o dia oficial do exame!

Isso porque você pode acabar se frustrando caso ache o nível de dificuldade muito alto, o que acaba por abalar um pouco o seu emocional. Nesse cenário, melhor começar pelo que realmente acha mais complicado. De repente, vai até se surpreender e ganhar confiança dobrada para encarar as demais questões.

Como a prova é corrigida?

Em grande parte das provas de vestibular, o que vale para o estudante é quantas questões ele acertou. Mas você sabe como a nota é calculada no Enem? Nesse exame, a correção se dá por meio da Teoria de Resposta ao Item (TRI). Em resumo, esse algoritmo classifica as perguntas com graus de dificuldade e concede a elas pesos diferentes.

Na prática, funciona da seguinte forma: bem antes da realização do exame, a maioria das questões é aplicada em uma amostra de estudantes — que é escolhida com base no perfil geral das pessoas que realizam o Enem todos os anos. É pelos erros e acertos deles que se encontra o peso.

É comum também que algumas questões precisem ser alteradas após esse teste de nivelamento. Quando isso acontece, a organização do exame retira uma amostra de aproximadamente 100 mil provas e define, a partir de então, qual é o índice de acertos — se a maioria acertar, ela é considerada fácil, e assim por diante.

Você pode estar se perguntando no momento: “E se eu acertar várias questões difíceis no chute? Terei minha nota muito ampliada?”. Na verdade, isso depende. Esse algoritmo leva em conta a consistência das respostas. Em outras palavras, se você teve sorte nas mais difíceis, mas deixou a desejar nas médias e nas fáceis, ele não necessariamente vai dar a você a pontuação alta, pois pode entender justamente que você chutou.

Por que isso acontece?

O Enem é uma prova de nível nacional que, como vimos, facilitou o acesso de jovens e adultos ao ensino superior. Pela quantidade impressionante de pessoas que realiza o exame, uma correção que considera apenas os acertos seria inviável. Afinal, muitas notas seriam iguais, dificultando todo o sistema do Sisu ou, como alternativa, requerendo da organização a elaboração de inúmeros critérios de desempate.

Além disso, com essa análise das questões fáceis, médias e difíceis, a avaliação consegue saber se o candidato realmente está acertando ou se conta apenas com a sorte. Então, consistência é a palavra-chave do TRI.

É possível usar esse conhecimento a seu favor na prova?

Na verdade, é muito improvável que você descubra, durante o exame, o nível de cada questão. Então, não perca seus preciosos minutos pensando nisso ou na angústia por não saber se está mandando bem. Você estudou e se esforçou, sendo melhor se concentrar no que você pode fazer ali naquele momento.

E nem pensar em deixar questões em branco. Por mais que tenha esse sistema de pontuações diferentes para cada acerto, antes mandar bem no chute do que ter um ponto completamente perdido, concorda?

Por mais que os textos pareçam nunca acabar, a prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias não é nada impossível. Com dedicação aos estudos e às técnicas de aprender em vez de somente decorar fatos e datas, você pode conquistar uma excelente pontuação. Na hora da prova, confie na sua capacidade!

Vimos que a redação é uma etapa essencial para conseguir uma boa pontuação no Enem. Que tal conferir nosso guia completo sobre redação para o Exame Nacional do Ensino Médio e vestibulares e arrasar na nota?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: