O que são enzimas e como estudar esse tópico?

enzimas

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre as enzimas, não é? Mas, para mandar bem no Enem e em outros vestibulares, é preciso manjar muito sobre elas. Que tal conferir um post preparado especialmente para tirar as suas dúvidas?

Ao longo do artigo, você vai descobrir o que são as enzimas, quais são as suas funções no organismo, como elas são classificadas, e muito mais!

Dessa forma, conseguir uma boa pontuação na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias se tornará uma tarefa bem mais simples. Tudo pronto? Então, separe o seu caderno para as anotações e vamos lá!

O que são as enzimas?

As enzimas são estruturas estudadas na divisão de Bioquímica na Biologia. Elas fazem parte do grupo das proteínas.

Quais são as funções de uma enzima?

A principal função das enzimas é catalisar as reações do nosso organismo, ou seja, fazer com que elas aconteçam mais rapidamente. Em outras palavras, é como se a ação enzimática acionasse um “turbo” nas coisas que estão acontecendo no corpo humano e de outros animais.

O que não podemos deixar de saber sobre enzimas?

Para arrasar na prova de Biologia no Enem e em outros vestibulares, você precisa saber alguns conceitos fundamentais sobre as enzimas. Conheça eles a seguir!

Especificidade

Quando falamos sobre enzimas, estamos falando também sobre especificidade. Isso significa que cada uma delas é responsável por uma reação. O que isso quer dizer?

Vamos utilizar, como exemplo, a enzima sacarase. A sua única função é metabolizar a sacarose, um açúcar. Nesse caso, ela realiza a hidrólise (quebra com a adição de água) da molécula do carboidrato. A maltase, por sua vez, atuará sobre a maltose, e assim por diante.

Muitos estudiosos chamam esse fenômeno de “modelo chave e fechadura”, já que cada fechadura só funciona com uma chave feita especialmente para ela.

Sítios de ligação

Também conhecido como centro-ativo ou sítio ativo, é a região da enzima na qual o substrato se ligará para que as reações aconteçam.

Fatores que influenciam a atividade das enzimas

Como brincadeira, costumamos dizer que as enzimas são “sensíveis”. Por isso, precisam de um ambiente de acordo com as suas expectativas para que possam funcionar. Alguns dos fatores que influenciam a sua ação são:

  • temperatura — enzimas trabalham com uma temperatura ótima, na qual suas reações estão potencializadas. O seu aumento, no entanto, pode desnaturar a proteína, fazendo com que ela pare de funcionar. É por isso que a febre muito alta é tão perigosa para o organismo;
  • pH — enzimas também têm um pH ótimo, e variações nesse indicador podem gerar a sua desnaturação;
  • concentração de substrato — quando há pouco substrato (reagentes) em circulação, a ação enzimática se torna mais lenta. À medida que ele aumenta, a velocidade cresce. No entanto, há um limite, que é percebido no momento em que todas as enzimas estão “ocupadas”. A partir daí, a velocidade da reação se mantém, já que não há mais espaço para que os reagentes se conectem.

Desnaturação proteica

A desnaturação proteica é um fenômeno que acontece quando as condições para a existência da proteína estão inadequadas. Aqui, o que muda é a forma da molécula, tornando-a inativa. Esse é um problema que também afeta as enzimas.

Cofator

Os cofatores podem ser minerais ou vitaminas e são substâncias que, ao se ligarem a alguns tipos de enzimas, as ativam, deixando-as funcionais.

Quais são as classificações das enzimas?

As classificações das enzimas são:

  • ligases — formam novas estruturas a partir da ligação com outras enzimas;
  • oxidoredutases — transferem elétrons de uma molécula para a outra;
  • hidrolases — se ligam à água para catalisar as reações;
  • transferases — realizam a transferência de grupos funcionais nas moléculas, alterando a sua ordem.

Além dessas, há outros exemplos. Esse tema não é muito cobrado nos vestibulares, já que é um assunto mais avançado. Se você pretende seguir fazer um curso da área da saúde, se prepare!

Quais são os principais exemplos de enzimas?

As enzimas estão presentes em milhões de reações em nosso organismo. Por isso, podem ser encontradas nos mecanismos do sistema digestivo, respiratório e endócrino, na ação dos cromossomos, na produção de ATP (energia), e muito mais.

Alguns exemplos de enzimas que podem aparecer em suas provas são:

  • lipase (ajuda na degradação de gorduras);
  • DNA-polimerase (ajuda na duplicação do DNA);
  • pepsina (quebra proteínas);
  • amilase/ptialina (participa da degradação de amido na região bucal);
  • lactase (metaboliza a lactose);
  • urease (degrada a ureia);
  • maltase (metaboliza a maltose);
  • sacarase (metaboliza a sacarose).

No entanto, não se preocupe. Não há a necessidade de decorar os seus nomes ou funções. É apenas interessante que você as conheça e se familiarize com a nomenclatura, que normalmente é terminada em “ase”. Mas fique ligado: isso não é uma regra!

Tour pela prova do Enem

Como estudar enzimas para o Enem?

Afinal, como entender esse tema de uma vez por todas? Confira, a seguir, algumas dicas úteis!

Faça muitas questões

A primeira grande dica é: faça uma boa quantidade de exercícios para fixar o conteúdo! Assim, você tem mais chances de aprender novas informações e guardar aquelas que já estudou.

Utilize mapas mentais

Os mapas mentais são ferramentas interessantes para que você não esqueça nada sobre o conteúdo de enzimas.

Revise o tema com frequência

Por fim, não deixe as enzimas de fora da sua revisão periódica. É possível que elas apareçam em suas provas!

Como as enzimas caem no vestibular?

Agora, veremos um exemplo de questão sobre enzimas que já figurou em uma prova de vestibular. Vamos lá?

(Enem 2017) Sabendo-se que as enzimas podem ter sua atividade regulada por diferentes condições de temperatura e pH, foi realizado um experimento para testar as condições ótimas para a atividade de uma determinada enzima.

Os resultados estão apresentados no gráfico.

Em relação ao funcionamento da enzima, os resultados obtidos indicam que o(a)

a) aumento do pH leva a uma atividade maior da enzima;

b) temperatura baixa (10 °C) é o principal inibidor da enzima;

c) ambiente básico reduz a quantidade de enzima necessária na reação;

d) ambiente básico reduz a quantidade de substrato metabolizado pela enzima;

e) temperatura ótima de funcionamento da enzima é 30 °C, independentemente do pH.

Resposta: letra d.

Agora é com você!

Chegamos ao fim da nossa conversa sobre as enzimas! Como vimos, esse é um tema muito importante para as provas. Elas estão relacionadas com vários sistemas do corpo humano e é bem provável que cruzem o seu caminho no Enem e em outros vestibulares.

Para ajudar você a mandar a ansiedade para bem longe durante a preparação para as provas, preparamos um material exclusivo: Ano de vestibular: 6 estratégias para aliviar a pressão. Aproveite, é de graça!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 11

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos!

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.