O que são cromossomos e como estudar o tema?

cromossomos

Estudar Biologia é complexo. Afinal, são inúmeros conceitos que caminham juntos e são essenciais para que possamos compreender como funciona a vida. No entanto, não dá para negar que essa é uma matéria muito gostosa de ser estudada e que as descobertas feitas explicam muita coisa que a gente observa no dia a dia, não é?

Além disso, saber desses assuntos é importante para a prova de Ciências da Natureza e Tecnologias no Enem. Por isso, agora falaremos sobre os cromossomos, estruturas microscópicas presentes no núcleo das células que carregam informações genéticas (DNA) sobre os indivíduos.

Quer saber mais? Então, continue a leitura!

Qual é a estrutura dos cromossomos?

Os cromossomos são filamentos de DNA compostos de cromatinas altamente espiralizadas. Quando duplicados, adquirem uma forma semelhante a um X, cuja constrição primária é chamada de centrômero (mais adiante falaremos sobre ele novamente).

Os cromossomos também estão associados a proteínas estruturais, do tipo histonas. Elas servem para auxiliar no processo de enrolamento da cromatina, condensando a estrutura e diminuindo o seu tamanho para a hora da divisão.

Para entender melhor, imagine um carretel e uma linha. Esta, quando esticada, seria o que chamamos de filamento de DNA, ou seja, uma fita contendo material genético.

O carretel, por sua vez, representaria a histona. Note como a fita de DNA se enrola sobre a proteína e adquire, assim, uma forma diferente: enrolada, ou seja, condensada (espiralizada).

Essa condensação dá origem à cromatina, que é um filamento de DNA espiralizado com a ajuda das histonas. Ainda assim, é possível esticar um pedacinho da linha e deixá-lo reto, certo?

A parte mais enroladinha é conhecida como heterocromatina. Aqui, o DNA é está inativo e não pode ter os genes transcritos. A área um pouco menos condensada é a eucromatina, na qual as informações genéticas estão mais acessíveis, o DNA está ativo e pode realizar a transcrição.

A estrutura de um cromossomo são mais facilmente observadas quando a célula está na metáfase, que é o período em que o material genético está mais condensado. Na figura abaixo, vai ficar mais fácil entender as partes do cromossomo.

estrutura-dos-cromossomos

Qual é a diferença entre os cromossomos e a cromatina?

No estudo da citologia, os conceitos de cromatina e cromossomos costumam gerar muitos nós nas cabeças dos estudantes. E não é à toa, já que são estruturas feitas de um mesmo material: o DNA.

Na verdade, a cromatina é um complexo de moléculas de DNA associadas a proteínas; e o cromossomo é a cromatina enrolada em si mesma. Em outras palavras, essas estruturas são estados diferentes do material genético (momentos diferentes do ciclo de divisão celular).

Durante a intérfase, período em que a célula não está em divisão, o material genético encontra-se desenrolado e inativo. Quando os processos de mitose e meiose têm início, o processo torna-se ativo e ocorre a espiralização dos filamentos e a duplicação do DNA. Isso é fundamental para que as células que vão surgir tenham o mesmo número de genes.

Então, imagine que há 100 genes em uma cromatina. É preciso fazer outra igualzinha a ela, com mais 100, já que cada uma vai para uma célula diferente. Essas são as cromátides-irmãs, os braços do cromossomo, que vão se separar ao longo do processo.

Quando a célula entra em processo de divisão celular, a cromatina se transforma no cromossomo, já que se enrola (espiraliza) e se torna pronta para ser dividida. Acontece também um pareamento com outro filamento, como você verá melhor ao estudar os conceitos de mitose e meiose.

Essa condensação tem como função facilitar a movimentação do material genético ao longo da divisão e diminuir as chances de que algo dê errado. Ao final do processo, ele volta a se desenrolar e assume novamente a sua forma de cromatina.

Teste Vocacional Rápido
banner calculadora bolsa enem

Quais são os principais termos desse conteúdo?

Para estudar Biologia, é preciso entender a nomenclatura das estruturas. Pensando nisso, preparamos um glossário que poderá ser consultado por você sempre que surgirem dúvidas sobre os termos. Olha só:

  • cromatina — fita de DNA emaranhado, associado à histonas. Presente na intérfase. É a estrutura que passa por replicação antes da divisão celular;
  • cromossomo — cromatinas altamente condensadas. Forma presente ao longo da divisão celular.
  • histonas — proteínas que ajudam a cromátide a se enrolar sobre si mesma, assumindo outras formas ao longo da divisão e da replicação celular;
  • cromátides-irmãs — braços do cromossomo. São exatamente iguais e contêm a mesma quantidade de DNA. Cada uma delas irá para uma célula diferente durante a divisão.

Como os cromossomos são classificados?

Todo cromossomo possui uma região bem-condensada. Nos desenhos, ela é representada como um pontinho que une os braços de um cromossomo. O seu nome é centrômero, e é a partir dele que os cromossomos são classificados.

Os cromossomos podem ser:

  • telocêntricos (A) — quando o centrômero está na ponta do cromossomo;
  • acrocêntrico (B) — quando o centrômero está perto da ponta, mas não exatamente nela;
  • submetacêntrico (C) — quando o centrômero não está bem centralizado, mas também não está perto da extremidade;
  • metacêntrico (D) — quando ele está posicionado no centro do cromossomo.

Veja na figura a seguir.

estrutura-cromossomo

Qual é o número de cromossomos de uma espécie?

Cada espécie tem o seu número de cromossomos. Mas não se preocupe, você não precisará decorar todos eles. Caso a prova traga alguma questão sobre isso, a informação será dada no enunciado.

A única espécie que você precisa saber para as provas é a humana. Nós temos 46 cromossomos.

Como estudar esse tema para o Enem?

Agora que você já sabe como os cromossomos funcionam, que tal conhecer algumas dicas bacanas para aprender esse conteúdo de maneira eficiente para as provas de vestibular e o caderno de Ciências da Natureza e suas Tecnologias do Enem? Vamos lá!

Faça bons resumos e mapas mentais

Fazer um mapa mental sobre esse assunto ou fazer um bom resumo pode trazer maravilhas para o seu aprendizado. Dê uma chance a essa estratégia de estudo!

Desenhe os conceitos

Desenhar os assuntos, como os processos de mitose e meiose, ajuda muito na hora de fixar os conteúdos de maneira eficaz. Desenhe também as diferentes formas nas quais o DNA se apresenta. E experimente deixar os seus esqueminhas sempre à vista!

Estude as síndromes cromossômicas

Diversas síndromes, como a de Down, são causadas por alterações nos cromossomos. Esse é um tema que cai muito no Enem, e estudá-lo também ajudará na compreensão de muitos outros conceitos.

Capriche nas revisões

Na hora de organizar as matérias e os horários de estudo, não deixe de reservar um período para a revisão de conteúdos como o de cromossomos. É normal esquecer certos conceitos, e mantê-los sempre frescos na cabeça é fundamental.

De que forma o assunto pode ser abordado no Enem?

Para finalizar, veja um exercício que já caiu no Enem e pode ilustrar a forma como esse assunto é cobrado por lá. Confira!

(Enem 2009) Uma vítima de acidente de carro foi encontrada carbonizada devido a uma explosão. Indícios, como certos adereços de metal usados pela vítima, sugerem que a mesma seja filha de um determinado casal. Uma equipe policial de perícia teve acesso ao material biológico carbonizado da vítima, reduzido, praticamente, a fragmentos de ossos. Sabe-se que é possível obter DNA em condições para análise genética de parte do tecido interno de ossos. Os peritos necessitam escolher, entre cromossomos autossômicos, cromossomos sexuais (X e Y) ou DNAmt (DNA mitocondrial), a melhor opção para identificação do parentesco da vítima com o referido casal. Sabe-se que, entre outros aspectos, o número de cópias de um mesmo cromossomo por célula maximiza a chance de se obter moléculas não degradadas pelo calor da explosão.

Com base nessas informações e tendo em vista os diferentes padrões de herança de cada fonte de DNA citada, a melhor opção para a perícia seria a utilização

a) do DNAmt, transmitido ao longo da linhagem materna, pois, em cada célula humana, há várias cópias dessa molécula.

b) do cromossomo X, pois a vítima herdou duas cópias desse cromossomo, estando assim em número superior aos demais.

c) do cromossomo autossômico, pois esse cromossomo apresenta maior quantidade de material genético quando comparado aos nucleares, como, por exemplo, o DNAmt.

d) do cromossomo Y, pois, em condições normais, este é transmitido integralmente do pai para toda a prole e está presente em duas cópias em células de indivíduos do sexo feminino.

e) de marcadores genéticos em cromossomos autossômicos, pois estes, além de serem transmitidos pelo pai e pela mãe, estão presentes em 44 cópias por célula, e os demais, em apenas uma.

Resposta: letra a.

Ah! E não se preocupe caso você não tenha conseguido responder, ok? Pouco a pouco, novos conhecimentos são adquiridos e você se torna capaz de lidar com questões como essa, que envolvem uma série de conceitos diferentes.

Não pare por aqui!

Gostou de conhecer mais sobre os cromossomos? Estar sempre atualizado sobre esse assunto e mantê-lo bem fresquinho em sua mente é fundamental para obter bons resultados no exame. Por isso, mande ver nos estudos!

Então, prossiga com sua leitura sobre a citologia e saiba como estudar a membrana plasmática!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.