Proteínas: o que são e como estudar essa matéria?

carne, peixe e frango representando proteínas

A preparação para o Enem requer um bom domínio de conhecimentos em todas as matérias que fazem parte das provas. Contudo, existem aqueles tópicos clássicos que servem de base para assuntos complexos e acabam sendo sempre cobrados. É o caso das operações aritméticas ou dos sintagmas.

A área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias se dedica ao estudo científico do mundo natural e seus fenômenos, reunindo as questões de Física, Química e Biologia no Enem. Este último setor se dedica basicamente ao estudo da vida em todas as suas formas, um assunto cheio de detalhes e saberes interessantes.

Para entender os processos biológicos em geral, é fundamental conhecer bem as chamadas proteínas. Neste post, você encontra um guia completo para aprender tudo sobre elas e melhorar seu rendimento nos estudos.

Quer aprender pra valer? Então, continue conosco!

O que são proteínas?

Proteínas são substâncias presentes com abundância em qualquer organismo vivo. Em termos técnicos, correspondem a um polímero formado por uma ou mais cadeias de aminoácidos. Por isso, são macromoléculas grandes e pesadas que repetem várias vezes uma parte da sua estrutura conhecida como filamento proteico.

As proteínas cumprem um papel indispensável na manutenção da vida em qualquer ecossistema, assumindo funções cruciais. Sendo assim, todo ser vivo precisa garantir um abastecimento adequado desse nutriente. Sem elas, as atividades biológicas seriam praticamente impossíveis.

Quais são as suas funções?

Agora que você sabe o que são proteínas, confira as funções que elas podem assumir dentro de um ser vivo. Estão presentes em quase todos os processos das células, com uma grande diversidade de atuações. Participam desde a respiração até a fotossíntese, desempenhando papéis variados em diferentes criaturas.

Uma de suas responsabilidades marcantes é a estruturação de um corpo vivo. Por um lado, elas compõem tecidos, órgãos e esqueletos, servindo de alicerce para a própria célula. Por outro, são peças-chave na sustentação de um organismo, como no caso do colágeno e da elastina, duas das proteínas mais conhecidas.

Além do aspecto estrutural, as proteínas podem assumir um papel dinâmico, integrando diretamente os processos biológicos. Nesse sentido, algumas de suas principais funções são:

  • transporte de moléculas;
  • defesa do organismo;
  • ação hormonal;
  • atividades genéticas, como a replicação do DNA.

Como estudar proteínas para o vestibular e o Enem?

Quando se pensa na complexidade da vida, com seus mecanismos muitas vezes invisíveis, o assunto das proteínas no vestibular pode parecer complexo. Já que estão presentes em praticamente todos os processos de um organismo, é de se esperar que existam muitos detalhes para compreender bem a sua natureza.

É verdade que o domínio das proteínas para o Enem merece cuidado, mas também não traz motivo de desespero. O importante é seguir uma boa lógica para organizar os conhecimentos necessários, usando técnicas de estudo que permitam fixá-los e conectá-los com eficiência.

Entenda sua estrutura

As proteínas costumam assumir estruturas distintas de acordo com sua conformação natural para assumir cada tipo de função. São formadas por aminoácidos variados que se unem entre si por meio das chamadas ligações peptídicas.

Plano de Estudos para Medicina

As proteínas podem ter quatro níveis de estrutura. O primeiro nível é o filamento proteico básico, enquanto os demais correspondem às formas de organização desse filamento quando ele se enrola ou dobra sobre si mesmo. Confira:

  • estrutura primária: é a sequência linear dos aminoácidos unidos pelas ligações peptídicas;
  • estrutura secundária: é o modo como os aminoácidos se organizam entre si na sequência primária (enrolada ou dobrada);
  • estrutura terciária: é o arranjo tridimensional das proteínas em enovelamentos únicos e particulares;
  • estrutura quaternária: é a união de duas ou mais estruturas terciárias.

Saiba diferenciar proteínas globulares de fibrosas

A depender da maneira como suas estruturas estão dispostas no espaço, as proteínas podem ser classificadas como globulares ou fibrosas. As globulares são cadeias enoveladas em formato de esfera (globular) e costumam ser solúveis. Proteínas fibrosas ou fibrilares apresentam uma estrutura longa e filamentosa, sendo insolúveis.

Estude suas classificações

Outra classificação possível das proteínas é entre simples, conjugadas e derivadas. Simples são aquelas formadas unicamente por aminoácidos, enquanto as conjugadas trazem como acréscimo um radical de origem não peptídica. Já as proteínas derivadas não são encontradas na natureza, resultando de processos artificiais.

Lembre-se dos aminoácidos

Para seus estudos ficarem impecáveis, não se esqueça de aprofundar os conhecimentos sobre aminoácidos. Eles formam a base de toda e qualquer proteína, sendo importantes para a compreensão adequada dos fenômenos envolvidos.

Aminoácidos são basicamente compostos de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Sua estrutura geral tem um grupo amina e um grupo carboxila. Existem 20 aminoácidos principais, sendo nove deles essenciais (isto é, não sintetizados pelo organismo, devendo ser obtidos por meio da alimentação).

Saiba quais alimentos são fontes de proteínas

A principal fonte de proteínas do corpo humano e animal é a ingestão de comida. Entender e balancear a pirâmide alimentar proporciona uma série de vantagens, como melhorar a imunidade e prevenir o aumento de peso.

Existem diversos itens ricos em proteínas, sendo importante consumi-los para que o corpo possa executar corretamente seus processos. Confira alguns deles, com a quantidade de proteínas a cada 100 g indicada entre parêntesis:

  • soja (34 g);
  • camarão (24 g);
  • frango (23 g);
  • salmão (21,62 g);
  • amêndoa (21,1 g);
  • carne vermelha (21 g);
  • peixes no geral (20 g);
  • tofu (8,1 g);
  • leite de vaca (8 g);
  • ovos (6 g/unidade).

Entenda como a proteína atua no corpo humano

Como você já deve saber, cada tipo de proteína intervém de uma maneira diferente no corpo humano, de acordo com sua função. Elas podem ajudar a regenerar tecidos, reforçar o sistema imunológico, regular processos. Sendo assim, algumas de suas principais formas de atuação são:

  • anticorpos;
  • insulina;
  • albumina;
  • trombina e fibrinogênio;
  • hemoglobina;
  • globina.

Além das questões relacionadas à proteína em si, os vestibulares e o Enem podem trazer algo relacionado à onda de vegetarianismo e como isso impacta a estrutura de proteínas no corpo humano. Vale a pena conferir o tema, buscando informações confiáveis e objetivas.

Tente desenvolver uma compreensão ampla do assunto e continue a aprender com leituras e aulas. Para otimizar os esforços, acesse também a Trilha do Enem e monte um plano de estudos personalizado.

É fundamental mesclar teoria, prática e atualidades na investigação do tema. Basta lembrar que o Enem e alguns vestibulares cobram as matérias com frequência de forma contextualizada, sendo importante conectar os conhecimentos de diferentes áreas. Abaixo, você confere uma videoaula sobre Bioquímica para sedimentar os aprendizados (no minuto 58:40, o professor aborda proteínas):

Gostou das dicas? Então, baixe gratuitamente a nossa planilha de como organizar os estudos para o Enem e inclua o tema no seu cronograma! Com ela, você terá mais confiança na sua dedicação para alcançar uma excelente nota!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: