O que é xenofobia e por que pode cair no Enem?

muçulmanas representando migrantes e imigrantes

Estudar para as matérias do Enem pode ser exigente. Além da constante necessidade de fixar conhecimentos, o candidato precisa estar antenado em tudo o que pode cair na prova. Felizmente, na hora de montar um plano de estudos para o vestibular é possível ter uma noção dos principais temas.

O primeiro passo importante é ficar por dentro das prováveis questões de atualidades no Enem. São assuntos que circulam com frequência no presente, nas mídias ou nas conversas do dia a dia. Embora não sejam difíceis de acessar, exigem um método de organização e pensamento.

As questões do vestibular muitas vezes valorizam temáticas de relevância social. Isso porque o papel do exame é também contribuir para a construção da sociedade e para a reflexão sobre as problemáticas atuais.

A xenofobia é uma delas e por isso tem muita chance de ser cobrada no Enem. Neste post, você aprende tudo sobre o assunto e o que torna ele relevante. Continue a ler e avance cada vez mais nos seus estudos!

O que é Xenofobia?

De maneira resumida, xenofobia significa hostilidade contra pessoas que são estrangeiras ou vistas como forasteiras. O termo surgiu a partir da combinação de duas palavras gregas: xenos, que significa estrangeiro, estranho, e phóbos, que significa medo.

Sendo assim, a palavra é usada desde a antiguidade para designar uma postura negativa em relação a pessoas de fora. Viajantes estrangeiros, imigrantes ou, até mesmo, pessoas nascidas no mesmo país, mas que são tratadas com aversão por algum motivo. Em geral, pessoas que não se enquadram no perfil nacionalista.

Isso mesmo, pois, quando usado de maneira errada, o nacionalismo pode sim aumentar a agressividade contra pessoas diferentes. Por exemplo, quando há uma crise econômica ou situação de desemprego, muita gente costuma culpar estrangeiros. Isso já ocorreu muitas vezes na história do mundo.

A xenofobia se manifesta em sentimentos como medo, repulsa, ódio e desdém. São coisas que muitas vezes surgem de maneira passional, na forma de características que provocam escárnio ou comportamentos que incomodam. Um nariz grande, uma cor de pele, um modo de falar.

Parece irracional, mas não funciona bem assim. É sempre importante ter em mente que as causas para esse tipo de atitude são concretas, históricas, culturais, sociais, econômicas, religiosas etc. Por exemplo, no caso do desemprego, a xenofobia é uma maneira de as pessoas encontrarem um bode expiatório para a situação ruim.

Existe uma lógica, portanto, mas ela é perversa. As pessoas de um mesmo grupo social ou étnico começam a retaliar outras, achando que isso vai melhorar as coisas. Mas essa crença é falsa e cruel, sendo que muitas vezes as pessoas nem percebem ou preferem não perceber as causas.

Além disso, a xenofobia está quase sempre associada a uma dinâmica de racismo e etnocentrismo. Para um xenófobo, a sua própria cultura e raça é superior às outras e, por isso, tem mais direitos. De novo, é uma ideia preconceituosa e sem nenhum fundamento.

Xenofobia é grave, causa violência e sofrimento. Pode ser algo simbólico, como atitudes que excluem, mas também gestos concretos de violência física. Nos piores contextos, vira política de morte e segregação oficial do Estado. É como no regime de extrema-direita da Alemanha nazista e, também, em casos que mostram o que é fascismo.

Por que a xenofobia é um tema bastante discutido atualmente?

Se o assunto é vestibular, xenofobia pode cair, por exemplo, na matéria de História no Enem e na redação. Ela está muito presente na atualidade, devido a discriminações que ocorrem sobretudo contra as populações de origem árabe.

Os lugares onde isso fica mais evidente são a Europa e os Estados Unidos, onde muçulmanos são vistos como terroristas. Nos últimos 20 anos, o preconceito contra essas pessoas ficou ainda mais intenso. Devido à aparência física ou ao modo de vestir, indivíduos e políticos acabam promovendo práticas perigosas.

Grupos nacionalistas e governos contribuíram para criar um estereótipo dos povos árabes como terroristas. É importante compreender que terroristas existem, mas são uma parcela infinitamente pequena das populações do Oriente Médio e do norte da África. Além disso, disputas de poder são sempre complexas e exigem estudo.

Muitas fronteiras começaram a ser fechadas e pessoas perseguidas por grupos violentos, como os neonazistas. A situação dos imigrantes vai se deteriorando cada vez mais e eles acabam condenados a viver nas margens, em condições precárias.

Nos Estados Unidos, também é muito comum a xenofobia contra populações latinas, incluindo brasileiros. Governos radicais, como o de Donald Trump, usam discursos de ódio e segregação como tática política. Não custa lembrar que a economia dos Estados Unidos depende bastante dos muitos imigrantes latinos que vivem e trabalham no país.

Sabia que no Brasil também existe xenofobia? Embora seja um comportamento mais comum em países desenvolvidos, que acabam criando um sentimento de superioridade, aqui isso também ocorre em relação a estrangeiros ou pessoas de outras regiões.

Por exemplo, o preconceito que nordestinos costumam sofrer nas regiões Sul e Sudeste é um tipo de xenofobia. Assim como os ataques e maus-tratos contra imigrantes haitianos, bolivianos, venezuelanos ou cubanos. Além de pessoas vindas da África, que também sofrem com o forte racismo que existe no Brasil.

Quais assuntos relacionados à xenofobia podem cair no Enem?

A questão da xenofobia é ampla. Dentro dela, existem alguns pontos que têm maior chance de ser cobrados no Enem. Vale a pena pesquisar com calma os seguintes aspectos:

  • ligação entre xenofobia, racismo e terrorismo — é a questão dos árabes na Europa e nos Estados Unidos. As pessoas são enquadradas em um estereótipo e destratadas;
  • a crise dos refugiados e o aumento do fluxo migratório no mundo — pessoas que fogem de regiões em conflito ou países autoritários acabam fazendo crescer o fluxo migratório em outros países;
  • as políticas de imigração nos Estados Unidos — o governo Trump tem intensificado a xenofobia e tomado medidas de cerceamento a imigrantes;
  • a atuação de grupos xenofóbicos como skinheads e neonazistas — em vários lugares do mundo grupos xenofóbicos têm violado direitos humanos em nome de ideologias cruéis.

O assunto pode ser cobrado em questões de Atualidades, Ciências Humanas e redação, ou estar incluído na matéria de Sociologia no Enem. Por isso, você deve se preparar adequadamente para todas as possibilidades. Para otimizar os esforços, acesse também o Trilha do Enem e monte um plano de estudos personalizado.

Então, gostou das dicas para entender o assunto de xenofobia? Não se esqueça de incluí-lo na sua planilha de estudos para o Enem! Continue a aprender com dedicação e aumente suas chances de tirar uma excelente nota!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: