O que é a Teoria da Evolução e como estudar o assunto?

mulher estudando teoria da evolução

O Enem e o vestibular são etapas importantes no processo de quem deseja chegar ao ensino superior. É uma fase que exige estudos, dedicação e persistência. Assim, estar por dentro das matérias cobradas é essencial para conseguir notas suficientes para passar.

Um dos assuntos mais importantes é a Teoria da Evolução. O tema faz parte da disciplina de Biologia e, por isso, cai na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. A ideia geral é explicar o surgimento e a evolução das espécies.

Elaboramos um resumo para você lembrar os principais conceitos da matéria, saber como estudá-los e entender o que cai no Enem. Vamos lá?

O que é a Teoria da Evolução?

A Teoria da Evolução explica a origem das espécies. Ela nos conta como os seres surgiram e como aconteceram as modificações nos organismos de um determinado habitat, ao longo do tempo. Baseia-se em evidências biológicas, como fósseis e restos preservados de animais e plantas.

Assim, se opõe ao criacionismo (teoria que explica a existência da vida na Terra a partir da origem divina). Aliás, cabe ressaltar que costumamos chamar de “teoria”, mas a evolução é um fato comprovado pela ciência.

Quais são seus principais aspectos?

Antes de tudo, é importante que você saiba que vários cientistas tentaram explicar como as espécies animais apareceram. São estudadas três principais teorias (abordaremos no próximo tópico), que, apesar de terem aspectos diferentes, também contam com outros semelhantes.

Por exemplo, elas dizem que a limitação na disponibilidade de recursos faz com que os indivíduos lutem. Aqueles que sobrevivem transmitem suas características às próximas gerações.

Quais são as Teorias Evolucionistas e o que elas dizem?

Vamos ver quais as três Teorias Evolucionistas cobradas no Enem e nos vestibulares?

Lamarckismo

Lamarck falava muito da lei do uso e do desuso. Um dos exemplos mais comuns usados para explicar seu pensamento é o das girafas. Ele verificou que as que tinham o pescoço longo conseguiam se esticar melhor para colher as folhas e as frutas das árvores. Isso aumentava as oportunidades para que sobrevivessem.

Na época, ele chegou à conclusão de que quando as estruturas do corpo são usadas com frequência, desenvolvem-se mais. Por outro lado, as não usadas se atrofiam. Essas características adquiridas durante a vida eram passadas aos descendentes, que, se também as usassem, passavam para as próximas linhagens. Isso ficou conhecido como “lei da herança dos caracteres adquiridos

Darwinismo

Darwin desenvolveu suas ideias e criou a sua teoria, a qual chamou de Seleção Natural. Uma palavra-chave aqui é adaptação, pois ele afirmou que não é o mais forte que sobrevive, mas sim o mais adaptado.

Darwin chegou à sua conclusão após uma longa viagem ao Arquipélago de Galápagos, em que passou por diversas ilhas e observou os animais em seus habitats. Ele verificou que espécies com características diferentes povoavam esses lugares.

Viu, por exemplo, que as tartarugas apresentavam distinções nos cascos e nos pescoços, a depender do clima e da alimentação existente. Essas peculiaridades as ajudavam a sobreviver, e isso o fez concluir que o meio seleciona o organismo.

Outro exemplo de como essa seleção acontece é na possibilidade de camuflagem nos animais. Por exemplo, um animal de pelo branco, na neve, tem mais chances de sobreviver que um de pelo marrom, ainda que este último seja o mais forte.

Aqui, ainda cabe destacar a atuação de Alfred Wallace, outro cientista da época que desenvolveu conceitos e hipóteses muito semelhantes às que Darwin vinha elaborando. Com receio de perder a autoria do tema e sendo mais expoente no cenário científico que o seu contemporâneo, Darwin decide que é hora de compartilhar suas ideias. Os dois chegam a um acordo e publicam seus artigos na mesma edição da revista. Somente anos mais tarde, Darwin publica seu livro “A Origem das Espécies”.

Plano de Estudos para Medicina

Contudo, embora um pouco negligenciada, a contribuição de Wallace é valorizada pelos especialistas. No meio científico atual, ambos são considerados pais da Teoria da Evolução.

Neodarwinismo

A Teoria da Evolução mais recente é chamada de Neodarwinismo (também conhecida como Teoria Sintética ou Moderna). Ela não nega o Darwinismo, apenas o complementa.

Como Darwin não tinha como dar todas as respostas, em função do pouco conhecimento sobre genética na época, um grupo de biólogos e cientistas se dispuseram a estudar alguns processos evolutivos.

Os conceitos tiveram como base os estudos de Mendel, que estudou genética por meio do cruzamento de ervilhas para explicar a variabilidade dos indivíduos. A partir disso, foram descobertos os mecanismos de hereditariedade, mutações, recombinações genéticas (crossing over), derivas genéticas e migrações que influenciam a evolução das linhagens, sem, contudo, deixar de considerar a Seleção Natural.

Como estudar o assunto para Enem e vestibulares?

Agora, a pergunta que não cala: “como estudar a Teoria da Evolução para Enem?”, ou “como a Teoria da Evolução é vista no vestibular?”.

A primeira coisa a ter em mente é entender muito bem o conceito de evolução. Nesse sentido, você deve se lembrar de todos os organismos, desde os mais simples até os mais complexos. Ou seja, não pense apenas em seres humanos, ao responder uma questão.

Além do mais, nessa matéria, não confunda “evoluir” com “melhorar” ou “incrementar”, pois, não necessariamente, apenas as melhores características são transmitidas. Evolução significa mudança.

Também lembre-se do nome de cada teórico e saiba identificar os pontos principais defendidos por eles. Outra dica é analisar o que cada teoria tem em comum e em quais pontos se diferem. Por exemplo, Lamarck e Darwin não mencionam nada sobre genes (já que não se conhecia o DNA nessa época), apenas o Neodarwinismo. Contudo, as três falam sobre “modificação e adaptação”.

Outras dicas são as práticas e utilização de materiais de estudo, como:

Fichamentos

Fazer fichamentos dos pontos mais importantes e resolver questões de provas passadas são algumas das melhores técnicas de estudo. Por serem métodos mais ativos que a leitura, obrigam o cérebro a prestar mais atenção na informação e a retê-la com acuidade.

Provas e Simulados

O site Trilha do Enem é uma mão na roda para isso, pois conta com um banco de provas e simulados, que podem ser resolvidos de forma personalizada. Além disso, ele ajuda a montar um plano de estudos no Enem, baseando-se no perfil e nas dificuldades de cada estudante. O estudo é direcionado aos pontos fracos, o que é excelente para afiar os conhecimentos.

Glossários

Outra ideia, ao estudar Biologia para o Enem, é tentar sempre visualizar exemplos ou entender as aplicações em situações reais, em cada conceito. Essas associações ajudam bastante na sedimentação do conteúdo.

Para aquelas terminologias mais diferentes, você pode criar um glossário. Então, pegue as palavras-chave de cada assunto e tente explicá-las da forma bastante resumida. Já pensou como pode ficar prático fazer uma rápida consulta, só para recapitular um conceito?

Bem, a Teoria da Evolução, como você percebeu, é uma das matérias mais relevantes para a prova. Sendo assim, não deixe de incluir o tema no seu cronograma, prestar atenção no conteúdo e tirar todas as dúvidas antes do dia D, combinado?

Gostou de recordar os principais aspectos da Teoria da Evolução? Então, que tal, ler o próximo texto e lembrar as diferenças entre mitose e meiose?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: