6 dicas para estudar sobre o tecido muscular

tecido muscular

A prova de Ciências da Natureza é uma das mais complexas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e engloba matérias cobradas em diversos vestibulares. Muitas pessoas logo pensam em conteúdos de Física e Química, mas também é preciso rever os principais conceitos da Biologia.

Assuntos relacionados à constituição e ao funcionamento do tecido muscular, por exemplo, são cobrados com frequência. Isso significa que você precisa revisá-los com cuidado, se quiser mandar bem em qualquer tipo de avaliação.

Para deixar o tema mais claro, organizamos um artigo em diferentes tópicos que podem facilitar o seu aprendizado. Veja quais são e use-os como ponto de partida em sua rotina de preparo:

  • entenda a teoria de forma profunda;
  • saiba diferenciar os tecidos por meio da classificação;
  • compreenda as principais características dos músculos;
  • estude sobre a função desempenhada por eles;
  • entenda a aplicação prática da matéria;
  • conecte o tema a outros tópicos da Biologia.

1. Entenda a teoria de forma profunda

A compreensão de qualquer assunto fica mais fácil quando retomamos sua base. Nesse caso, é essencial que você comece revisando a matéria como um todo, sem focar em divisões, categorias ou outro aspecto que torne a discussão muito específica.

A internet disponibiliza diversos materiais para estudar online e obter a definição de cada parte que compõe o corpo humano. Vale questionar, portanto, o que é tecido muscular, qual é a sua composição e quais são as funções que ele desempenha no organismo.

Também procure explorar curiosidades sobre o tema e ver imagens que ilustrem a posição dos músculos em diferentes regiões. Isso permitirá uma maior imersão nos estudos, fazendo com que tenha motivação e facilidade para entender o assunto.

Durante as pesquisas você descobrirá, por exemplo, que grande parte da massa corpórea é constituída por tecidos musculares e que estes têm diversas utilidades.

2. Saiba diferenciar os tecidos por meio da classificação

Após revisar as explicações gerais, é hora de partir para os conteúdos que mostram a composição de cada tipo de musculatura. Esse exercício fará com que você se aprofunde no tema e passe a compreender como diferentes regiões do corpo atuam.

Para ter uma ideia, o tecido muscular é classificado em três grandes grupos. Todos têm capacidade de contração para gerar movimentos, mas exercem funções específicas no corpo humano. Veja um breve resumo dessas categorias e complemente-o durante seus estudos:

  • tecido muscular liso — compõe órgãos internos como estômago, bexiga e vasos sanguíneos. Envolve contrações lentas e involuntárias, como as do parto, além de atuar em movimentos peristálticos e do sistema digestivo;
  • tecido muscular estriado esquelético — constitui os ossos, tendo contração rápida e voluntária (aquela que demanda comandos conscientes da pessoa);
  • tecido muscular estriado cardíaco — como o nome indica, é encontrado no coração e forma o miocárdio. Sua contração é rítmica, rápida e involuntária.

3. Compreenda as principais características dos músculos

Há variações na composição de cada tipo de tecido e é importante observar os aspectos que diferenciam essas categorias. Ter isso em mente facilita a compreensão da matéria, principalmente para quem pretende estudar sozinho e não sabe quais detalhes merecem atenção.

Veja abaixo as principais características de cada grupo.

Tecido muscular liso

Tem células uninucleadas, com formato alongado e extremidades afiadas. É um tecido sem estriações, já que seus filamentos de actina e miosina não apresentam organização padronizada.

Tecido muscular estriado esquelético

Tem células multinucleadas, com formato cilíndrico. Cada fibra muscular desse tecido contém miofibrilas organizadas de modo a gerar estriações transversais. O encurtamento das miofibrilas produz a contração, permitindo os movimentos.

Plano de Estudos para Medicina

As fibras esqueléticas também podem ser classificadas em dois grupos. As brancas têm contração rápida e produzem bastante força, sendo acionadas em exercícios anaeróbicos e curtos. As vermelhas têm contração lenta e são capazes de manter o movimento por longos períodos, durante atividades aeróbicas.

Tecido muscular estriado cardíaco

Tem estriações bem parecidas com as do tecido esquelético, embora apresente células ramificadas e alongadas com apenas um núcleo.

As ramificações são unidas por estruturas conhecidas como discos intercalares, que transmitem sinais de uma célula para outra para garantir a sincronização da contração cardíaca.

4. Estude sobre a função desempenhada por eles

Outra prática relevante para abordar o tecido muscular ao estudar Biologia para o Enem é compreender as funções primordiais dessas estruturas. Por conta da capacidade de contração voluntária ou involuntária, muitos movimentos são possibilitados.

De modo geral, os músculos são necessários para: estabilizar e locomover o corpo, permitir a realização de vários gestos, proporcionar uma boa postura e até produzir calor. Esses tecidos também garantem o correto batimento cardíaco, o aumento do tamanho de determinados órgãos e a movimentação de diversas substâncias pelo organismo (como sangue e nutrientes).

5. Entenda a aplicação prática da matéria

Resolver exercícios e fazer leituras detalhadas são ótimas estratégias para introduzir o estudo de qualquer disciplina. No entanto, chega um momento em que precisamos de outros estímulos para manter o interesse sobre o assunto.

Nessas situações, uma boa alternativa é entender a aplicação da matéria em diferentes contextos. Ao analisar um tecido muscular específico, por exemplo, você pode buscar formas de entender como ele se comporta em alguns casos.

Vale usar o próprio corpo para testar movimentos, sentir a contração em determinadas áreas, observar a direção de deslocamento, bem como o ponto de origem e a inserção das fibras. É um exercício divertido e bastante didático.

6. Conecte o tema a outros tópicos da Biologia

Para fechar a rotina de estudos, é importante que você relacione os aprendizados sobre o tecido muscular a outros conteúdos abordados na Biologia. Assim, também retomará assuntos importantes da matéria para mandar bem na prova.

Um bom local para fazer isso é o Trilha do Enem, que pode ser acessado por qualquer dispositivo e concentra videoaulas sobre diversos temas. No site, há materiais divididos por disciplinas para você avaliar e testar o seu nível de conhecimento em cada área.

É possível usar a página para revisar conceitos, fazer exercícios com simulados e até obter um plano de estudo personalizado para o seu perfil. O melhor é que todos esses recursos podem ser aproveitados de forma gratuita, então, não perca a oportunidade!

Esperamos que essas dicas favoreçam seus aprendizados e permitam que você tenha sucesso ao abordar o tecido muscular no vestibular ou Enem. O próximo passo é encaixar as revisões dessa matéria em seu cronograma diário ou semanal para garantir que os tópicos mais relevantes sejam conferidos.

Quer outras sugestões de práticas para reciclar conhecimentos em véspera de prova? Acesse agora as nossas 6 dicas para fazer resumos e otimizar seus estudos.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: