Afinal, quantas horas estudar por dia para o Enem?

relógio representando horas para estudar para o enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma prova que precisa receber atenção especial. E não é para menos, afinal, o Enem não é um vestibular como todos os outros, já que é dividido em diferentes competências com o objetivo de avaliar seu conhecimento de maneira interdisciplinar.

Por esse motivo, para que você tenha sucesso no exame, é importante criar uma estratégia de estudos capaz de garantir uma boa noção de interpretação e cruzamento de dados e raciocínio lógico, além do desenvolvimento do seu pensamento crítico em relação à compreensão dos fatos da atualidade. Quanta coisa, não?

Aí, vem a pergunta: quantas horas estudar por dia para o Enem? Para ajudar você a estabelecer um planejamento de estudos mais adequado, é sobre esse assunto que falaremos neste post. Aproveite bem a leitura e organize sua rotina de estudos agora mesmo!

Quantas horas por dia estudar para o Enem?

É claro que todo estudante deseja saber por quanto tempo estudar para o Enem por dia, a fim de reter a maior quantidade de conhecimento e se dar bem exame. No entanto, a resposta é que não há um número ideal de horas para estudo, pois cada um tem um ritmo, bem como necessidades distintas. O que existe, sim, é uma estratégia eficiente.

O principal motivo é que se debruçar sobre os livros por uma grande quantidade de horas, sem planejamento, apenas vai causar estafa física e mental. Em outras palavras, isso quer dizer que seu cérebro simplesmente vai se recusar a absorver qualquer tipo de informação — como resultado, você só terá estresse e pouco rendimento.

Então, não confunda quantidade de horas com qualidade dos estudos. Inclusive, vale muito mais a pena estudar menos horas com foco total do que permanecer muito tempo fechado em seu quarto, em meio a inúmeras distrações que só atrapalham o rendimento.

O mesmo vale para uma distribuição pouco criteriosa das matérias. Queremos dizer que é empurrar com a barriga aqueles conteúdos em que se tem maior dificuldade e gastar muito tempo nas disciplinas que você domina bem.

Pensando nisso, saiba que o importante é aproveitar de forma objetiva o tempo dedicado ao estudo para o Enem. Lembre-se daquele ditado que diz: “o menos é mais”.

O que influencia o rendimento durante essas horas?

Além de saber como organizar os estudos para o Enem, é importante que você compreenda quais pontos influenciam um rendimento maior durante as horas de estudo. Então, dê uma olhada nos tópicos abaixo e veja o que pode determinar a qualidade da rotina de estudos. Vamos lá?

Reconhecer seu estilo de aprendizagem

Cada pessoa tem um estilo próprio de aprendizagem. Conhecer o seu é importante para traçar a melhor estratégia de estudos. Veja os estilos mais comuns:

  • visual: adota imagens, imagens e entendimento espacial;
  • auditivo-musical: gosta de usar sons e música;
  • verbal (linguística): prefere usar palavras;
  • físico (cinestésico): gosta de atividades práticas, põe a “mão na massa”;
  • lógico (matemático): usa lógica, raciocínio e sistemas;
  • social (interpessoal): prefere aprender em grupo;
  • solitário (intrapessoal): prefere estudar sozinho.

Utilizar técnica de estudos eficiente

Além de conhecer seu estilo de aprendizagem, é importante estabelecer a sua técnica de estudos, a fim de fixar a maior quantidade de conhecimentos em menos tempo.

Um exemplo disso é o chamado mapa mental, que são esquemas para memorizar conteúdos ― um diagrama que aborda um tema central e, a partir dele, partem informações-chaves que auxiliam você a compreender e a fixar as matérias.

Considerar o período de maior produtividade

Todos nós temos um período do dia em que somos mais produtivos. Então, não brigue com o sono ou com a procrastinação. Observe em quais horas você rende mais e aproveite esses momentos para dar tudo de si nos estudos. É melhor do que ficar dormindo em cima dos livros ou se culpando por não ter conseguido produzir muito, não é mesmo?

Ter foco e concentração

Lembre-se de que quando for estudar, você precisa ter um máximo de foco e concentração naquilo que está fazendo. Portanto, é preciso se desligar de conversas paralelas com as pessoas da família, parar de falar no WhatsApp e fuçar nas redes sociais.

É bem possível que você precise do seu celular, mas utilize-o de forma consciente. Do contrário, seria apenas mais uma fonte de distração.

Como montar um cronograma de estudos?

Agora que você já sabe o que influencia o seu rendimento, veja como organizar os estudos para o Enem. Por meio de um cronograma será possível determinar quantas horas e em quais momentos do dia se dedicar a essa atividade. Veja nossas dicas a seguir.

Tenha um plano de estudos eficiente

A primeira coisa a se fazer para determinar quantas horas estudar por dia para o Enem é um plano de estudos eficiente. Por isso, recomendamos que você visite o Trilha do Enem. Nesse site você poderá avaliar gratuitamente seu nível de conhecimento para o exame e, com isso, receber um plano de estudos personalizado.

Monte um quadro geral de horários

A partir de um plano de estudos, você conseguirá montar um quadro geral de horários com todas as disciplinas e tarefas a serem cumpridas. Lembre-se de destinar uma carga horária maior para as matérias mais complicadas para você e que exijam maior concentração ― em geral são disciplinas como Matemática, Português e redação, mas isso varia de pessoa para pessoa.

Divida seu horário entre atividades teóricas e práticas

Lembre-se de mesclar em seu cronograma de estudos os horários para atividades teóricas e práticas. Nas atividades teóricas, inclua assistir a vídeos, realizar leituras, revisar conteúdos e montar esquemas de memorização, como é um caso do mapa mental que comentamos acima.

Já nas atividades práticas, separe momentos para fazer exercícios de fixação e destine pelo menos um dia na semana para realizar simulados de vestibular. O intuito desses testes é que você consiga treinar seu tempo e sua velocidade nas respostas. Também inclua a redação, segundo os moldes do Enem.

Tenha uma planilha

Quer deixar ainda mais fácil a tarefa de montar seu cronograma de estudos para o Enem? Tenha uma planilha para organizar os estudos para o Enem. Nesta que compartilhamos, você vai encontrar:

  • um cálculo rápido de sua carga horária;
  • os principais conteúdos do Enem;
  • as orientações de estudo;
  • o status das tarefas.

Por que separar tempo para atividade física e descanso?

Agora, uma última dica: valorize os momentos de lazer, de atividades físicas e de descanso. Para isso, inclua em seu cronograma de estudos pausas recorrentes.

Elas são importantes para você revigorar as energias e descansar seu cérebro. Um ótimo método de gestão do tempo é o Pomodoro, que intercala períodos de 25 minutos de trabalho com foco total e 5 minutos de pausa (após quatro rodadas você faz uma pausa maior). Funciona!

Além disso é preciso ter momentos maiores de descanso, para fazer exercícios, maratonar uma série ou simplesmente dormir.

O exercício, aliás, funciona aliviando sua tensão e diminuindo seus níveis de estresse. Se você passa algum tempo se exercitando antes de estudar ou durante os intervalos de estudos, terá mais disposição para aprender.

Seguindo essas dicas, temos certeza de que será muito mais fácil para você estabelecer quantas horas estudar por dia para o Enem.

Por falar em organização, saiba agora um guia definitivo de Preparação para o Enem 2020!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 6

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: