Proclamação da República: o que foi e como estudar?

bandeira do brasil

Em mais de 500 anos após o seu descobrimento, o Brasil acumula uma série de acontecimentos históricos em sua jornada. Um dos eventos mais marcantes é a Proclamação da República, que fez com que o país — após quase 400 anos de monarquia — se tornasse uma república.

Neste artigo, trazemos um compilado sobre a Proclamação da República, as datas e os principais personagens. Também separamos algumas dicas para fixar o assunto, que é de extrema importância para o Enem, para o vestibular de verão e, também, para o vestibular de inverno. Continue a leitura para aprender mais!

O que foi a Proclamação da República?

A Proclamação da República foi um movimento político-militar que marcou a transição da monarquia constitucional parlamentarista para república presidencialista no comando do Brasil. Tal evento aconteceu devido a uma crise que a monarquia vinha sofrendo há alguns anos e não foi o primeiro movimento do tipo a acontecer.

Com isso, o então rei Dom Pedro II foi destituído do poder e recebeu ordens para o exílio na Europa. O nascimento da República Federativa do Brasil nasceu pelas mãos de milhares, que passaram a ser reconhecidos como defensores da pátria.

Um fato curioso é que a proclamação foi feita por um monarquista. Marechal Deodoro da Fonseca, apesar de militar, era a favor do regime monárquico. Assim como parte dos militares, sua ideia era derrubar apenas o gabinete do Visconde de Ouro Preto. No entanto, quando foi levado ao ato, o Marechal agiu, pois acreditou que a monarquia faria uma represália que causaria a sua prisão.

Como estudar esse tema?

Para estudar esse tema é preciso conhecer os detalhes que antecederam e sucederam a destituição da monarquia no Brasil. A seguir, confira os detalhes!

Quando ocorreu?

A Proclamação da República aconteceu em 15 de novembro de 1889, a partir de um movimento político-militar. Para isso, eles tiveram o Marechal Deodoro da Fonseca como figura marcante por ter efetivado a transição para a república, sendo que ele também ocupou o cargo de presidente do país durante o governo provisório que aconteceu de 1889 a 1891.

Por que aconteceu?

Foi com a Guerra do Paraguai que durou de 1864 a 1870 que alguns setores da elite do país passaram a cogitar com mais veemência a alteração do regime político em vigência. Isso se devia a fatores como o fato de Dom Pedro II não ter filhos e a sua filha mais velha, a princesa Isabel, ser casada com um francês. O temor era que o Governo ficasse nas mãos de um estrangeiro.

Outro aspecto motivador do evento foi a participação dos escravos no exército que foi à guerra. A Lei Áurea foi criada, o que abriu espaço para a abolir a escravidão no Brasil, incomodando os grandes fazendeiros, que também exigiam maior participação nas decisões do Governo. A classe média também queria ter mais voz na política, exigindo a descentralização das decisões tomadas até então pelos monarcas.

Ainda tínhamos a igreja que estava insatisfeita com a interferência nas decisões eclesiásticas. Sem o apoio dela e dos escravocratas, a monarquia perdeu bastante validação, o que levou ela a uma crise de insatisfação em vários segmentos da sociedade.

Quem proclamou?

Como já destacamos o grande precursor desse movimento foi Marechal Deodoro da Fonseca junto de outros militares. Para isso, tiveram o apoio de várias classes sociais, como os grandes fazendeiros (especialmente cafeicultores) e da igreja também.

O que mudou?

Muita coisa mudou além do regime político. No entanto, a passagem de poder não favorecia em nada as camadas sociais mais pobres da sociedade, nem mesmo contou com a participação deles na efetivação do poder. Vale lembrar que a monarquia tinha bastante popularidade entre essa classe em particular, pois foi durante o reinado de Dom Pedro II que a abolição da escravatura aconteceu.

O que se sucedeu foi que as classes que participaram ativamente da concretização da República se empenhavam em apagar os vestígios monárquicos no país, estabelecer heróis republicanos e símbolos que mostravam o poder do modelo Republicano Federalista.

Como memorizar o assunto?

Se você está estudando História para o Enem deve saber que entender sobre o passado e o presente do Brasil é fundamental. É a construção da história do nosso povo. Para conseguir guardar bem os pormenores da Proclamação da República Brasileira, confira as dicas a seguir!

Faça resumos

O resumo é uma ótima maneira de fazer uma revisão do conteúdo, além de ajudar a fixar pontos estratégicos e essenciais de uma passagem histórica. Portanto, quando fizer um plano de estudos para o vestibular, inclua a iniciativa em sua lista.

Além do mais, os resumos servem como um compilado de informações, você não precisará gastar horas e mais horas estudando novamente todos os capítulos de uma matéria ou mesmo de um livro, tendo em mãos um bom material com questões-chaves fica fácil organizar o calendário de estudos.

Releia várias vezes

O hábito de reler ajuda na fixação de uma matéria. Porém, tenha cuidado para não fazer isso de maneira indiscriminada, uma atrás da outra. Após uma primeira leitura e a marcação das partes importantes, tente lembrar os pontos-chaves do assunto.

Na medida que precisar recordar a temática, releia. Uma dica é fazer leituras concentradas, sem interrupções. Ela pode ser realizada de maneira silenciosa ou mesmo em voz alta — muitos estudantes gostam de se explicar o assunto, já que é uma das melhores técnicas de estudo que fazem efeito no aprendizado. Vale a pena tentar!

Utilize flashcards

Que tal se fazer perguntas sobre o assunto e colocá-las em fichas? A técnica de flashcards é muito comum em fórmulas e estudo de idiomas, mas também pode ser usada para aprender História.

A utilização de flashcards é a maneira mais simples e efetiva de memorizar conteúdos mais complexos, ou que têm muitos detalhes. Você faz fichas com perguntas estratégicas e atrás delas coloca a resposta. A ideia é que uma segunda pessoa faça as perguntas e você treine.

Faça simulados

Fazer simulados é uma ótima forma de relembrar conteúdos e, também, se familiarizar com a estrutura da prova. Para se preparar bem para todas as matérias que caem nos concursos, aproveite o Trilha do Enem! Por lá, além de encontrar videoaulas com questões comentadas, você monta um plano de estudo personalizado. Bacana, não é?

Antes de fazer a inscrição para o vestibular, ou mesmo de participar do Enem digital, observe também se a instituição oferece provas exclusivas e procure exames aplicados anteriormente. De maneira geral, as faculdades costumam cobrar a Proclamação da República, logo, vale sempre a pena revisar e saber os detalhes desse acontecimento marcante para o país.

E falando em estudos, que tal aprender a organizá-los? Baixe gratuitamente a nossa planilha e monte o seu cronograma!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: