Como foi a Independência do Brasil e como estudá-la?

bandeira do brasil representando independência

“Ouviram do Ipiranga, às margens plácidas / De um povo heroico, um brado retumbante…” Essas são as palavras iniciais de uma das composições mais famosas do Brasil. E, não, não estamos nos referindo a uma das músicas que estão no top 5 das rádios do país atualmente, mas sim ao nosso Hino Nacional.

Talvez você não saiba — o que é perfeitamente normal, já que essas palavras não são comuns em nosso vocabulário do dia a dia —¸ mas esse trechinho inicial fala justamente do episódio que conhecemos como Independência do Brasil. Nele, se diz que as pessoas ouviram, às margens do rio Ipiranga, o grito de um povo heroico, no caso, a nação brasileira.

Mas será que foi realmente assim que aconteceu tudo isso? A participação popular no evento da independência foi realmente expressiva? Quem comandou todo esse processo? Como ele aconteceu? A seguir, discutiremos o que realmente aconteceu naquele 7 de setembro de 1822. Boa leitura!

Qual é a importância de estudarmos a Independência do Brasil?

Muitos de nós sabemos o que é a Independência do Brasil, certo? No entanto, ter esse conhecimento não é o suficiente. Precisamos, também, estudar o evento de maneira mais aprofundada. Mas… por quê?

Há muitas respostas possíveis para essa pergunta. No entanto, uma das mais importantes é: para conhecermos a nossa própria história e, assim, estudar sobre democracia e aprendermos a colocá-la em prática em nosso dia a dia. Afinal, só podemos votar com consciência quando temos, em nossas mãos, todo o conhecimento necessário para fazer boas escolhas.

Sendo assim, estudar a Independência e outros eventos — como o descobrimento do Brasil e a Proclamação da República — são pontos essenciais para a construção da cidadania e, claro, para que possamos mandar bem em nossas provas de vestibular.

Quais foram os principais personagens dessa história?

Para entendermos como foi a independência do Brasil, precisamos também saber quem foram os personagens mais notáveis a participar desse evento histórico.

O protagonista desse enredo é Dom Pedro I. Ele chegou ao Brasil ainda pequeno, graças à fuga de seu pai, Dom João VI, de Portugal. Isso ocorreu devido ao controle de Napoleão na Europa, outro tema que não pode ser deixado de fora de seus estudos!

D. Pedro era o Imperador do Brasil e foi ele quem gritou, às margens do rio Ipiranga, a célebre frase: “independência ou morte!” Outro nome importante desse processo foi José Bonifácio, responsável por grandes articulações políticas na época.

E, por fim, temos Maria Leopoldina. Coube a ela, como esposa do imperador, a responsabilidade de assinar o Decreto de Independência do Brasil, já que seu marido se encontrava ausente do Palácio Real no momento em que o documento foi elaborado.

Como aconteceu o processo de Independência do Brasil?

Agora, chegou a hora de conhecermos mais sobre a história da Independência do Brasil. Esse foi um processo que começou muito antes, com a chegada da família real portuguesa ao território brasileiro.

Por estarem alojados em uma colônia — fato inédito até então —, a família real precisou fazer algumas concessões e estabelecer políticas modernizadoras no Brasil. A abertura dos portos brasileiros para outras nações, por exemplo, significou o fim do Pacto Colonial (que exigia que o Brasil comercializasse apenas com Portugal).

E isso não foi tudo. Com o tempo, o Brasil também teve seu status elevado de colônia ao título de Reino Unido. É quase como se tivéssemos recebido uma promoção. Tudo isso, é claro, também tinha o objetivo de evitar que o nosso país se desvinculasse totalmente de Portugal.

Tudo isso, evidentemente, fez com que muita coisa mudasse por aqui. E nas terras portuguesas também. Com a Revolução Liberal do Porto, os portugueses exigiam a volta da Família Real, pois se sentiam abandonados pelo próprio monarca. Foi aí que o processo de independência começou a se desenhar.

Contexto histórico

O contexto histórico em que se deu a Independência foi o caos. Em Portugal, a crise econômica e social assolava os portugueses. No Brasil, as coisas também estavam um pouco complicadas, e o sentimento de insatisfação era praticamente generalizado.

Sendo assim, Dom João VI precisou retornar à sua terra e deixou o filho, Dom Pedro I, como responsável pela gerência da colônia — agora, um Reino Unido de Portugal.

Os portugueses, por sua vez, passaram a exigir também a volta de Pedro I. Este negou a exigência e fez com que a independência fosse a única solução para os problemas enfrentados tanto aqui, quanto na Europa.

Causas

Além da crise enfrentada nas duas nações, outras causas também influenciaram D. Pedro I (e sua equipe) a pensarem na questão da Independência do Brasil. Uma delas foi a crise do sistema colonial, que se encontrava em colapso. A abertura da economia brasileira ao exterior fazia com que essa situação ficasse insustentável.

Além disso, havia um crescente medo da mobilização popular em prol da independência. Isso já era uma tendência observada em outros países, como a França e os Estados Unidos. E, claro, as ideias iluministas começavam a chegar na América Latina.

Dessa forma, quando D. Pedro I proclamou a independência, o controle sobre o Brasil ainda permaneceu, de certa forma, nas mãos da Coroa Portuguesa. Por isso, é fundamental salientar que esse movimento foi exclusivamente elitista e da nobreza. A participação popular em todo o processo foi praticamente nula.

Consequências

Agora, veremos algumas das consequências — sejam elas diretas ou indiretas — da Proclamação da Independência de nosso país. Confira:

  • construção, ainda que gradual, de uma identidade “brasileira”;
  • primeiros passos do surgimento do nacionalismo;
  • surgimento de uma grande dívida, já que o Brasil precisou pagar uma indenização à Coroa Portuguesa pela independência.

Quais são os pontos-chave para estudar a temática para o vestibular?

Estudar História é algo muito complicado para algumas pessoas. É difícil se recordar de tantas datas, nomes e eventos. Por isso, a nossa dica é: para estudar a Independência do Brasil (e outros assuntos dessa matéria), utilize recursos diferentes.

Primeiro, não abra mão da teoria. Leia bastante sobre o assunto e tente imaginar a situação como se fosse um filme. Para muitos alunos, essa dica funciona muito bem!

Além disso, assista, de fato, filmes e documentários sobre o assunto. Ouvir podcasts também pode ajudar bastante na assimilação de todos os acontecimentos!

Por fim, não deixe de fazer muitas questões para fixar o conteúdo e, claro, de contar com a ajuda de videoaulas e resumos especiais sobre esse assunto. Para isso, você pode acessar o site Trilha do Enem, que oferece conteúdos de altíssima qualidade, elaborados por professores que são feras nesses temas!

Gostou de saber mais sobre todo o processo de Independência do Brasil? Esse é um evento muito importante para a nossa história. Por isso, conhecê-lo é parte fundamental da construção de nossa cidadania e, claro, para a solidificação de uma democracia realmente eficiente em nossa sociedade.

Para saber ainda mais sobre a trajetória de nosso país até os dias atuais, há outros temas que não podem deixar de ser estudados. Confira, então, o nosso post sobre o Tratado de Tordesilhas e tire suas dúvidas sobre esse assunto!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: