Coronavírus e política: saiba como estudar essas atualidades

enfermeira com frasco de coronavírus covid-19

Coronavírus e política, dois assuntos que passaram a andar juntos desde a declaração dos primeiros casos no mundo. O que foi feito pelos governos? A pandemia, de maneira geral, vem exigindo manobras especiais por parte dos governantes no mundo inteiro no que se refere a questões de saúde, economia e relações internacionais.

Se você está estudando para o Enem, deve saber que há uma grande probabilidade de questões sobre o assunto fazerem parte da prova, já que as atualidades no Enem estão presentes em todas as provas. Quer se preparar melhor? Confira o panorama sobre política, economia e coronavírus que trouxemos neste artigo para você!

O impacto da Covid-19 na política

A pandemia afetou profundamente os sistemas políticos ao redor do mundo. Em pouco tempo, foi preciso rever atividades legislativas, decretar distanciamento social, agendar eleições, entre outros aspectos. Alguns dos principais impactos que mudaram a atual conjuntura política foram: a popularidade das lideranças, as relações comerciais entre países e os planos de urgência para conter o declínio da economia.

A começar pela questão dos chefes de estados. Em muitas nações, vimos um movimento de queda na popularidade destes, como foi o caso dos Estados Unidos. Donald Trump que, até então, tinha uma alta chance de reeleição, agora luta pelo aumento de sua aprovação, que decaiu em decorrência das suas ações na pandemia. Já a Alemanha e, até mesmo, a Itália, um dos países mais atingidos pela pandemia na Europa, tiveram um aumento na confiança da população em relação aos seus líderes.

Outro ponto evidenciado foi a questão das relações comerciais internacionais. Os EUA fizeram duras críticas à China pela forma como ela conduziu a pandemia, que iniciou em uma província do país asiático. Por sua vez, a China declarou que os EUA eram responsáveis pelo vírus, que este teria sido trazido pelos militares. Isso teve reflexo nos tratados econômicos, e a Europa também entrou nessa disputa, se dividindo com relação à opinião.

Por fim, tivemos também o impacto econômico. Com a quarentena, diversos segmentos comerciais considerados não essenciais tiveram que fechar as suas portas, o que levou os países a terem que rever as projeções econômicas, a injetar dinheiro nos setores e a ofertar recursos para a própria população, a fim de evitar o colapso nas finanças e causar uma retração ainda maior.

Esse fato também acelerou o fim do confinamento em algumas partes, mais cedo do que o ideal. Afinal, muitos postos de trabalho foram perdidos, levando a uma taxa de desemprego sem precedentes. De maneira geral, isso causou um aumento significativo de conflitos, fome e pobreza.

As medidas tomadas pelo governo brasileiro na pandemia

E como o governo brasileiro agiu? Quais foram as principais pautas discutidas pelos políticos em nosso país? Confira as respostas a seguir!

Auxílio Emergencial

Economia e coronavírus pautaram grande parte das medidas tomadas pelo governo brasileiro na pandemia. A começar pelo Auxílio Emergencial, que é um benefício em dinheiro oferecido pelo Governo Federal aos trabalhadores informais, bem como aos profissionais autônomos e aos desempregados. A ideia era oferecer uma proteção de emergência a essas pessoas para que pudessem enfrentar a crise econômica causada pela pandemia.

A princípio, o valor seria de R$ 200, mas ele foi acordado em R$ 600 pagos durante três meses. No entanto, tendo em vista que a situação ainda continua grave no país, a ideia é estender o projeto até o fim do ano, mas a um valor de R$ 200.

Desemprego

Uma medida tomada pelo Governo esteve diretamente ligada à manutenção dos postos de trabalho. O desemprego atingiu a marca de 12,9 milhões de brasileiros no primeiro trimestre de 2020, segundo o IBGE. Com isso, o Governo trabalhou algumas questões, como a Medida Provisória, que permitiu às empresas reduzirem a jornada de trabalho e os salários por um determinado período, a fim de evitar as dispensas em massa.

Plano de Estudos para Medicina

Outro ponto discutido foi o formato de trabalho. Muitas empresas adotaram um regime remoto para preservar a saúde do colaborador e deixaram a questão: será esse o futuro do mercado de trabalho?

Educação

A educação também foi outra pauta política desse tempo de pandemia. Instituições de ensino tiveram que implementar o sistema de educação a distância. A questão é que as secretarias não estavam preparadas. Enquanto alguns alunos seguem no sistema de homeschooling, especialmente da rede privada, os estudantes do ensino público, em grande parte dos casos, continuam sem aulas, devido às condições precárias de acesso a computadores e, até mesmo, à internet, escancarando ainda mais a desigualdade social no Brasil.

O sistema agora discute uma forma segura de voltar às aulas, ou mesmo um novo formato de levar materiais às classes sociais mais baixas.

Vacina e uso de medicamentos

O desenvolvimento de estudos para vacinas também entrou na pauta política deste ano. O país já fechou parcerias com laboratórios tanto da China quanto do Reino Unido, que já têm pesquisas avançadas em relação à vacina.

Depois de terem seus resultados comprovados, a corrida será para prover a imunização para toda a população e da maneira mais eficaz, o que é um desafio e tanto dado o tamanho continental do nosso país. Para isso, instituições brasileiras, como a Fiocruz, já trabalham em parceria para produzir as doses aqui mesmo e fazer a distribuição mais eficiente.

O uso de medicamentos é um tópico bastante discutido no país. Quem não ouviu falar sobre a cloroquina ou a ivermectina? Alguns defensores cobram a utilização dos medicamentos, mas, até então, não há estudos que comprovem a sua eficácia no tratamento do coronavírus.

Análises sobre política durante o coronavírus

Se você está estudando sobre pandemia no Enem ou mesmo sobre coronavírus no Enem, saiba que grandes são as chances do assunto cair na prova. Como vimos ao longo do artigo, a política interferiu (e muito!) no avanço da Covid-19.

É muito importante que você, como estudante, esteja atento a esses posicionamentos para compreender de maneira ampla os acontecimentos. E como isso o ajudará? Seja na hora de marcar uma questão, ou mesmo se esse for o tema da redação do Enem deste ano, você terá argumentos para trabalhar o seu raciocínio a respeito da questão e poderá embasar melhor o seu texto, se esse for o caso.

Entender o contexto não só em que o Brasil se encontra, mas o mundo como um todo, ampliará a sua capacidade de argumentação e de interpretação e facilitará a sua proposta de intervenção.

Por ser um acontecimento que afeta diversas áreas, a pandemia não deve ser estudada apenas como uma questão de saúde, mas também como um fator histórico, econômico e político. Nesse caso, para fazer ligação até mesmo com outros momentos em que a humanidade viveu situações semelhantes, vale a pena acompanhar o Trilha do Enem.

Esperamos que tenha gostado deste artigo. Para aperfeiçoar os seus conhecimentos, saiba agora como a questão da saúde pública no Brasil pode cair na redação!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: