Se prepare para o Sisu 2020: saiba como funciona

sisu2020vestibulares

Se você está se preparando para prestar o vestibular e tem planos de cursar alguma faculdade pública, saber o que é e como funciona o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do Ministério da Educação (MEC) pode facilitar bastante sua vida.

Atualmente, o Sisu conta com a participação de mais de 250 instituições públicas de ensino superior espalhadas pelo país, que reservam mais de 200 mil vagas aos candidatos que prestam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e se cadastram no seu sistema.

Com ele, é possível pleitear mais facilmente uma vaga em instituição pública. Além disso, você também pode concorrer a vagas em duas instituições de ensino diferentes fazendo apenas um exame. Continue conosco e saiba mais sobre os seguintes tópicos:

  • Como funciona o Sisu?
  • Quem pode participar?
  • Como se inscrever no Sisu?
  • Como é a concorrência no Sisu?
  • Como é feita a matrícula no Sisu?
  • Como funciona a lista de espera?
  • Além do Sisu, quais são as opções para entrar na faculdade?

Como funciona o Sisu?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é uma plataforma digital desenvolvida pelo Ministério da Educação, que possibilita os estudantes a disputarem vagas em até dois cursos diferentes, em mais de uma instituição pública usando a nota da prova do Enem do ano anterior. A inscrição é realizada duas vezes por ano (janeiro e junho), e os alunos que obtiverem melhor classificação são selecionados.

O cadastro é realizado pela internet, portanto não é preciso sair de casa para se inscrever. Basta acessar o site oficial do Sisu e seguir as etapas da forma como são explicadas lá. Assim, você otimiza o tempo depois da prova, evitando, por exemplo, listas de espera da faculdade, que acabam impedindo que você realize outras provas.

O programa é uma solução simples que permite aos estudantes economizarem tempo e dinheiro. O Sisu é especialmente importante para quem mora longe dos grandes centros urbanos e que normalmente precisa viajar para outras cidades para realizar as provas específicas de cada instituição.

Quem pode participar?

Pode se inscrever no Sisu qualquer estudante que tenha realizado a prova do Enem no ano anterior ao da inscrição.Além disso, o candidato deve ter tirado nota acima de zero no exame de redação. Então, por exemplo, se você realizar o Enem em 2020, pode se candidatar ao Sisu de 2021. Durante o cadastramento, aliás, será solicitado o seu número de inscrição no Enem do ano anterior.

Como se inscrever no Sisu?

Para realizar o cadastro no Sisu é necessário ter em mãos apenas o número de inscrição e a senha registrados no Enem. As inscrições são gratuitas e, como mencionamos, abertas em duas oportunidades: uma em janeiro, para ingresso no primeiro semestre; e outra em junho, para iniciar os estudos no segundo semestre do ano. O cadastro é feito diretamente no site do Sisu.

Mas fique atento: o sistema estipula as notas de corte de cada curso de acordo com o número de candidatos inscritos. Ou seja, caso a sua nota seja abaixo da média determinada para o curso de graduação que escolheu, sua inscrição será rejeitada.

No entanto, isso não impede que você se candidate para outro curso, e, se estiver acima da nota de corte, é aprovado. Essa nota é apenas para referência na inscrição, que não assegura a vaga pleiteada. 

Como é a concorrência no Sisu?

Ao fazer a inscrição, você deverá escolher até duas opções de cursos — por ordem de preferência — entre as vagas oferecidas pelas instituições que participam do Sisu.

Será necessário, também, definir se vai concorrer a vagas comuns ou às destinadas para candidatos específicos. As instituições de ensino federais, por lei, devem reservar parte dos postos a estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas, assim como para candidatos afrodescendentes, indígenas ou Pessoas com Deficiência (PcD).

Os estudantes cotistas concorrem apenas entre eles e, no caso das vagas gerais, você disputará com candidatos que tiverem optado pelo mesmo curso e instituição de ensino.

Após a inscrição, o sistema selecionará automaticamente os concorrentes mais bem classificados dos cursos com base na nota do Enem, até preencher o número de vagas oferecidas. Vale ressaltar que algumas instituições participantes do Sisu adotam pesos diferentes para as provas do Enem.

Como é feita a matrícula no Sisu?

O Sisu realiza apenas uma chamada para matrícula a cada semestre e quem for selecionado deve efetuá-la dentro de um prazo, a fim de confirmar a ocupação da vaga.

Eles devem verificar as informações sobre o horário, o local e o processo de matrícula diretamente com a instituição de ensino em que foram aprovados. Esses procedimentos variam conforme as faculdades e a época do ingresso.

Como funciona a lista de espera?

Os candidatos que forem selecionados em sua primeira opção de curso não terão oportunidade de fazer parte da lista de espera, tendo se matriculado ou não para o curso. Para quem quer fazer parte dessas listas, no entanto, há algumas alternativas.

Os selecionados para a segunda alternativa, tendo ou não realizado a matrícula na instituição, poderão manifestar interesse em participar da lista de espera no curso escolhido como primeira opção. Para isso, deverão acessar seu boletim na página do Sisu e declarar o interesse dentro do prazo estipulado.

Além dos selecionados na segunda opção, também podem participar da lista de espera aqueles que não tiverem sido selecionados para nenhuma das suas duas opções. O candidato que declarar interesse em participar da lista de espera deverá fazer o acompanhamento das convocações junto à própria instituição de ensino.

Além do Sisu, quais são as opções para entrar na faculdade?

Embora seja importante para milhares de estudantes simplificarem seu ingresso em uma instituição pública, o Sisu não é o único programa de seleção desse gênero. Entre as alternativas mais comuns a ele, podemos citar:

  • o Prouni (Programa Universidade para Todos) do Governo brasileiro que oferece bolsas de estudo em faculdades particulares a estudantes de baixa renda;
  • o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), que concede financiamento aos estudantes selecionados pelo Prouni e que desejam estudar em instituições particulares de ensino superior.

Vale a pena falarmos, em separado, sobre um outro programa que acaba ficando de lado quando as opções anteriores são consideradas. O PEP tem grandes vantagens para quem pretende cursar o ensino em instituições privadas.

O Parcelamento Estudantil Privado (PEP)

A taxa de evasão nos cursos superiores é muito alta no Brasil, e um dos motivos disso é o valor das mensalidades, que nem sempre condiz com a capacidade financeira dos estudantes.

Pensando em solucionar esse problema, em 2015 foi criada uma nova modalidade de parcelamento, com condições facilitadas para todo tipo de público. Trata-se do Parcelamento Estudantil Privado (PEP). Informe-se sobre o programa e veja todas as oportunidades que o PEP 2020 apresenta. Assim, você não precisa prejudicar seus estudos por razões financeiras.

Saber o que é e como funciona o Sisu é uma maneira de poupar tempo e dinheiro, já que é possível aproveitar duas opções de cursos na mesma faculdade, ou em instituições diferentes, com a nota da prova do Enem feita uma única vez. Não deixe de realizar o seu cadastro nesse programa!

Conseguimos esclarecer as suas dúvidas? Esperamos que sim! Então, agora fique bem atento e saiba como será o cronograma do Enem 2020!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: