Engenharia Elétrica: tudo sobre essa área em alta!

Engenharia Elétrica

Sabia que Engenharia Elétrica está entre as áreas mais bem-pagas do país? Os engenheiros elétricos ocupam cargos extremamente técnicos e são bem-remunerados pelas suas atuações em empresas e em fábricas de vários setores. Esses profissionais também encontram um mercado de trabalho com várias áreas de atuação depois da graduação.

Dito isso, se você tem o desejo de fazer a faculdade de Engenharia Elétrica, mas ainda tem dúvidas sobre mercado de trabalho, salário e áreas de atuação, continue a leitura para conhecer melhor como funciona a Engenharia Elétrica!

Como funciona a área de Engenharia Elétrica?

Antes de mais nada, vamos entender melhor o que é a Engenharia Elétrica e qual é sua importância na vida em sociedade.

Basicamente, a Engenharia Elétrica envolve as diversas aplicações da eletricidade, do eletromagnetismo e da eletrônica. Os engenheiros elétricos, de modo geral, são os responsáveis por projetar, executar e manter sistemas capazes de gerar e de distribuir energia elétrica.

Não pensamos na Engenharia Elétrica ao ligar um interruptor de luz, pegar o elevador ou abrir a geladeira, mas todas essas atitudes simples dependeram de um engenheiro elétrico por trás da construção do sistema de energia.

Isso mostra que os profissionais da área têm a grande responsabilidade de levar energia elétrica à população com segurança.

Por outro lado, o engenheiro elétrico também pode se envolver com setores com implicações mais indiretas na vida das pessoas, como na construção de sistemas para aeronaves e equipamentos hospitalares.

Em cada setor, o engenheiro elétrico ganha responsabilidades muito particulares. Em todos os casos, esses profissionais estão por trás do planejamento e da execução de sistemas elétricos, dos simples aos mais complexos.

Os principais locais de trabalho do engenheiro elétrico são construtoras, indústrias, empresas de telecomunicação e subestações e usinas.

Como está o mercado de Engenharia Elétrica no Brasil?

Há muitas oportunidades para os profissionais que se especializam em Engenharia Elétrica. No geral, um engenheiro elétrico atua na iniciativa privada ou em órgãos públicos via concursos, como secretarias, instituições federais, estaduais e municipais.

A área está fortemente ligada às indústrias que fazem a economia do país se movimentar, como a produção energética e as telecomunicações, e isso significa que dificilmente um engenheiro capacitado fica sem emprego.

A tendência de empregabilidade na indústria é de otimismo para os próximos anos, depois de dois anos com a economia enfraquecida por conta da pandemia da COVID-19.

Obras de infraestrutura, expansão das telecomunicações e investimento em energia renovável contribuem para a crescente demanda por profissionais de Engenharia Elétrica no mercado de trabalho.

O país registrou um crescimento de 55% na quantidade de vagas na indústria, resultado maior do que nos últimos quatro anos, de acordo com relatório recente da empresa de recrutamentos Infojobs.

O cenário de empregabilidade para os engenheiros elétricos também é favorável porque a faculdade de Engenharia Elétrica em si forma profissionais dinâmicos — capazes de trabalhar com sistemas em diferentes segmentos e assumir diversos papéis.

Quais são as principais atuações em Engenharia Elétrica?

Veja quais são as profissões e os salários para quem escolhe atuar em Engenharia Elétrica.

Engenheiro de controle e automação

Um engenheiro de controle e automação é o responsável pelas etapas de automação dos processos de produção em uma empresa. O profissional planeja e executa novos sistemas ou faz reparos e manutenções em sistemas industriais já existentes.

É um ramo da Engenharia Elétrica com forte adesão na indústria. A fabricação e a aplicação de máquinas e equipamentos robotizados ou automatizados é uma tendência para o futuro dos processos de produção.

A média salarial do engenheiro de controle e automação é R$ 7.671,00* no mercado de trabalho brasileiro, mas a remuneração pode chegar ao teto de R$ 9.061,00*, de acordo com relatório do site Vagas.com.br.

Engenheiro de projetos

Um engenheiro de projeto supervisiona e gerencia projetos de engenharia, inclusive projetos de Engenharia Elétrica. Esse profissional é quem viabiliza o orçamento, o cronograma, os desenhos e todos os recursos para montagens, manutenções, reparos, instalações, entre outros processos.

O engenheiro de projeto elétrico pode, também, contratar pessoal adicional para garantir a conclusão de um projeto seguindo suas especificações.

Esse profissional monitora o trabalho de cada membro da equipe, incentiva todos os envolvidos a cumprir prazos e, por fim, garante que o resultado do projeto esteja em conformidade com o que foi planejado inicialmente.

No cargo de engenheiro de projetos elétricos, o salário médio é de R$ 6.700,00*, mas o profissional pode vir a ganhar o teto de R$ 9.311,00*, segundo relatório do site Vagas.com.br.

Engenheiro de teste

Um engenheiro de teste é responsável pela realização de testes, instalações, equipamentos e outros sistemas elétricos. Esse profissional conversa com as partes interessadas para entender melhor as suas necessidades com o resultado final, formula planos de teste e analisa casos de uso.

No geral, um engenheiro de teste está envolvido quando é necessário fazer o teste de projetos de produtos e de instalações finais. Esse profissional pode corrigir problemas e oferecer orientação na implementação de soluções.

No mercado de trabalho brasileiro, o engenheiro de teste ganha em média R$ 6.391,00* e pode vir a ganhar o teto de R$ 8.247,00*, segundo relatório do site Vagas.com.br.

Engenheiro eletricista

Um engenheiro elétrico ou eletricista é responsável por projetar e desenvolver equipamentos elétricos, dentre eles equipamentos de fabricação, sistemas de navegação, sistema elétrico em diferentes veículos e smartphones.

O engenheiro que atua nesse cargo pode propor testes com o equipamento e fornecer soluções para quaisquer problemas que encontre com o design ou a funcionalidade, por exemplo.

A média salarial do engenheiro eletricista é R$ 7.500,00*, mas a remuneração da profissão pode chegar ao teto de R$ 9.001,00*, segundo relatório do Vagas.com.br.

Engenheiro de telecomunicações

Um engenheiro de comunicações é responsável por projetar e desenvolver sistemas de telecomunicação como satélites e fibra ótica.

Esse profissional também ajuda na instalação de equipamentos para garantir que eles estejam funcionando corretamente e que a transmissão recebida/transmitida é de qualidade.

O engenheiro de telecomunicações ganha a média salarial de R$ 7.738,00*, de acordo com relatório do site Vagas.com.br.

Engenheiro de sistemas

Um engenheiro de sistemas garante que determinados sistemas pelos quais ele é responsável sejam totalmente funcionais e otimizados.

É um profissional indispensável em empresas voltadas à tecnologia e a indústrias diversas, como construção civil, aeroportos, indústria automotiva e farmacêutica.

O engenheiro de sistemas pode instalar novos softwares e eletrônicos, monitorar o uso desses sistemas e atualizá-los conforme necessário.

A média salarial da profissão é R$ 5.591,00*, e o teto salarial chega a R$ 10.335,00*, de acordo com relatório do site Vagas.com.br.

Engenheiro aeronáutico

Um engenheiro aeronáutico constrói sistemas para aeronaves e sistemas associados, como satélites. Esse profissional também pode participar da manutenção de aeronaves e de seus componentes.

Engenheiros aeronáuticos realizam testes extensivos em seus projetos para garantir que todos os sistemas estejam operando juntos. Eles também encontram maneiras de melhorar o desempenho e realizar pesquisas.

O engenheiro aeronáutico pode atuar na indústria e em obras e serviços ligados à infraestrutura aeronáutica, como construção de aeroportos, planejamento de linhas e gerenciamento de tráfego aéreo.

A média salarial da profissão é R$ 10.193,35*, e o teto salarial chega a R$ 20.799,60*, de acordo com relatório do site Salario.com.br.

Engenheiro eletrônico

Um engenheiro eletrônico atua de forma generalista. É o responsável por projetar, desenvolver, implementar e fazer a manutenção de equipamentos eletrônicos, como GPS, utensílios de cozinha, motores elétricos, entre outros sistemas.

Esse profissional pesquisa projetos e testa componentes para atender às especificações de seu trabalho.

A média salarial do engenheiro eletrônico é R$ 7.756,00*, de acordo com relatório do site Vagas.com.br.

Quais são as tendências para Engenharia Elétrica?

Seguindo os passos das novas tecnologias e as preocupações com o meio ambiente, as novidades da Engenharia Elétrica trazem uma série de novidades para os profissionais da área. Confira a seguir quais são e como será o futuro da Engenharia Elétrica.

Tour pela prova do Enem

Energias alternativas

A busca por fontes alternativas de energia está entre as principais características do futuro da Engenharia Elétrica. É uma discussão que não faz parte somente das Engenharias, porque a produção de energia limpa e a necessidade de diminuir a emissão de gases nocivos ao meio ambiente abrangem vários setores da economia.

Uma das formas de obter energia limpa e renovável é por meio da energia solar. Embora não esteja ao alcance da maioria dos brasileiros, a energia solar é vista enquanto uma solução mais barata e com uma produção descentralizada.

A energia solar é gerada por meio de placas fotovoltaicas colocadas próximas do local onde acontece seu fornecimento. Porém, um dos desafios para que esse tipo de energia se torne mais gerada é o custo alto de instalação.

Outras fontes alternativas de energia que pretendem ser cada vez mais usadas é o gás natural e a biomassa.

Digitalização dos processos

Dificilmente haverá um setor que sairá ileso da transformação digital. Nessa evolução, a Engenharia Elétrica está entre os setores mais impactados pela migração dos processos para o mundo digital. Por meio de softwares e de aplicativos, já é possível visualizar informações de produção, solucionar falhas e dificuldades com os clientes.

Para o futuro, espera-se que mais fábricas invistam na modernidade das suas operações para a criação de sistemas elétricos. As vantagens dessa evolução são muitas, como os ganhos com produtividade e a redução de erros humanos.

Os novos profissionais do setor precisarão se acostumar com softwares voltados para o controle de produção de energia, sensores que usam Internet of Things (IoT) para evitar desperdícios, sistemas com inteligência artificial para o planejamento de produtos, entre outras tecnologias que digitalizam o processo das fábricas.

Descentralização dos sistemas de produção de energia

Imóveis residenciais, comerciais e até mesmo pequenas fábricas podem contar com seus próprios sistemas fotovoltaicos. Apesar do alto custo, já é uma alternativa possível. Com os investimentos significativos em energias limpas, a exemplo da energia solar, há uma tendência crescente de descentralização na produção energética do Brasil.

Essa descentralização será possível quando houver maior barateamento dos componentes da produção de energia. É uma tendência com grandes vantagens, como o maior controle sobre o consumo de energia de cada localidade e a ampliação do fornecimento de energia para comunidades afastadas dos centros urbanos.

Maior qualificação

O futuro do mercado energético, com tantas tecnologias inseridas nos processos de produção, vai demandar mão de obra qualificada. Os engenheiros elétricos devem estar atentos aos novos desafios e adquirir habilidades para se destacar em um mercado moderno e concorrente.

Essas habilidades incluem capacidade para atuar com novas tecnologias, estudos de novas técnicas e ferramentas específicas do mercado de Engenharia Elétrica. Também estão entre as grandes preocupações dos recrutadores das empresas encontrar talentos com boas habilidades comportamentais, conhecidas como soft skills.

Boa comunicação, senso de inovação, espírito de liderança, empreendedorismo, inteligência interpessoal e capacidade de colaboração estão entre as principais soft skills para os engenheiros elétricos.

Veículos elétricos

Os veículos elétricos impõem grandes desafios para os profissionais que atuam na indústria automotiva, inclusive os engenheiros elétricos que trabalham no desenvolvimento de projetos técnicos e produtivos de veiculares como esses.

Desde que as grandes montadoras abraçaram a sustentabilidade, a produção de carros movidos apenas a eletricidade vem crescendo em nações como Estados Unidos e China.

No Brasil, essa ainda é uma tendência recente e que tende a se tornar maior nos próximos anos. Os principais desafios da produção de veículos elétricos no Brasil são a expansão da infraestrutura de recarga — estas, aos poucos, estão chegando às grandes cidades — e, principalmente, o elevado preço dos veículos elétricos.

Por outro lado, conforme os processos de produção avançam no país, a escala tende a aumentar e, consequentemente, os valores dos veículos elétricos diminuem. Portanto, os avanços dos carros elétricos abrem caminhos interessantes na indústria nacional.

Como ingressar no mercado de Engenharia Elétrica?

Aqui estão algumas dicas para você que tem interesse em seguir carreira em Engenharia Elétrica.

Descubra se você tem o perfil para ser um engenheiro elétrico

Não há dois engenheiros elétricos exatamente iguais. É impossível descrever com exatidão quais atributos uma pessoa deve apresentar para alcançar o sucesso nesse campo. Porém, é verdade que existem certas habilidades que favorecem o trabalho de um engenheiro elétrico.

Veja quais são a seguir:

  • conhecimento de ciência, tecnologia e assuntos relacionados à engenharia: um engenheiro deve ser bem versado em assuntos relacionados à Engenharia Elétrica. Isso envolve a familiaridade com as Ciências Exatas e assuntos de programação;
  • conhecimento de design: uma vez que os engenheiros elétricos geralmente utilizam programas de design para a realização dos projetos, eles devem se sentir confortáveis ​​com essa tecnologia e sua aplicação em seu trabalho;
  • capacidade de resolver problemas complexos: os engenheiros geralmente se destacam quando conseguem identificar problemas com antecedência e pensar em novas soluções;
  • trabalho em equipe: os engenheiros elétricos normalmente precisam gerenciar e avaliar o trabalho de equipes, o que demanda boa capacidade de diálogo, empatia e clareza na comunicação.

Obtenha um diploma

Existem posições de nível básico para trabalhar com sistemas elétricos, como os cargos que se concentram em instalação e em reparo. Porém, comparados às opções que demandam o nível superior completo, cargos de nível básico oferecem baixos salários e alta carga de trabalho.

O cargo de engenheiro elétrico está entre s carreiras na indústria que demandam ensino superior completo. Por isso, é preciso buscar um curso superior de Engenharia Elétrica para trabalhar na área, de preferência em uma instituição de ensino reconhecida.

Além disso, se você quer aumentar seu salário e conquistar melhores condições de trabalho, um programa de mestrado ou outra especialização provavelmente ajudará a se qualificar para mais oportunidades na área.

Conecte-se a outros profissionais

Você pode encontrar eventos de networking, conferências, seminários, webinars e treinamentos focados no campo da Engenharia Elétrica. Considere participar desse tipo de evento para aprender mais informações sobre a área e conhecer profissionais mais experientes.

Essas pessoas podem fornecer orientação, encaminhar você para um emprego ou empregador específico, ser seu mentor ou simplesmente responder às suas perguntas. Outras maneiras de se conectar com profissionais incluem ingressar em grupos de interesse especial, bem como ler blogs e artigos da área.

Aproveite o estágio

É possível encontrar um estágio para trabalhar com Engenharia Elétrica antes de terminar a graduação. Um estágio oferece a oportunidade de ganhar experiência no mundo real e, quem sabe, concluir um projeto que você pode mostrar em seu currículo quando estiver se candidatando a vagas de emprego.

Normalmente, o estágio obrigatório supervisionado é uma matéria oferecida na grade curricular nos últimos semestres de curso. Mas você também pode buscar um estágio no meio do curso para ir ganhando experiência. No geral, as empresas aceitam candidaturas de estudantes que já cumpriram os primeiros semestres de graduação.

Durante o estágio, você trabalhará ao lado de profissionais que, mais tarde, poderão recomendar seu nome a empregadores de grandes empresas da sua área de atuação. É um período de aprendizado muito útil para dar os primeiros passos no mercado de trabalho. Então, aproveite ao máximo esse momento!

Desenvolva habilidades

Para ter sucesso como engenheiro elétrico, é útil ter habilidades técnicas e comportamentais que você possa usar em seu trabalho.

Existem várias maneiras de construir suas habilidades:

  • trabalhe com um time para desenvolver habilidades de trabalho em equipe;
  • peça feedback para aprender a ser mais aberto a críticas construtivas;
  • faça cursos sobre ferramentas e programas específicos.

Na faculdade, verifique se é possível adicionar à sua grade curricular programas de qualificação e atividades extracurriculares interessantes para sua futura profissão.

O que considerar ao escolher uma faculdade de Engenharia Elétrica?

Conseguir uma vaga em qualquer uma das Engenharias em uma faculdade pública não é muito fácil. A concorrência alta, e o número de vagas oferecidas nas instituições costuma ser baixo. A saída, para muitos estudantes, é optar por uma faculdade particular.

No entanto, é bem provável se deparar com muitas opções de faculdades que oferecem o curso e tenha dificuldades para saber onde estudar Engenharia Elétrica.

Para ajudar você que está com dúvida na escolha da faculdade, selecionamos alguns critérios que podem ajudar a encontrar uma excelente faculdade de Engenharia Elétrica. Confira e tire suas dúvidas!

Grade curricular atualizada

O curso de Engenharia Elétrica tem como base comum disciplinas de Matemática, Física, Química Computação. O curso também normalmente conta com matérias relacionadas à ecologia e à ética, pois os profissionais depois da graduação também podem ter envolvimento no meio ambiente.

Após os dois primeiros anos de curso, começam as matérias da grade curricular mais específicas e voltadas para áreas técnicas do engenheiro elétrico. Porém, cada faculdade oferece diferentes matérias, com outras nomenclaturas e carga horária distintas.

Por isso, vale a pena fazer a consulta a grade curricular com antecedência. É importante que ela reflita os desafios e as tendências do mercado de trabalho para a área. Então, não deixe de fazer essa consulta. A grade curricular normalmente fica disponibilizada no site oficial da faculdade.

Infraestrutura

Uma infraestrutura física e virtual de qualidade faz a diferença na sua experiência na graduação. Além de contar com espaços físicos adequados, bibliotecas, laboratórios e salas climatizadas, veja se a faculdade oferece um espaço física e virtual para que os estudantes consultem informações sobre sua vida acadêmica e sobre seu curso superior.

Modalidades de ensino diferentes

Sabia que já é possível estudar Engenharia Elétrica EAD? Embora o curso tenha uma alta carga de atividades práticas, algumas faculdades já permitem que as atividades práticas da grade curricular sejam conciliadas com a formação do aluno no ensino a distância.

Se essa flexibilidade vai ser importante para sua rotina, não abra mão e busque uma faculdade que ofereça o curso de Engenharia Elétrica no formato EAD.

Bolsas de estudo

Está em busca de ganhar desconto em uma faculdade particular? Então, priorize as instituições de ensino que oferecem bolsas de estudos. Dependendo da instituição e da forma de ingresso, as bolsas podem chegar a 100%.

Comece sua carreira e inscreva-se no vestibular!

Com tantas possibilidades e oportunidades no mercado de trabalho, fica fácil alimentar o desejo de trabalhar com Engenharia Elétrica, não é? Sem as carreiras desse setor, não teríamos boa parte dos sistemas elétricos que levam conforto e agilidade às pessoas.

Se quer começar carreira na Engenharia Elétrica, o primeiro passo é o vestibular. Aproveite para se inscrever no vestibular das faculdades parceiras do Vestibulares. É online e você não paga nada pela inscrição!

* Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos!

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.