Quem criou o Enem? Conheça a história dessa importante prova!

quemcriouoenemconhecaahistoriadessaimportanteprova

Não sabe quando foi criado o Enem e por quem? Então, você vai tirar essa dúvida agora mesmo: o exame, que atualmente é um dos mais importantes do país, já é aplicado há mais de 20 anos e passou por várias transformações desde seu início.

Para quem está pensando em realizar o próximo Enem, é interessante conhecer a sua história. Assim, fica mais fácil entender quais são seus objetivos e como foi que ele ganhou tanto destaque no cenário educacional brasileiro.

E então? Você quer saber quem criou o Enem, Sisu, Prouni e FIES? Confira toda a trajetória de todos eles!

Como surgiu o Enem?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) para avaliar a qualidade do ensino no país. A estrutura inicial era bem diferente da que conhecemos hoje, quando não se pensava em utilizar as notas obtidas no exame para ingressar no ensino superior ou obter bolsas de estudos no Brasil e no exterior.

Para entender melhor o que levou o MEC a criar essa avaliação, trouxemos um pouco do cenário da época logo abaixo.

Cenário da educação antes do Enem

Antes do Enem, o Governo Federal encontrava dificuldades em avaliar a qualidade do ensino médio tanto da rede pública quanto da rede particular. Faltavam indicadores que permitissem uma análise mais aprofundada e real, para que providências pudessem ser tomadas para gerar melhorias.

Objetivos iniciais do exame

O Enem foi criado para avaliar o conhecimento dos alunos ao finalizarem seus estudo no antigo 2º grau, que compreende os três anos do ensino médio. A princípio, a ideia era aplicar uma prova para a maior quantidade de formandos possível, a fim de verificar se os conhecimentos básicos esperados estavam sendo obtidos.

Estrutura das provas

Nos primeiros anos, a prova era única e contava com 63 questões divididas por disciplina mais uma proposta de redação dissertativa. Os estudantes tinham um total de 5 horas e 30 minutos para finalizarem o exame, que contava com questões bem mais simples àquela época.

Realização do primeiro Enem

O primeiro Enem foi realizado em 20 de agosto de 1998, em 184 municípios de todo o país. No total, 115.575 pessoas participaram dessa edição, sendo que apenas 9% deles vinham de escolas públicas. Um dado interessante é que já era possível utilizar a nota para ingressar em 2 instituições de ensino superior.

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

O que mudou desde o seu início?

Muita coisa mudou no exame desde a primeira edição em 1998. Agrupamos as principais alterações no decorrer dessas 2 décadas nos tópicos a seguir. Confira!

Primeiros anos de aplicações (1998 – 2003)

A primeira edição do Enem se mostrou um grande sucesso, já que, em seu segundo ano, a quantidade de instituições que aceitaram o exame em substituição do vestibular subiu de 2 para 93. Outro apoio importante veio dos Correios, que disponibilizou o acesso a mais de 7 mil agências para que os candidatos realizassem suas inscrições.

banner de preparação para o enem 2021

Em 2000, o exame implementou ações de acessibilidade que permitiram 76 pessoas com deficiência de participar. No ano seguinte, já era possível realizar as inscrições pela internet, e a quantidade de isenções beneficiou 82% dos participantes.

A partir de 2002, a taxa de adesão dos alunos concluintes do ensino médio superou 50% do total e as provas foram aplicadas em 600 municípios para mais de 1,8 milhão de pessoas. Os alunos mais novos, que não haviam concluído ou estavam concluindo os estudos em 2003, começaram a ser identificados, o que permitiu observar os chamados “treineiros”.

Aumento no acesso ao ensino superior (2004 – 2008)

Em 2004, o Prouni foi criado, e a nota do Enem foi utilizada para garantir mais acesso ao ensino superior. Nos anos seguintes, o aumento na quantidade de participantes focados em fazer uma graduação passou a ser bastante significativo.

Outro crescimento importante foi no número de inscritos vindos de famílias com renda inferior a 2 salários mínimos, o que mostrou uma maior acessibilidade à população mais carente. Em 2008, o total de inscrições ultrapassou a marca dos 4 milhões de pessoas.

Mudanças na estrutura do exame (2009 – 2012)

A partir de 2009, acontece a mudança mais importante no Enem. A criação do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) aumenta a responsabilidade do exame, que se torna mais exigente em questões que vão além dos conhecimentos adquiridos em sala de aula.

Com isso, o exame passa a ter 180 questões, distribuídas entre grandes áreas do conhecimento e não isoladamente por disciplinas, além da redação. As provas passam a ser realizadas em dois dias consecutivos.

No período até 2012, o resultado do exame passou a ser um dos requisitos para a obtenção de financiamento estudantil por meio do FIES. Além disso, a isenção de taxa de inscrição alcançou 70% dos mais de 5 milhões de inscritos.

Consolidação do Enem como principal substituto ao vestibular (2013 – 2016)

O Enem seguiu a sua trajetória de expansão, sendo utilizado para a seleção de bolsistas para o programa Ciência sem Fronteiras e, em 2014, começou a ser aceito em 2 universidades em Portugal. O crescimento da relevância também despertou a necessidade de aumento na segurança, que passou a ser feita com ajuda de detectores de metal e da coleta de dados biométricos dos participantes.

Mudanças nas dias de aplicação (2017 – 2019)

Em 2017, a população pôde participar de uma consulta pública que definiu uma mudança importante no formato de aplicação das provas. Elas deixaram de ocorrer em dias consecutivos e passaram a contar com um intervalo de uma semana. Isso ajudou a minimizar questões relacionadas com o cansaço gerado entre o primeiro e o segundo dia.

Na comemoração dos 20 anos do exame, em 2018, o Enem ganhou uma logomarca comemorativa, um documentário histórico e uma série de minidocumentários. Além disso, o segundo dia de provas ganhou mais 30 minutos para alívio dos participantes.

Quem criou o Enem foi uma equipe preocupada com a qualidade da educação no Brasil, mas, desde então, são os próprios estudantes que têm provocado a sua evolução. Mais do que uma forma de avaliar o ensino médio, o exame se transformou no principal meio de ingresso ao ensino superior no país e em mais de 35 instituições em Portugal. Uma responsabilidade para a qual vale muito a pena se preparar!

Gostou de conhecer mais sobre a história do Enem? Que tal conferir um conteúdo que vai ajudar você a se dar muito bem na redação? Confira estas dicas de coesão para a redação do Enem!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 18

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

prouni, crédito estudantil, fies ou bolsa privada

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

    Muito interessante gostei muito de relembrar o primeiro exame nacional do ensino médio.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.