Aprovação à primeira vista: saiba como montar uma introdução de redação

Não há como negar: fazer uma boa redação em uma prova de vestibular pode ser aquele diferencial que você precisa para garantir uma nota alta. Criatividade e adequação aos requisitos do texto são pontos primordiais nesse momento, mas não bastam para tornar o seu trabalho digno da pontuação máxima.

Ter a atenção do leitor logo no início é tudo que você precisa — e esse trunfo começa com uma boa introdução de texto. É a parte da redação que funciona como uma isca: com uma fórmula de impacto e qualidade, é possível “fisgar” o seu público e mantê-lo atento ao conteúdo até o fim.

Neste post, você vai entender o que uma introdução de redação deve ter para garantir uma boa nota e, consequentemente, a sua aprovação nos exames. Pegue papel e caneta para anotar estas dicas e boa leitura!

Tenha clareza nas suas ideias

Quando você está conversando com uma pessoa, principalmente sobre temas que geram bons debates, com certeza prefere quando os argumentos são bem explicados, certo? Com a redação, deve acontecer o mesmo.

Para persuadir os leitores de que seu ponto de vista é o ideal, é preciso escolher os melhores argumentos e contextualizá-los. Logo na introdução, você deve apresentar o assunto que será tratado ao longo da redação de forma bastante objetiva.

Ou seja, nada de floreios e voltas para preencher a página, combinado? A objetividade será sua grande aliada, pois demonstra foco, capacidade de seguir uma linha de raciocínio e conhecimento do que está sendo escrito.

Proponha questionamentos

Quer uma dica de mestre? Transporte o leitor para o cerne da questão por meio de perguntas. Essa prática ajuda você a criar a conexão que a pessoa precisa ter com o texto para se interessar pelos argumentos que serão apresentados mais para frente.

Um dos propósitos da introdução é deixar aquela sensação de “eu preciso ler este texto” — e, com questionamentos pertinentes, você consegue fazer isso muito bem. Invista nas perguntas retóricas, que despertam a curiosidade no leitor e não necessitam de uma resposta para atingir seu objetivo de provocar a reflexão.

Pense na quantidade ideal de linhas

Uma redação vem com as instruções necessárias em seu cabeçalho, e o tamanho do texto já é apresentado nesse ponto. Em geral, a folha destinada a ele tem o número exato de linhas, que não pode ser ultrapassado — afinal, a capacidade de síntese e a objetividade (novamente!) são esperadas do candidato.

Separe um parágrafo de quatro a cinco linhas para a sua introdução de sucesso. Essa quantidade é suficiente para apresentar o problema, dar início às reflexões propostas pelo tema e preparar o caminho para seu ponto de vista.

Tente não ultrapassar esse número de linhas e, para garantir a escaneabilidade da leitura, mantenha os outros parágrafos nesse padrão. Assim, caso o seu leitor precise voltar ao início do texto para relembrar as informações, fará isso com facilidade, pois elas estarão bem visíveis.

Construa um argumento firme

Você já deve ter percebido que quem não tem muita confiança no que diz dificilmente consegue convencer alguém. Por isso, em primeiro lugar, acredite em seus argumentos. Essa é a chave para que você comece a formar um raciocínio que convença os validadores.

Para construir seus argumentos, pense em quem vai ter contato com eles após a sua produção. A banca gostaria de ler aquele parágrafo? Ele está instigante o suficiente ou as construções estão muito fechadas a ponto de provocarem tédio? A linguagem empregada pode contribuir bastante para a credibilidade da sua escrita.

Evite ao máximo construções batidas e óbvias demais. Possivelmente, muitos candidatos vão utilizá-las e, com isso, o seu texto tem grandes chances de ser apenas mais um no meio da pilha para correções.

Veja algumas máximas que você pode banir da sua introdução (e, é claro, da redação inteira):

  • “desde os primórdios da humanidade”;
  • “com a ascensão da tecnologia”;
  • “cresce a cada dia”/”cresce cada vez mais”;
  • “antes de mais nada”;
  • “as crianças são o futuro da nação”.

Considere também que não é interessante generalizar. Em vez de falar que “todas as pessoas fazem isso”, prefira apresentar dados que, por si só, sejam capazes de provar a sua veracidade. A sua opinião é importante, mas não vale utilizá-la como um fato comprovado, combinado?

Use a criatividade

Você se lembra de que, no começo deste post, falamos sobre a criatividade ser um dos aspectos avaliados na nota da redação, não é mesmo? Se você propuser um modelo de introdução diferente do comum, pode conquistar ainda mais a atenção do seu leitor.

Tome como exemplo um tema sobre “estresse no trabalho”. Você pode fazer a contextualização mencionando algum filme ou seriado que aborde a questão. Ou, então, é possível investir em um storytelling, contando como a relação do homem com o emprego evoluiu ao longo dos anos.

Trazer dados e mencionar filósofos que estudem o tema também são excelentes maneiras de começar uma redação. Para isso, saiba que será preciso uma boa dose de estudos sobre atualidades (e uma pitada de sorte para acertar o assunto). De toda forma, treine bastante antes da prova. Mesmo que a prática não leve, de fato, à perfeição, ela vai ajudar — e muito!

Faça conexão com o tema da redação

Vale lembrar que um dos aspectos que podem zerar uma redação é o desvio do tema proposto. Então, dê asas à imaginação, mas com a certeza de que você não se perderá pelo caminho.

Uma dica é esquematizar os seus argumentos no rascunho ou na cabeça antes de começar a escrever. Assim, você se mantém fiel ao raciocínio inicial e não corre o risco de perder preciosos minutos com um parágrafo que não é adequado à ocasião.

A introdução de redação é a oportunidade ideal para criar necessidade da leitura e deixar aquela prévia dos bons argumentos que virão em seguida. Por isso, aposte nas dicas deste post e não se esqueça de que uma primeira impressão de impacto pode ser decisiva para que seu texto receba a pontuação máxima.

Está preparado para fazer a melhor redação da sua vida? Aproveite a sua visita ao blog e leia outros conteúdos interessantes sobre o assunto!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: