6 dicas para estudar probabilidade para o Enem

estudante de matemática caneta e papel

Qual é a probabilidade de você arrasar nas notas de Matemática no Enem? A gente usa muito essa expressão no dia a dia, mas será que sabemos, de fato, realizar esse cálculo matemático nas questões que aparecem nas provas?

Se você tem dúvidas sobre a matéria e quer otimizar os estudos para obter um resultado melhor no caderno de Matemática e suas Tecnologias, nós preparamos um conteúdo especial, com dicas simples e bastante úteis.

Para começar, é bom saber que a probabilidade cai no Enem de duas maneiras — em problemas que abordam seu conceito e sua definição ou em exercícios que envolvem cálculos e, às vezes, noções de análise combinatória, como a permutação simples.

A partir de agora você vai aprender os seguintes passos para estudar esse tema:

  • comece pela teoria;
  • utilize mapas mentais;
  • faça muitos exercícios;
  • evite usar calculadora;
  • estude por meio de provas anteriores;
  • conecte essa com as demais matérias de matemática.

Tudo pronto para começar? Tome nota das dicas e bons estudos!

1. Comece pela teoria

Antes de se desesperar com exercícios, sem saber por onde começar a resolver o problema proposto, o melhor caminho é entender a teoria por trás da questão. Assim, comece estudando o que é probabilidade, para que você absorva o conceito e “entre na linha de raciocínio” da proposta.

Principalmente no caso do Enem, essa atitude é fundamental, porque a maior competência a ser avaliada é a capacidade de o aluno conseguir fazer uma contextualização dos conhecimentos — ou seja, você deve compreender o enunciado e não apenas resolver um cálculo avulso com alguma fórmula para encontrar um resultado.

Nesse sentido, você verá questões de probabilidade que relacionam a análise de dados a vários problemas que são econômicos e culturais, por exemplo. São enunciados que trazem a matemática aplicada em saúde, finanças, orçamentos, transporte e muito mais.

2. Utilize mapas mentais

Sabe o que pode ajudar na absorção do conceito de probabilidade e, até mesmo, na resolução de exercícios? Mapas mentais! Sim, essa técnica de estudo também pode ser utilizada na Matemática, justamente porque a matéria que estamos tratando aqui envolve elementos de experimentos aleatórios.

A probabilidade nos ajuda a entender quais são as chances de uma determinada situação acontecer, certo? Então, nada melhor do que organizar o pensamento com um mapa mental que mostre o caminho do seu raciocínio. Assim, você não se perde em meio às ideias e aos cálculos.

3. Faça muitos exercícios

Apesar de termos falado sobre a importância da teoria, nada melhor do que a prática quando o assunto é Matemática. Portanto, arregace as mangas e faça muitos exercícios de probabilidade, sempre recorrendo às anotações teóricas e aos mapas mentais para ajudar. Quanto mais questões você puder resolver, melhor estará preparado para fazer associações durante a prova.

Nesse sentido, vale a pena procurar exercícios e simulados na internet e utilizar plataformas próprias para os estudos, como o Trilha do Enem. Por lá, por exemplo, você avalia o seu nível de conhecimento e recebe um plano de estudos personalizado, sendo possível fazer simulados, assistir a videoaulas etc.

4. Evite usar calculadora

Vamos ser sinceros? De nada vai adiantar fazer uma bateria enorme de exercícios utilizando a calculadora. Afinal, no dia da prova, você só poderá usar um equipamento: seu cérebro. Então, nada melhor do que treinar probabilidade simulando as mesmas condições do dia do exame.

Além do mais, é importante que você saiba que os exercícios do Enem requerem poucos cálculos. O segredo é interpretar corretamente o enunciado e, claro, analisar todos os dados e a situação colocada.

Com as dicas anteriores sobre entender o conceito e utilizar mapas mentais, você só vai precisar se lembrar de aplicar a fórmula certa:

P(A) = n(A)

      n(Ω)

Aqui, P(A) é a probabilidade de o evento A acontecer, enquanto n(A) é o número de elementos de A. Já o n(Ω) é o número de elementos de um espaço amostral Ω.

Para calcular uma probabilidade condicional, de B em relação a A, entretanto, você vai utilizar a seguinte fórmula:

P(B | A) = P(B A)

         P(Ω)

Por fim, dá para calcular a probabilidade de eventos simultâneos usando as fórmulas abaixo:

P(B A) = P(A | B) . P(B) = P(A | B) . P(A)

ou P(B A) = P(A) . P(B)

5. Estude por meio de provas anteriores

Além de simulados e exercícios na internet, também é muito valioso contar com a ajuda das provas anteriores de Matemática e suas Tecnologias para se preparar para o Enem. Afinal, você resolverá questões autênticas, que já foram usadas para avaliar os candidatos em uma situação real.

Brincadeiras à parte, a probabilidade de que apareçam questões parecidas ou uma quantidade aproximada de questões envolvendo o tema é alta — geralmente aparecem duas ou três. Por isso, em sua rotina de estudos, inclua a resolução de cadernos de provas dos anos anteriores, observando de que maneira os assuntos foram abordados e aplicados.

6. Conecte essa com as demais matérias de Matemática

Assim como é possível contextualizar as questões de probabilidade com temas como Economia, transporte e, até mesmo, Biologia ou Geopolítica, também é provável que alguns exercícios interliguem mais matérias, como funções matemáticas ou noções de geometria.

Diante dessa condição, experimente estudar cada assunto separadamente, principalmente no momento de compreender as teorias e os conceitos, mas, depois, faça conexões entre eles — principalmente ao tentar solucionar problemas de simulados ou provas anteriores.

Muito mais do que uma simples área da Matemática, a probabilidade não pede só raciocínio lógico e facilidade na resolução de cálculos. O estudante precisa ter mais habilidades envolvidas, como leitura e interpretação dos enunciados e dos dados, bem como reflexão crítica, investigação e, até mesmo, capacidade de tomada de decisão.

Por isso, é tão importante elaborar um cronograma de estudos que envolva diferentes tipos de abordagem, de simulados a mapas mentais, como sugerimos. Contudo, você deve encontrar sua estratégia ideal! A partir das dicas que trouxemos aqui, analise como é possível incluí-las no seu dia a dia e estude probabilidade com menos pressão e mais chances de acertos.

E aí, gostou das nossas dicas? Então, aproveite o ritmo e confira, agora, as 8 melhores técnicas de estudo para mandar bem nas provas!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: