Animais em extinção: como o tema pode cair no Enem?

onça pintada como símbolo de animal em extinção

Você sabia que o Brasil é um dos países com maior biodiversidade do mundo? De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, 10% a 15% de todas as espécies conhecidas pelo homem ocorrem aqui.

Essa grande diversificação de espécies, entretanto, não anula o fato de que não estamos cuidando bem delas, existindo mais de 1 mil espécies correndo risco de serem extintas.

O problema dos animais em extinção é mundial e apresenta diferentes causas. Por ser um tema bastante relevante para a sociedade, é indicado estar preparado para encontrar o tema em provas de vestibular e do Enem.

Que tal saber mais sobre quais animais estão em extinção e se preparar para os estudos? Confira!

Animais em extinção atualmente

Animais entram para a lista de extinção quando a população da espécie corre algum risco de morte ou de perda de habitat que faça com que ela desapareça da natureza. A classificação que mede se algum animal está correndo esse risco leva em consideração alguns pontos:

  • o quanto a população dessa espécie diminuiu e qual a estimativa de diminuição;
  • o tamanho da área que a espécie ocupa no ambiente;
  • quantos animais prontos para se reproduzirem existem;
  • qual a probabilidade da espécie ser extinta nas próximas gerações.

A partir disso, os países conseguem ter a dimensão da situação de cada uma das espécies controladas e podem buscar formas de protegê-las.

Como mencionamos, a questão não é apenas brasileira. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que existam mais de 1 milhão de espécies de animais e plantas ameaçadas de extinção atualmente.

Alguns dos principais animais em extinção no Brasil:

  • arara-azul;
  • ariranha;
  • boto cor-de-rosa;
  • cervo do pantanal;
  • lobo-guará;
  • macaco-aranha-de-cara-preta;
  • mico-leão-dourado;
  • onça-pintada;
  • pica-pau amarelo;
  • tamanduá-bandeira;
  • tartaruga-de-couro;
  • tatu-bola.

Alguns dos principais animais em extinção no mundo:

  • condor californiano;
  • elefante de sumatra;
  • gorila-das-montanhas;
  • lêmure-de-cauda-anelada;
  • leopardo-de-amur;
  • orangotango-de-bornéu;
  • panda-gigante;
  • papagaio kakapo;
  • pinguim-africano;
  • rinoceronte-de-java;
  • tigre-de-bengala;
  • tigre siberiano.

Vale lembrar que essas são apenas algumas das espécies em extinção. E, se você está se perguntando se mamíferos e aves correm mais risco, a resposta é não. Também existem muitos animais invertebrados e vertebrados que não couberam na lista.

Afinal, por qual motivo eles estão sumindo do planeta Terra?

As causas da extinção

Você já ouviu falar de seleção natural? Um dos principais pontos da Teoria da Evolução de Darwin, ela explica como os animais evoluíram até o que são hoje.

Além disso, também explica porque outros animais acabaram desaparecendo em algumas regiões — eles não estavam aptos a viver naquelas condições (por exemplo, as grandes glaciações). Mas isso é a chamada extinção natural, que pode levar milhares de anos para acontecer.

As espécies citadas anteriormente, entretanto, correm o risco de desaparecer já nas próximas gerações, tendo esse processo de extinção acelerado por diversos motivos, como os que levantamos a seguir.

Tráfico de animais

O tráfico de animais é o comércio ilegal de animais silvestres, ou seja, aqueles que não podem ser domesticados nem considerados animais de estimação. Só no Brasil, mais de 38 milhões de animais são traficados por ano.

A temática voltou a estar em alta depois do caso da cobra naja em Brasília, que era animal de tráfico. O ataque da cobra a seu traficante (que quase o levou à morte) fez com que as investigações encontrassem um esquema de tráfico de animais na região.

A prática influencia o risco de extinção de espécies, principalmente porque a baixa população daquele animal faz com que ele se torne mais raro, o que aumenta seu valor de venda ilegal e, consequentemente, faz com que seja mais visado e corra mais riscos.

Lembrando sobre o que é ecossistema, é preciso entender como o tráfico de animais também o afeta. Isso porque retirar um animal da natureza desestrutura todo o habitat em que ele vivia, já que cada um deles desempenha um papel naquele ecossistema.

Mudanças climáticas

O aquecimento global, ou efeito estufa, é uma das razões para que as mudanças climáticas ocorram no mundo hoje em dia. A partir dessas mudanças, muitos ecossistemas se desestabilizam, prejudicando a população animal por todo o planeta.

Por exemplo, com o aumento da temperatura, o degelo de calotas polares aumenta. Consequentemente, a área de circulação de espécies como urso polar e pinguins diminui, fazendo com que eles tenham menos acesso à comida ou fiquem isolados — com o tempo, isso pode levar os animais à extinção.

Aumentando a temperatura dos oceanos, muitas espécies de microrganismos, fitoplâncton e anfíbios podem desaparecer por não conseguirem sobreviver nessa nova condição. Sem esses organismos por lá, outros animais são prejudicados e, depois de um tempo, também podem entrar em extinção.

Desmatamento

Outro fator que pode levar à extinção das espécies é o desmatamento de áreas naturais. Além de, literalmente, acabar com a casa dos animais e fazer com que eles não tenham como sobreviver ali, a prática também interfere no ecossistema local.

Assim, os animais podem ficar sem alimento, sem água e sem conseguir se proteger de predadores. Além disso, muitos morrem no próprio processo de desmatamento, em queimadas ou durante o corte de árvores. Sem contar que essa prática contribui para o efeito estufa.

O lobo-guará, animal brasileiro típico das regiões do cerrado, do Pantanal e do pampa, é um dos que sofre risco de extinção por conta do desmatamento de seu habitat.

Caça ilegal

Muitas espécies correm o risco de desaparecer por conta da caça ilegal. A prática, no Brasil, pode levar de 6 meses a 1 ano de prisão, além do pagamento de multas.

A ariranha, o macaco-aranha-de-cara-preta e a onça-pintada são alguns dos animais brasileiros que sofrem com a caça ilegal. Outros felinos, como o gato-maracajá, também é alvo da prática.

Como estudar animais em extinção para o Enem

Existem diversas formas de o tema ser abordado no Enem e em outros vestibulares. É possível que seja perguntado especificamente sobre a extinção e suas causas, relacioná-la com outros temas de meio ambiente ou com conceitos de Biologia que caem no Enem, como a Teoria da Evolução, citada acima.

Também é possível que apareçam questões sobre o assunto na prova de Geografia, envolvendo geopolítica, já que o tema envolve medidas governamentais em todo o mundo. As causas dos eventos também podem ser cobradas, principalmente relacionadas com a extinção não natural.

O primeiro passo para estudar o tema para a prova é entender o assunto de forma geral e saber todas as problemáticas ao redor dele. Mas como fazer isso?

Pesquise sobre a extinção de animais no Brasil

Apesar de poderem fornecer um panorama mundial em textos de apoio, geralmente provas como Enem e outros vestibulares focam o Brasil quando o tema é relevante para país, como é o caso. Por isso, acompanhe as notícias sobre meio ambiente, os possíveis projetos de lei e esteja informado sobre o que o Brasil está fazendo para combater a extinção de animais no território.

Também é interessante procurar saber sobre o histórico da questão no país e quando começaram os primeiros movimentos de proteção a esses animais.

Entenda as principais causas da extinção

Provas de vestibular costumam abordar, além do tema principal, alguns assuntos que se relacionam com ele. Por isso, é importante estar antenado sobre a questão do desmatamento no Brasil (outro tema bastante em alta) e o tráfico de animais, por exemplo, que são bastante relevantes para o país.

Uma ótima dica de leitura para entender esses processos é o livro A Sexta Extinção: Uma História Não Natural, de Elizabeth Kolbert.

Estude questões de ecossistema

Como você viu, a extinção de um animal afeta todas as espécies que se relacionam com ele na natureza, mesmo de forma indireta. Por isso, entender os conceitos de ecossistema e habitat também pode ajudar na hora de responder questões sobre animais em extinção.

O Trilha do Enem pode ser uma ótima forma de estudar mais sobre meio ambiente e testar seus conhecimentos na área.

Estude questões de Geografia e geopolítica

Um dos tópicos de Geografia mais importantes do Enem envolve problemas ambientais, por isso é importante entender os conceitos dessa área de estudo que se relacionam com os animais em extinção.

Por exemplo, existem diferentes tratados de Meio Ambiente entre os países que podem ser relacionados com o tema de animais em extinção.

Pense em como solucionar o problema

O tema de animais em extinção é um bom candidato para as redações de vestibular ou do Enem. Além de ser um assunto sempre atual, todos os anos há uma movimentação brasileira e mundial acerca de temas relacionados ao meio ambiente. Por isso, pesquise, elabore possíveis soluções e propostas de intervenção (formas de promover o desenvolvimento sustentável, por exemplo) e treine sua redação!

Bom, deu pra ver que se deparar com o tema animais em extinção no vestibular é algo que tem grandes chances de acontecer. O tema é bastante atual e merece atenção redobrada na hora dos estudos!

Então, continue aprofundando os seus conhecimentos na área e saiba, agora, por que o tópico sobre recursos naturais pode cair no Enem!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção do Vestibular dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instituições Participantes do Vestibulares

O Vestibulares traz informações sobre os processos seletivos de sete instituições pelo Brasil: